Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Sermão da Montanha



Grosso modo, todo o capítulo 58 do profeta Isaías é uma grande crítica e rejeição da parte de Deus acerca de uma religião que feche o indivíduo em si mesmo e de uma prática religiosa que patrocine a vaidade pessoal ou de grupo. De que adianta a prática do jejum e a observância do sábado, se elas não conduzem à solidariedade nem visam socorrer o próximo em suas necessidades? É esse engajamento em relação ao próximo que faz com que a pessoa brilhe como uma luz (cf. Is 58,8). A fé de Israel no Deus único e verdadeiro exige “amar o próximo como a si mesmo”. A relação com o Deus que tirou o seu povo do país da escravidão e lhe deu uma Lei exige da parte do povo que ele preserve em tudo o dom da vida e da liberdade. Na prática do amor fraterno, na misericórdia, o ser humano brilha como uma luz, porque ele reflete a Glória divina.
O texto do evangelho é parte do discurso introdutório do Sermão da Montanha (Mt 5–7). As imagens do sal e da luz permitem definir a identidade dos discípulos. O sal serve para dar sabor, para conservar e purificar; é, ainda, ingrediente indispensável para o sacrifício e a aliança (Lv 2,13; Ez 43,24). O sal utilizado na aliança simboliza a perenidade do pacto. Os discípulos, pela graça de Cristo, dão sabor ao mundo, sentido à existência humana. No entanto, é preciso estar atentos, pois o sal pode ser adulterado; quando isso acontece, ele não serve para mais nada, pois perdeu sua função. Atenção: sal demais estraga a comida! A vocação de Israel é a de ser luz (Is 42,6; 49,6). Também é a vocação dos discípulos de Jesus. A luz que resplandece nos discípulos é a de Cristo Ressuscitado, ele que é a “luz do mundo” (Jo 8,12). É através das boas obras, as obras de misericórdia, que a luz resplandece e ilumina, não para enaltecer a pessoa, mas para remeter os beneficiários dessas boas obras Àquele que é a fonte de todo bem: “o Pai que está nos céus”. Luz demais ofusca a visão! A medida do sal e a intensidade da luz são a medida da ação de Deus na vida do discípulo. Somente desse modo sal e luz conservam sua propriedade e função específicas. Apenas quando o discípulo se deixa conduzir pelo sopro de Deus e é movido unicamente pelo desejo de servi-lo, é que ele exprime a sua verdadeira identidade.

Carlos Alberto contieri.