Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Jesus é maior que João Batista



Lucas relaciona o anúncio do nascimento de Jesus à gravidez de Isabel: “... no sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus... a uma virgem…” (v. 26). Esta relação é explicável pelo paralelismo com o qual os relatos da infância são redigidos: Jesus é maior que João Batista.
Maria é apresentada como a que recebeu o favor de Deus (cf. v. 28). O favor de Deus a Maria se manifesta na sua eleição para ser a mãe do Filho de Deus. A iniciativa de Deus na encarnação do Verbo conta com a colaboração humana: “Como acontecerá isso, se eu não conheço homem?” (v. 34). Se a idade e a esterilidade de Isabel e Zacarias foram superadas pela intervenção de Deus, a dificuldade humana da virgindade de Maria deve ser superada pelo poder divino na concepção de Jesus. Esta superação se dá pela intervenção do “poder do Altíssimo” (v. 35). “Eis, aqui, a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra” (v. 38). Na visita a Isabel, Maria será caracterizada por aquela que creu: “Bendita aquele que creu: o que lhe foi dito da parte do Senhor se cumprirá” (v. 45).

Carlos Alberto Contieri.