Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Para conhecer Jesus é preciso fé.


Toda a primeira parte do evangelho segundo Lucas (4,14–9,50) é marcada também pela pergunta cristológica “quem é Jesus?”. É a pergunta que o rei Herodes faz pelo que ouviu dizer (cf. v. 7): “Quem será esse homem...?” (v. 9). O leitor do evangelho já conhece a má fama de Herodes pela própria pluma do autor do evangelho (cf. 3,19-20). A visão de Herodes é exterior (ele “ouviu falar de tudo o que estava acontecendo” – v. 7); o texto não nos informa, até então, de nenhum encontro entre Jesus e ele. Suas considerações estão presas ao passado: João Batista, Elias. O seu interesse de ver Jesus (v. 9) não pode passar de pura curiosidade. Já no contexto da paixão, o evangelista observa: “Vendo a Jesus, Herodes ficou muito contente; há tempo que queria vê-lo, pelo que ouvia dizer dele e esperava ver algum milagre feito por ele” (Lc 23,8). Jesus não pronunciou nenhuma palavra. Trata-se de um silêncio eloquente que revela a iniquidade de Herodes. Para Herodes, a identidade profunda e verdadeira se esconde, pois para conhecê-la é preciso fé.

Carlos Alberto Contieri.