Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





LITURGIA DIÁRIA



Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 18,23-28)

Salmo (Salmos 46)

Evangelho (João 16,23b-28)

Evangelho (João 16,23b-28)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
23b“Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes ao Pai alguma coisa em meu nome, ele vo-la dará. 24Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis; para que a vossa alegria seja completa.
25Disse-vos estas coisas em linguagem figurativa. Vem a hora em que não vos falarei mais em figuras, mas claramente vos falarei do Pai. 26Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que vou pedir ao Pai por vós, 27pois o próprio Pai vos ama, porque vós me amastes e acreditastes que eu vim da parte de Deus. 28Eu saí do Pai e vim ao mundo; e novamente parto do mundo e vou para o Pai”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus anuncia algo novo na maneira de orar

Pedir ao Pai em nome de Jesus significa pedir em união de vontade com Jesus. Jesus anuncia algo novo na maneira de orar. Pedir em união com Jesus é pedir que o Pai seja glorificado. A glória do Pai é que todos que amam a vida manifestada por Jesus tenham a vida eterna. Todos aqueles que se comprometem com o florescer da vida partilham de uma alegria completa, em comunhão com Jesus e o Pai. Até então Jesus, através da comunicação oral, falava por meio de figuras. Após sua partida, pelo dom do Espírito, Jesus falará claramente do Pai. A partir deste dom, os discípulos terão uma experiência nova do amor do Pai. No Espírito terão um conhecimento amadurecido das palavras de Jesus e de sua prática amorosa, bem como terão a experiência de Deus na vida fraterna e partilhada. O Prólogo do evangelho de João anunciara a encarnação do Verbo que estava em Deus. Jesus, o Verbo encarnado, anuncia agora a sua volta para o Pai. A volta ao Pai significa o assumir com ele todos os que, no mundo, nele creram, comunicando a todos, pelo Espírito, a própria vida divina e eterna.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Crispim

Neste dia lembramos o primeiro santo canonizado pelo Papa João Paulo II: São Crispim, que nasceu em Viterbo, na Itália, em 1668.

Chamado à vida religiosa, recebeu uma formação jesuíta. Porém, acabou entrando para a família franciscana, despertado pela piedade dos noviços. Ocupou cargos de grande simplicidade dentro da comunidade como a horta, a cozinha, e tantos outros serviços onde ele testemunhava em tudo o amor de Deus.

Falava e vivia a seguinte frase: “Quem ama a Deus com pureza de coração, vive feliz e morre contente”

Crispim deixou essa marca da pureza e da alegria. Ele viveu tudo com pureza de coração, foi feliz e morreu contente em 1748.

Que nosso caminho seja marcado pelo amor e pela verdadeira alegria.

São Crispim, rogai por nós!

POESIA - ROMARIA DO TERÇO

Autor: Leandro José de Oliveira


MENSAGEM AO TERÇO DOS HOMENS

MEUS IRMÃOS E MINHAS IRMÃS
BEM VINDOS AO SANTUÁRIO DO LIMA
POR MEIO DESSAS PALAVRAS
E ATRAVÉS DA RIMA
DIZER QUE É BOM ESTÁ LÁ EMBAIXO
MAS É MELHOR AQUI EM CIMA.
- -
QUANTO BEM AQUI NOS FAZ
QUANTA VIDA JÁ MUDOU
TESTEMUNHOS DE VITÓRIA
DE VIDA QUE RESGATOU
POIS AQUI A TERRA SUBIU
MAS O CÉU TAMBÉM BAIXOU.
- -
QUANTOS HOMENS DE FÉ
COM O TERÇO NA MÃO
VEM AQUI REZAR
ABASTECER O CORAÇÃO
PRA TER A CAPACIDADE
DE APRENDER A DIZER UM NÃO.
- -
NÃO AS BEBEDEIRAS
VÍCIOS E FARRIADA
QUEM CRER EM CRISTO SABE
QUE ISSO NÃO LEVA A NADA
NASCEMOS AQUI NA TERRA
MAS É NO CÉU NOSSA MORADA.
- -
SE ESTAMOS HOJE AQUI
É PRA BUSCAR CONVERSÃO
PODER NUTRIR O ESPÍRITO
E MUDAR O CORAÇÃO
MARIA NÃO É O CAMINHO
MAS ELA MOSTRA A DIREÇÃO.
- -

TRISTE DE QUEM NÃO SABE
O VALOR QUE MARIA TEM
QUANDO DEUS QUIS SALVAR O MUNDO
MARIA DISSE AMÉM
E SE ELA FOI A MÃE DE JESUS
É A NOSSA MÃE TAMBÉM.
- -
QUANTAS PESSOAS PEDIRAM
A SUA INTERCESSÃO
POR ELA FOI ATENDIDA
DEUS DEU A PERMISSÃO
E HOJE PROTESTA A ELA
EM OUTRA RELIGIAO
- -
ONDE MARIA ESTÁ
JESUS ESTÁ TAMBÉM
E SE PEDIMOS A MARIA
JESUS DIZ AMÉM
NÃO TEM DIABO QUE CARREGUE
QUANDO A GRAÇA DE DEUS VEM
- -
POR ISSO NÃO TENHA MEDO
DE TESTEMUNHA SUA FÉ
E DEIXE OS OUTROS FALAR
QUEM TEM BOCA FALA O QUE QUER
O QUE IMPORTA É CUMPRIR
AQUILO QUE DEUS DISSER
- -
EU DESEJO A TODOS
UM FELIZ OTIMO DIA
QUE CHEGUEMOS ATÉ JESUS
ESPELHANDO-SE EM MARIA
SEGUINDO OS SEUS PASSOS
A TODOS UM GRANDE ABRAÇO
E ATÉ A PRÓXIMA ROMARIA
--

LITURGIA DIÁRIA



Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 18,9-18)

Salmo (Salmos 46)

Evangelho (João 16,20-23a)

Evangelho (João 16,20-23a)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
20“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo.
22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23aNaquele dia, não me perguntareis mais nada”.
 
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

As palavras de Jesus as consolam e alegram

Na seqüência desta fala de despedida de Jesus, na última ceia, o tema é a alegria duradoura. A tristeza é passageira. Aqui, a comparação com o dar à luz da mulher tem o sentido de mostrar a transitoriedade da angústia. Paulo usará, várias vezes, a imagem do parto para afirmar sua paternidade e maternidade em relação às suas comunidades.
A tristeza que os discípulos sentem no momento da despedida de Jesus é passageira. João ao escrever estas palavras tem presente as suas comunidades. Estas, vivendo momentos difíceis de perseguição, sentiam a ausência de Jesus e angustiavam-se. As palavras de Jesus as consolam e alegram. Jesus verá os discípulos novamente. Não por um retorno ao mundo, mas pela permanência dos discípulos nele e ele nos discípulos. Jesus e o Pai farão, dos discípulos, sua morada celeste, o que trará a estes uma alegria que não lhes poderá ser tirada. Então não será necessário perguntar nada a Jesus, pois o Espírito Santo enviado conduzirá as discípulos à verdade plena.
As comunidades vivem seu compromisso missionário na alegria da comunhão com Jesus e o Pai, conduzidas pelo Espírito da Verdade.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Carlos Lwanga e companheiros

Neste dia, celebramos a memória destes grandes mártires que na África testemunharam o nome de Jesus. Carlos Lwanga era chefe dos pajens, que serviam na corte do rei Muanga da Uganda.

Acontece que a entrada da evangelização na África, sofreu muito pelas invasões dos homens brancos, por isso os missionários tinham que ser homens verdadeiramente de Deus, ou seja, de caridade, pois facilmente eram confundidos como colonizadores. Depois da entrada dos padres que fizeram um lindo trabalho de evangelização que atingiu Carlos Lwanga e outros, o rei se revoltou e decretou pena de morte para os que rezassem.

São Carlos, depois de muito se preparar junto com seus companheiros, apresentou-se diante do rei com o firme propósito de não negar a fé, por isso foi queimado vivo diante de todos. Seguindo o irmão na fé, nenhum deles renegou, até que em 1887 o último deles morreu afogado, como parte dos corajosos mártires de Uganda, na África.


São Carlos Lwanga e companheiros, rogai por nós.

LITURGIA DIÁRIA


Primeira leitura (Atos dos Apóstolos 18,1-8)S
almo (Salmos 97)
Salmo (Salmos 97)

Evangelho (João 16,16-20)

Evangelho (João 16,16-20)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
16“Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo”. 17Alguns dos seus discípulos disseram então entre si: “O que significa o que ele nos está dizendo: ‘Pouco tempo, e não me vereis, e outra vez pouco tempo, e me vereis de novo’, e: ‘Eu vou para junto do Pai?’”.
18Diziam, pois: “O que significa este pouco tempo? Não entendemos o que ele quer dizer”. 19Jesus compreendeu que eles queriam interrogá-lo; então disse-lhes: ‘Estais discutindo entre vós porque eu disse: ‘Pouco tempo e já não me vereis, e outra vez pouco tempo e me vereis?’
20Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.


Comentário do Evangelho

Jesus permanece nos discípulos

Após a ceia, em sua despedida Jesus fala sobre a sua glorificação e partida, a alegoria da videira, e a vinda do Espírito Santo. Agora, explicando a sua partida, a fala que se inicia é sobre o pouco de tempo que resta para não mais verem Jesus, e mais um pouco em que ele será visto de novo. Esta afirmação é repetida por três vezes neste rápido diálogo. No evangelho de João o projeto de Deus, revelado, segue a seguinte trajetória: a Palavra, o Filho, que estava em Deus, se faz carne e habita entre nós; convive conosco e é glorificado em sua missão libertadora e vivificante, como enviado pelo Pai; volta ao Pai mas mantém sua comunhão de vida com os discípulos, fazendo sua morada naqueles que o seguem, juntamente com o Pai e o Espírito Santo. Ao contrário dos evangelhos sinóticos, João não fala de uma outra "volta" de Jesus ao mundo no fim dos tempos, a Parusia, mas sim na permanência dos discípulos nele, e dele e do Pai nos discípulos, em comunhão de amor.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Marcelino e São Pedro

Mártires

Os santos de hoje, pertenceram ao clero romano no século IV e viveram no contexto da grande perseguição contra a Igreja de Cristo, por parte do Imperador Diocleciano. Foram mártires por causa do amor a Jesus. Os santos demonstram com a vida e até com a morte, no caso dos mártires, que o amor precisa ser o mais importante.

Foram presos, e na cadeia souberam que o responsável daquela prisão estava deprimido. E quiseram saber o porquê. E a filha deste, estava sendo oprimida pelo maligno. Eles então, anunciaram Jesus àquele pai, e disseram do poder do Senhor para libertá-la. Conseguiram liberação, foram até a casa desta família, anunciaram Jesus, oraram pela libertação daquela criança e que graça, toda a família se converteu, aceitando o santo Batismo. Este pai de família também foi preso e martirizado.

Pedro e Marcelino foram instrumentos da Divina Providência para que a evangelização chegasse a essa família e a tantas outras pessoas.

Estes santos foram decapitados no ano de 304.

Peçamos a intercessão destes santos para que a nossa evangelização seja centrada no amor de Deus, para que muitas famílias se convertam e se tornem sinais visíveis deste amor que santifica e salva, o amor de Deus.


São Marcelino e São Pedro, rogai por nós!

Evangelho (João 16,12-15)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. 13Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.
14Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. 15Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu”.
 
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A ação iluminante do Espírito

Um dos destaques do discurso de despedida de Jesus é anúncio do envio do Paráclito, o Espírito Consolador. A aparente derrota da crucifixão abalaria ainda mais as frágeis convicções dos discípulos. Daí a importância do envio do Espírito, tão acentuada por Jesus. A realidade da presença do Espírito é tão consistente quanto a presença de Jesus entre os discípulos durante sua vida. É o Espírito da Verdade enviado por ele e pelo Pai, o qual ilumina os discípulos para entenderem toda a verdade. Assim amadurecerão sua compreensão sobre a vida e a eternidade de Jesus, e perceberão a continuidade da presença de Jesus entre eles e o sentido de sua própria vida e missão.
A ação iluminante do Espírito se faz sentir ao longo dos séculos, atualizando o anúncio da Verdade que ele recebe de Jesus e do Pai. Equívocos e erros históricos vão sendo percebidos e denunciados. As ideologias dos poderosos, que distorcem a fé, e as falsas esperanças que iludem, suscitadas pela ambição do poder e da riqueza, são rejeitadas. Por outro lado, homens e mulheres, sob a luz do Espírito, têm a compreensão cada vez maior da dignidade humana rejeitando toda forma de exclusão e violência, no respeito às diferenças, na compaixão e no respeito à vida em todas suas formas.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Justino

Nasceu na Palestina em uma família que não conheceu Jesus. Justino buscou com aquilo que ele tinha, a verdade. Ele tinha essa sede e providencialmente pôs em sua vida um ancião que se aproximou dele para falar sobre a filosofia. E ele apresentou o 'algo mais' que faltava a Justino. Falou dos profetas, da fé, da verdade, do mistério de Deus e apresentou Jesus Cristo.

Justino se tornou um grande filósofo cristão, sacerdote, um homem que buscou corresponder diariamente a sua fé. E depois dos padres apostólicos, ele foi intitulado como o primeiro santo, padre.

A Sagrada Tradição foi muito testemunhada nos escritos deste santo.
Por inveja e por não aceitar a verdade, um filosofo denunciou São Justino, que foi julgado injustamente, flagelado e por não renunciar a Jesus Cristo, foi decapitado. Isso no ano de 167.

Com fé e razão nós mergulhamos nosso ser no coração de Jesus, modelo e fonte de toda graça, bênção e santidade.

São Justino, rogai por nós!

Evangelho (Lucas 1,39-56)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

39Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
42Com um grande grito exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre!” 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.
46Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem.
51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

- Palavra da Salação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Maria serve e canta a salvação de Deus

A cena da visitação de Maria a sua prima Isabel é exclusiva de Lucas. Sabendo que sua prima estava com uma gravidez mais avançada que a sua, Maria vai, prontamente, servi-la. Maria traz Jesus em seu ventre e Isabel, João Batista. Em seu cântico, Maria reconhece ser bem-aventurada pela sua escolha por Deus para ser a mãe do Salvador. Completa seu cântico anunciando o projeto salvífico de Deus: derrubar os poderosos e exaltar os humildes, encher de bens os famintos e mandar embora os ricos de mãos vazias.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Visitação de Nossa Senhora

Sabemos que Nossa Senhora foi visitada pelo Arcanjo Gabriel com esta mensagem de amor, com esta proposta de fazer dela a mãe do nosso Salvador. E ela aceitou. E aceitar Jesus é estar aberto a aceitar o outro. O anjo também comunicou a ela que sua parenta - Santa Isabel - já estava grávida. Aí encontramos o testemunho da Santíssima Virgem - no Evangelho de São Lucas no capitulo 1, - quando depois de andar cerca de 100 km ela encontrou-se com Isabel.

Nesta festa, também vamos descobrindo a raiz da nossa devoção a Maria. Ela cantou o Magnificat, glorificando a Deus. Em certa altura ela reconheceu sua pequenez, e a razão pela qual devemos ter essa devoção, que passa de século a século.

“Porque olhou para sua pobre serva, por isso, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações.” (Lucas 1,48)

A Palavra de Deus nos convida a proclamarmos bem-aventurada aquela que, por aceitar Jesus, também se abriu à necessidade do outro. É impossível dizer que se ama a Deus, se não se ama o outro. A visitação de Maria a sua prima nos convoca a essa caridade ativa. A essa fé que se opera pelo amor. Amor que o outro tanto precisa.

Quem será que precisa de nós?

Peçamos a Virgem Maria que interceda por nós junto a Jesus, para que sejamos cada vez mais sensíveis à dor do outro. Mas que a nossa sensibilidade não fique no sentimentalismo, mas se concretize através da caridade.

Virgem Maria, Mãe da visitação, rogai por nós!

Movimento católico terço dos homens promoveu uma romaria ao Santuário do...

RETIRO DE LIDERANÇAS DO MOVIMENTO APOSTÓLICO DE SCHOENSTATT.

Aconteceu este final de semana na Casa de Retiro “Porciúncula” Associação das Irmãs Capuchinhas em Fortaleza-CE, o Retiro de Lideranças do Movimento Apostólico de Schoenstatt cujo tema: De Santuário a Santuário, missionários da aliança. O evento contou com a participação de mais de 90 lideranças de varias cidades do Ceará e Mossoró/RN. A coordenação do retiro composta pelos assessores Pe. Pedro Cabello diretor Regional Nordeste que alimentou a todos com a espiritualidade Schoenstatt e ampliou os conhecimentos de todos os presentes com a palestra: O Papel do Pai e Fundador no Mistério de Schoenstatt. A ir. Neiva Assessora do Movimento no Estado do Ceará e da Cidade de Mossoró-RN seguia enriquecendo o retiro com a palestra: O Mistério de Schoenstatt. A definição do “mistério de Schoenstatt”: “A vinculação local e a fecundidade universal da Mãe Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt, ambas como fruto da livre ação das forças, da graça divina, e da livre cooperação humana”.
Já a Palestra Missionários do Mistério de Schoenstatt, foi realizado pelo casal Otavio e Fátima uma das grandes lideranças do movimento de schoenstatt em Fortaleza-CE, e assim finaliza o ciclo de palestras. Antes mesmo da finalização do retiro já se comentava da importância do mesmo, do fortalecimento na missão, dos estudos a serem realizados em suas comunidades com os demais membros e colaboradores do movimento. Segundo o próprio Otávio na sua explanação ele diz: temos que ter a consciência de que a vivência da missão deve realizar-se por um trabalho intenso de sair de si e caminhar em direção ao outro.

Para refletir.

A palavra alemã “SCHOENSTATT” quer dizer “BELO LUGAR”. É o nome do vale onde se localiza o Santuário da Mãe Rainha Três Vezes Admirável, o Santuário Original. É Schoenstatt, porque é realmente um lugar lindo, mas, principalmente, porque ali se pode experimentar de maneira especial a intercessão materna de Maria em favor de seus filhos, a presença e a atuação de Cristo e Maria.

Mas o nome é também missão. Assim, a partir deste trono de graças, Maria iniciou sua missão de transformar o mundo num “belo lugar”, onde reina seu Filho Jesus.

A Mãe e Rainha de Schoenstatt não quiseram ter somente ‘um Schoenstatt’ um ‘belo lugar’ para si mesmo no mundo. Ela quis que esta atmosfera de paraíso conquistasse o mundo inteiro. De diversas formas e muitos lugares, onde corações generosos assumem a Aliança de amor de 18 de outubro de 1914, o Santuários de Schoenstatt se torna presente nos Santuários filiais, nos Santuários-lar, na Mãe Peregrina de Shoenstatt e no Santuário coração de seus filhos.

Por isso, hoje Schoenstatt não é somente ‘um’ lugar de graças, às margens do Rio Reno, na Alemanha. Schoenstatt é uma ‘rede de Santuários’, e quer ser uma ponte entre o céu e a terra, até que o mundo inteiro possa tornar-se um ‘belo lugar’.

Partes essenciais dos Mistérios de Schoenstatt

1º Vinculação local da Mãe Três Vezes Admirável.
2º Fecundidade Espiritual Universal.
3º A colaboração humana.

Evangelho (João 15,26–16,4a)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
15,26“Quando vier o Defensor que eu vos mandarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim.
27E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo. 16,1Eu vos disse estas coisas para que a vossa fé não seja abalada. 2Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que aquele que vos matar julgará estar prestando culto a Deus. 3Agirão assim, porque não conheceram o Pai, nem a mim. 4aEu vos digo isto, para que vos lembreis de que eu o disse, quando chegar a hora”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Espírito enviado por Jesus e pelo Pai

Este texto conclui a fala de Jesus aos discípulos sobre as dificuldades que encontrarão da parte dos poderosos chefes deste mundo. João escreve seu evangelho na década de noventa e este texto reflete o contexto do momento em que escrevia. De modo particular temos aí uma alusão do evangelista à expulsão dos cristãos judeus das sinagogas alguns anos antes. Os cristãos oriundos do judaísmo continuaram a freqüentar o Templo e as sinagogas. Após a destruição do Templo de Jerusalém, no ano 70, os fariseus, querendo afirmar sua identidade judaica, enrijeceram as observâncias legais da Lei de Moisés (Torá). Parte dos judeus que haviam aderido ao cristianismo voltou atrás. Porém aqueles que permaneceram fieis à sua opção cristã foram expulsos e perseguidos, sendo confortados pelas palavras de Jesus. De modo especial o Espírito da Verdade e do Amor, enviado por Jesus e pelo Pai, fortalece os discípulos na sua fidelidade, ao longo da história, de maneira a permanecerem em suas comunidades e em sua missão, perseverantes diante das intimidações e seduções dos poderosos que, muitas vezes, pretendem agir em nome de Deus.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Fernando

Nasceu na Espanha, no ano de 1198, na família real. Fugiu daquilo que poderia perverter sua vida moral e tinha grande amor a Virgem Santíssima, pelo fato de ter ficado muito enfermo quando criança, e, através da intercessão de Nossa Senhora ele recuperou a saúde. Foi um jovem mariano e eucarístico.

Fernando descobriu sua vocação ao matrimônio e casou-se com Beatriz. Teve 13 filhos. Assumiu o reinado e não descuidou de seu povo, tratando-os como filhos, em especial os pobres.

Viveu um reinado justo marcado pela fé, caridade e esperança.

Com a saúde fragilizada aos 54 anos, pegou uma grave enfermidade, recebeu os Sacramentos e quis comungar Jesus Eucarístico de joelhos, num ato de adoração. Abraçou a cruz, aconselhou os filhos e partiu para a Glória.

São Fernando, rogai por nós!

Evangelho (João 14,15-21)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 15Se me amais, guardareis os meus mandamentos, 16e eu rogarei ao Pai, e ele vos dará um outro Defensor, para que permaneça sempre convosco: 17o Espírito da Verdade, que o mundo não é capaz de receber, porque não o vê nem o conhece. Vós o conheceis, porque ele permanece junto de vós e estará dentro de vós. 18Não vos deixarei órfãos. Eu virei a vós. 19Pouco tempo ainda, e o mundo não mais me verá, mas vós me vereis, porque eu vivo e vós vivereis. 20Naquele dia sabereis que eu estou no meu Pai e vós em mim e eu em vós. 21Quem acolheu os meus mandamentos e os observa, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Comunhão com Jesus e o Pai, no Espírito

João, com seu harmonioso estilo literário, reapresenta, ao longo do discurso de despedida de Jesus na última ceia, os principais temas da revelação: o amor do Pai e de Jesus; os mandamentos de Jesus e o novo mandamento do amor; o crer em Deus e em Jesus, Caminho, Verdade e Vida; o conhecer Jesus e o Pai; permanecer em Jesus; o dom do Espírito de Amor e o dom da vida eterna na comunhão com Jesus e o Pai, no Espírito. No evangelho de hoje, trecho deste discurso, é retomado o tema dos mandamentos de Jesus e sua observância, e o dom do Espírito. Os mandamentos de Jesus se expressam em formas diversas: guardar a sua palavra, ter fé e praticar o que ele viveu, crer nele e ter a vida eterna, praticar a verdade, acolher seu testemunho, trabalhar pelo alimento que permanece para a vida eterna, servi-lo e seguir seu exemplo de serviço. Todos seus mandamentos convergem para o seu novo mandamento: "Amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros" (Jo 13,34.35; 15,12 - cf. 27 maio). A culminância dos mandamentos é o amor divino de Jesus a ser vivido pelos discípulos, em comunhão de vida eterna com o Pai. Associado a este amor está o dom do Paráclito, o Espírito da Verdade. O Pai dará este Espírito, ele permanece junto de nós e está em nós. Futuro e presente se unem, no dom do Espírito. O Paráclito, palavra de origem grega, significa consolador ou defensor. O termo grego, em suas variantes, é abundantemente usado nos textos paulinos, com o sentido de consolo. É também usado algumas vezes em Lucas, e uma única vez nos sinóticos, na bem-aventurança dos que choram (Mt 5,4). Com a sentença: "Ainda um pouco de tempo e o mundo não mais me verá; mas vós me vereis, porque eu vivo, e vós vivereis", Jesus afirma sua permanência na vida divina e eterna e o dom desta vida àqueles que cumprem seu mandamento de amor. A expressão "porque eu vivo" se diferencia da tradição sacrifical judaica-cristã segundo a qual Jesus morto na cruz transforma-se em um cadáver a ser reanimado novamente por sua ressurreição, tornado então Filho de Deus, como prêmio de seu auto-sacrifício. O Espírito que nos é dado nos revela a presença de Jesus entre nós: "Não vos deixarei órfãos: eu voltarei a vós... Naquele dia sabereis que eu estou no meu Pai, e vós em mim, e eu em vós ". A volta de Jesus, ele no Pai, os discípulos nele e ele nos discípulos, significa a comunhão de vida eterna com Deus já neste mundo, a partir da comunhão de amor. Na primeira leitura, a imposição das mãos para a comunicação do Espírito é apresentada como complemente ao "batismo de Jesus". Contudo, em sentido oposto, mais adiante, em Atos (10,44-48), quando Pedro, na Samaria, ainda falava, o Espírito Santo caiu sobre todos os que ouviam a Palavra. Então Pedro declara: "Poderia alguém recusar a água do batismo para estes que receberam o Espírito Santo, assim como nós?". E determinou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo. Na segunda leitura, a comunidades que sofrem perseguições, é dado um estímulo a serem testemunhas de sua esperança, a partir do testemunho de Jesus, "morto, sim, na carne, mas vivificado no Espírito". O Espírito é a garantia da permanência na vida divina, no sofrimento ou na morte física.
 
José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Maximino

Nasceu na França no século IV e muito cedo sentiu o chamado a vida sacerdotal.

Sucedeu Agrício e teve que combater o Arianismo, que confundia muitos cristãos.

São Maximino apoiou Santo Atanásio nessa luta, sofreu com ele, e se deparou até com o Imperador.
Bispo da Igreja, viveu seu magistério e serviço à Palavra sob ataques, mas não conseguiram matá-lo. Viveu até o ano de 349 deixando este testemunho e convocação: sermos cooperadores da verdade.

O santo de hoje é um ícone do amor a Cristo, à Igreja e à Verdade.

São Maximino, rogai por nós!