Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





REUNIÃO



Convidamos todos os Coordenadores do Terço dos Homens Mãe Rainha de Mossoró para reunião que ocorrerá hoje às 15h. na Casa da Mãe Rainha localizada a rua Marechal Hermes, 345 - Bom Jardim Mossoró-RN, a reunião é aberta a todos os membros do Terço. Participem

Coordenação Diocesana

Evangelho (João 7,40-53)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 40ao ouvirem as palavras de Jesus, algumas pessoas diziam: “Este é, verdadeiramente, o Profeta”. 41Outros diziam: “Ele é o Messias”. Mas alguns objetavam: “Porventura o Messias virá da Galileia? 42Não diz a Escritura que o Messias será da descendência de Davi e virá de Belém, povoado de onde era Davi?”
43Assim, houve divisão no meio do povo por causa de Jesus. 44Alguns queriam prendê-lo, mas ninguém pôs as mãos nele. 45Então, os guardas do Templo voltaram para os sumos sacerdotes e os fariseus, e estes lhes perguntaram: “Por que não o trouxestes?”
46Os guardas responderam: “Ninguém jamais falou como este homem”. 47Então os fari­seus disseram-lhes: “Também vós vos dei­xastes enganar? 48Por acaso algum dos chefes ou dos fariseus acreditou nele? 49Mas esta gente que não conhece a Lei, é maldita!”
50Nicodemos, porém, um dos fariseus, aquele que se tinha encontrado com Jesus anteriormente, disse: 51“Será que a nossa Lei julga alguém, antes de o ouvir e saber o que ele fez?” 52Eles responderam: “Também tu és galileu, porventura? Vai estudar e verás que da Galileia não surge profeta”. 53E cada um voltou para sua casa.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus suscita controvérsia

Jesus está na festa das Tendas, em Jerusalém. João a chama de "festa dos judeus" (7,2) indicando que o interesse de Jesus não era a festa, mas o anúncio da Boa Nova aos peregrinos que chegavam. Em João é frequente a referência genérica a "judeus" como os adversários de Jesus. Jesus suscita a controvérsia em relação à sua pessoa. É o profeta que anunciará o messias ou é o próprio Messias (Cristo) triunfante? Para os chefes e os fariseus a origem humilde de Jesus não permite nenhuma destas interpretações. Porém, para o povo oprimido, Jesus "fala como jamais ninguém falou". É o anúncio da novidade do Reino, que suscita a curiosidade das mentes submissas à ideologia do poder. Mas o amadurecimento é lento. Exige escuta, acolhida e libertação.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Leopoldo Mandic

O santo de hoje foi um herói dos confessionários. Nasceu na Dalmácia (ex-Iugoslávia) no ano de 1866, dentro de uma família croata, que o formou bem para a vida com Deus e para o amor aos irmãos.

Foi discernindo sua vocação, e aos 16 anos tomou uma decisão: queria servir a Deus promovendo a reconciliação, a reunificação dos cristãos ortodoxos na Igreja Católica. E o Espírito Santo o encaminhou para entrar na vida franciscana.

Leopoldo tinha a saúde muito fragilizada e, ao mesmo tempo, aquele desejo de ir para o Oriente e promover a comunhão dos cristãos.

Ingressou na Ordem Franciscana em 1884 e em 1890 já era sacerdote. Seu pedido era insistente a seus superiores, para que o enviasse para essa missão de unificação, mas dentro do discernimento e de sua debilidade física, ele tinha que obedecer e ir de convento em convento, até que em 1909 chegou em Pádua, na Itália, no Convento de Santa Cruz.

Esse frade descobriu em cada alma o seu 'Oriente'. E por obediência e amor, atendia-os por horas, sempre em espírito de oração e de abertura aos carismas do Espírito Santo.

Com 76 anos partiu para o Céu, e hoje intercede por nós.

São Leopoldo Mandic, rogai por nós!

Evangelho (João 7,1-2.10.25-30)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus andava percorrendo a Galileia. Evitava andar pela Judeia, porque os judeus procuravam matá-lo. 2Entretanto, aproximava-se a festa judaica das Tendas. 10Quando seus irmãos já tinham subido, então também ele subiu para a festa, não publicamente mas sim, como que às escondidas.
25Alguns habitantes de Jerusalém disseram então: “Não é este a quem procuram matar? 26Eis que fala em público e nada lhe dizem. Será que, na verdade, as autoridades reconheceram que ele é o Messias? 27Mas este, nós sabemos donde é. O Cristo, quando vier, ninguém saberá donde ele é”.
28Em alta voz, Jesus ensinava no Templo, dizendo: “Vós me conheceis e sabeis de onde sou; eu não vim por mim mesmo, mas o que me enviou é fidedigno. A esse, não o conheceis, 29mas eu o conheço, porque venho da parte dele, e ele foi quem me enviou”. 30Então, queriam prendê-lo, mas ninguém pôs a mão nele, porque ainda não tinha chegado a sua hora.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Crer em Jesus

João apresenta densos momentos de revelação e destaca o conflito de Jesus com o sistema religioso a partir de suas principais festas. Enquanto nos sinóticos o conflito de Jesus é com os dirigentes judeus, fariseus, escribas, sacerdotes, em João o conflito é, genericamente, com os judeus. Por outro lado, o evangelho de João transparece grande simpatia pelos samaritanos, podendo-se pensar que teria aí a sua origem. "Vós me conheceis e sabeis de onde eu sou". É a expressão da comum condição humana de Jesus. Ele já era conhecido, é o galileu. A seguir Jesus fala da sua origem divina, a qual não foi reconhecida pelos judeus. Seus próprios discípulos eram vacilantes em reconhece-lo. Da parte dos judeus já estava decidida a sua morte. Crer em Jesus, Filho de Deus, é reconhecer a sua presença nos homens e mulheres, hoje!

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Alberto

Nasceu na Itália no ano de 1150. Foi dizendo 'sim' a vontade do Senhor. Tornou-se religioso na Ordem Agostiniana, depois padre e superior de uma Comunidade. De 'sim' em 'sim' foi caminhando na vontade do Senhor, que o queria servindo a Igreja de Cristo e ao povo de Deus no Episcopado. Foi enviado como missionário para a Terra Santa, em Jerusalém.

Homem de oração, de vida sacramental, mariano. Apaixonado por Deus, por sua Igreja, pela verdade e pelo mistério pascal.

Entre os cristãos e não-cristãos haviam aqueles que o perseguia, até que no dia da Exaltação da Santa Cruz, ele estava com todo o Clero, e foi apunhalado por um fanático anti-cristão.

Morreu perdoando e unindo o seu sangue ao Sangue de Cristo.

Santo Alberto, rogai por nós!

Evangelho (João 5,31-47)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: 31“Se eu der testemunho de mim mesmo, meu testemunho não vale. 32Mas há um outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro.
33Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade. 34Eu, porém, não dependo do testemunho de um ser humano. Mas falo assim para a vossa salvação. 35João era uma lâmpada que estava acesa e a brilhar, e vós com prazer vos alegrastes por um tempo com a sua luz.
36Mas eu tenho um testemunho maior que o de João; as obras que o Pai me concedeu realizar. As obras que eu faço dão testemunho de mim, mostrando que o Pai me enviou. 37E também o Pai que me enviou dá testemunho a meu favor. Vós nunca ouvistes sua voz, nem vistes sua face, 38e sua palavra não encontrou morada em vós, pois não acreditais naquele que ele enviou.
39Vós examinais as Escrituras, pensando que nelas possuís a vida eterna. No entanto, as Escrituras dão testemunho de mim, 40mas não quereis vir a mim para ter a vida eterna! 41Eu não recebo a glória que vem dos homens. 42Mas eu sei que não tendes em vós o amor de Deus. 43Eu vim em nome do meu Pai, e vós não me recebeis. Mas, se um outro viesse em seu próprio nome, a este vós o receberíeis.
44Como podereis acreditar, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do único Deus? 45Não penseis que eu vos acusarei diante do Pai. Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança.46Se acre­ditásseis em Moisés, também acreditaríeis em mim, pois foi a respeito de mim que ele escreveu. 47Mas se não acreditais nos seus escritos, como acreditareis então nas minhas palavras?”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

É Jesus que comunica a vida eterna

Este texto do evangelho é a parte final do longo discurso de Jesus, por ocasião da cura de um paralítico na piscina de Bezata, em um sábado, tendo suscitado a ira dos chefes judeus. Além de curar no sábado, Jesus afirmava estar agindo como enviado do Pai, afirmando sua filiação divina. Os judeus pensam ter nas Escrituras a vida eterna, porém é Jesus que comunica a vida eterna, na comunhão com o amor de Deus. As obras de Deus são obras de amor. A criação é obra de transbordamento de amor de Deus. Deus cria por amor e a criação encontra sua culminância no desabrochar e na manifestação da vida plena. O Pai é o Deus da vida, e a vida que se comunica na plenitude do amor é a obra de Deus realizada por Jesus. A esta obra somos vocacionados.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São João Batista de La Salle

Nasceu na França, em Reims, no ano de 1651, dentro de uma família abastada. Perdeu muito cedo seus pais, e foi ele, com este amor alimentado na oração, na vivência dos mandamentos, na vida sacramental, que educou os seus irmãos. E o carisma da educação foi brotando naquele coração chamado à vida religiosa e sacerdotal.

Estudou em Paris, e deu passos concretos de encontro às necessidades no campo da educação: cuidar e educar de maneira virtuosa os homens. Sendo assim, foi uma resposta de Deus para a Igreja.

La Salle teve uma santidade reconhecida pela sociedade. Doze 'irmãos' se uniram a ele nesse projeto de Deus. Esse sacerdote, centrado na Eucaristia, teve suas escolas populares espalhadas pela França, Europa, e hoje, pelo mundo.

São João Batista de La Salle, fundador dos “irmãos das escolas cristãs”, nos prova que quando se tem uma inspiração, e como Igreja, ela fará bem à sociedade, vale a pena nos doarmos, mesmo que a incompreensão nos visite.

Faleceu com quase 70 anos, e é intercessor dos mestres e educadores, para que sejamos na sociedade um sinal de esperança.

São João Batista de La Salle, rogai por nós!

Evangelho (João 5,17-30)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 17Jesus respondeu aos judeus: “Meu Pai trabalha sempre, portanto também eu trabalho”. 18Então, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque, além de violar o sábado, chamava Deus o seu Pai, fazendo-se, assim, igual a Deus.
19Tomando a palavra, Jesus disse aos judeus: “Em verdade, em verdade vos digo, o Filho não pode fazer nada por si mesmo; ele faz apenas o que vê o Pai fazer. O que o Pai faz, o Filho o faz também. 20O Pai ama o Filho e lhe mostra tudo o que ele mesmo faz. E lhe mostrará obras maiores ainda, de modo que ficareis admirados.
21Assim como o Pai ressuscita os mortos e lhes dá a vida, o Filho também dá a vida a quem ele quer. 22De fato, o Pai não julga ninguém, mas ele deu ao Filho o poder de julgar, 23para que todos honrem o Filho, assim como honram o Pai. Quem não honra o Filho, também não honra o Pai que o enviou.
24Em verdade, em verdade, vos digo, quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, possui a vida eterna. Não será condenado, pois já passou da morte para a vida. 25Em verdade, em verdade, eu vos digo: está chegando a hora, e já chegou, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus e os que a ouvirem viverão.
26Porque, assim como o Pai possui a vida em si mesmo, do mesmo modo concedeu ao Filho possuir a vida em si mesmo. 27Além disso, deu-lhe o poder de julgar, pois ele é o Filho do Homem. 28Não fiqueis admirados com isso, porque vai chegar a hora em que todos os que estão nos túmulos ouvirão a voz do Filho e sairão: 29aqueles que fizeram o bem, ressuscitarão para a vida; e aqueles que praticaram o mal, para a condenação.
30Eu não posso fazer nada por mim mesmo. Eu julgo conforme o que escuto, e meu julgamento é justo, porque não procuro fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A obra do Pai é a obra do amor

O texto de João, por repetições didáticas com variantes de expressão, comunica uma mensagem central. Jesus era acusado de violar o sábado. Jesus justifica-se dizendo que seu Pai trabalha sempre e que ele faz o que vê o Pai fazer. Então condenam Jesus porque chamava Deus de Pai e fazia-se igual a Deus. A obra do Pai é a obra do amor. É eliminar a morte pela promoção da vida. É esta a obra de Jesus e a obra a ser assumida pelos discípulos, a partir da conversão. "Quem escuta a minha palavra e crê naquele que me enviou possui a vida eterna... passou da morte para a vida...". O "crer" não se limita a um ato intelectual ou de devoção. Crer é fazer as obras do Pai, como Jesus, é promover a vida , e quem crê promovendo a vida já tem a vida eterna.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Marcelino

Ocupou um cargo eminente no Império Romano entre os séculos IV e V, tanto que o imperador Honório o enviou para a África, em Cartago, devido a uma confusão com os donatistas, que ensinavam que a eficácia dos sacramentos dependia da santidade dos ministros.

Marcelino se aconselhou com seu amigo, Santo Agostinho, que era bispo de Hipona. E juntos, buscaram o bem comum e a paz para aquela cidade.

O santo de hoje foi mártir. Os donatistas vendo nele um entrave para os interesses pessoais, mandaram assassiná-lo.

Pai de família, São Marcelino é exemplo para quem quer doar-se pela verdade e pela justiça.

São Marcelino, rogai por nós!

Evangelho (João 5,1-16)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

1Houve uma festa dos judeus, e Jesus foi a Jerusalém. 2Existe em Jerusalém, perto da porta das Ovelhas, uma piscina com cinco pórticos, chamada Betesda em hebraico. 3Muitos doentes ficavam ali deitados — cegos, coxos e paralíticos. 4De fato, um anjo descia, de vez em quando, e movimentava a água da piscina, e o primeiro doente que aí entrasse, depois do borbulhar da água, ficava curado de qualquer doença que tivesse. 5Aí se encontrava um homem, que estava doente havia trinta e oito anos.
6Jesus viu o homem deitado e sabendo que estava doente há tanto tempo, disse-lhe: “Queres ficar curado?” 7O doente respondeu: “Senhor, não tenho ninguém que me leve à piscina, quando a água é agitada. Quando estou chegando, outro entra na minha frente”. 8Jesus disse: “Levanta-te, pega tua cama e anda”. 9No mesmo instante, o homem ficou curado, pegou sua cama e começou a andar.
Ora, esse dia era um sábado. 10Por isso, os judeus disseram ao homem que tinha sido curado: “É sábado! Não te é permitido carregar tua cama”. 11Ele respondeu-lhes: “Aquele que me curou disse: ‘Pega tua cama e anda’”. 12Então lhe perguntaram: “Quem é que te disse: ‘Pega tua cama e anda’?” 13O homem que tinha sido curado não sabia quem fora, pois Jesus se tinha afastado da multidão que se encontrava naquele lugar.
14Mais tarde, Jesus encontrou o homem no Templo e lhe disse: “Eis que estás curado. Não voltes a pecar, para que não te aconteça coisa pior”. 15Então o homem saiu e contou aos judeus que tinha sido Jesus quem o havia curado. 16Por isso, os judeus começaram a perseguir Jesus, porque fazia tais coisas em dia de sábado.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Conflitos no Templo

João, no seu evangelho, narra, ao longo do ministério de Jesus, cinco viagens a Jerusalém, por ocasiões de festas religiosas do Templo. Em todas estas viagens se dá um conflito entre os chefes do Templo e Jesus. Ao mencionar que se tratava de "uma festa dos judeus", o evangelista sugere que não era uma festa de Jesus. Estando em Jerusalém, Jesus não se dirige ao Templo, local da festa, mas encontra-se Porta das Ovelhas, onde se concentravam pagãos que vinham negociar em Jerusalém. Curando um paralítico aí presente Jesus revela se a fonte do amor e da vida para todos. Em contradição, os judeus promotores da festa religiosa perseguem Jesus por sua prática misericordiosa e libertadora, indiferente aos preceitos da Lei deles.

José Raimundo Oliva


A igreja celebra hoje: São Vicente Ferrer

Nascido na Espanha em 1350, viveu em tempos difíceis pois, por influência política, havia um cisma na Igreja do Ocidente: por Cardeais foi declarada inválida a eleição de Urbano VI como Papa, e foi escolhido Roberto de Genebra que tomou o nome de Clemente VII. As coroas ibéricas procuraram manter-se neutras entre os dois Papas, mas o de Avinhão esforçou-se por conquistar a obediência delas e mandou como seu legado o Cardeal Pedro de Luna. Este procurou o apoio de Vicente, que lho deu em boa fé e escreveu um tratado sobre o cisma.

São Vicente acompanhou o mesmo legado nalgumas viagens por esses reinos, regressando depois ao ensino e à pregação em Valência. Pouco depois, volta Pedro de Luna a Avinhão e sucede a Clemente VII como Papa, tomando o nome de Bento XIII. E é reclamada a presença de Vicente em Avinhão, onde passa uns anos.

São Vicente Ferrer foi um santo religioso dominicano, grande pregador e fiel ao carisma. Ele pregava sobre a segunda vinda de Jesus, o Juízo Final, mas de uma maneira que provocava uma conversão nas pessoas. Sua pregação, Deus a confirmava com sinais, milagres e conversões.

Um homem de penitência, da verdade, da esperança, que semeava a unidade e essa expectativa do Senhor que voltará.

Vicente pôde contribuir para a eleição do Papa e pôde deixar bem claro, pela sua vida, que a Palavra de Deus precisa ser anunciada com o espírito e com uma vida a serviço da verdade e da Igreja.

São Vicente Ferrer, rogai por nós!

O Poeta do Terço dos Homens Mãe Rainha Mossoró - Leandro José


Leandro José

POESIA – TERÇO DOS HOMENS


Quem diria meus irmãos
a alguns anos atrás
que existisse na igreja
um movimento capaz
de crescer constantemente
fazer temer satanás.
---
O Terço dos Homens hoje
é uma grande referência
de homens desviados
que tomaram consciência
se apegaram com o terço
pra fazer a diferença.
---
Homens viciados
no jogo e na bebida
de festas e baladas
de forma desmededida
e hoje dá testemunho
 eu mudei a minha vida.
---
Casos impossíveis
de infidelidade e separação
que causava na família
discórdia e desunião
e hoje foi superado
pelo poder da oração.
---
Pois cada Pai de família
que busca querer mudar
é uma família a menos
que não vai se separar
Deus abre as portas do céu
para a do inferno fechar.
---
É meus irmãos
tudo isso tem jeito
pois Deus é o autor da vida
e nos dá o direito
de sermos todos felizes
apesar dos nossos defeito.
---
Só Jesus é responsável
pela nossa felicidade
quem vive de bebedeira
é escravo da maldade
só quem tem Deus no coração
sabe o que é liberdade.
---
Por isso estou feliz
por fazer parte da Coordenação,
de poder presenciar
o poder dá oração
e contar com cada um
que assume essa missão.
---
Bendito louvado seja
o nome de Jesus,
por ter nos ensinado
como superar a cruz,
no meio da escuridão
estejamos com o terço na mão
e das trevas ser a luz.
---
E caminhemos todos juntos
na mesma união,
buscando a cada dia,
conquistar a perfeição,
fazer do amargo virá mel,
pra poder morar no céu,
começando aqui no chão.

FIM





Evangelho (João 4,43-54)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 43Jesus partiu da Samaria para a Galileia. 44O próprio Jesus tinha declarado, que um profeta não é honrado na sua própria terra. 45Quando então chegou à Galileia, os galileus receberam-no bem, porque tinham visto tudo o que Jesus havia feito em Jerusalém, durante a festa. Pois também eles tinham ido à festa. 46Assim, Jesus voltou para Caná da Galileia, onde havia transformado água em vinho.
Havia em Cafarnaum um fun­cionário do rei que tinha um filho doente. 47Ouviu dizer que Jesus tinha vindo da Judeia para a Galileia. Ele saiu ao seu encontro e pediu-lhe que fosse a Ca­farnaum curar seu filho, que estava morrendo. 48Jesus disse-lhe: “Se não virdes sinais e prodígios, não acreditais”. 49O funcionário do rei disse: “Senhor, desce, antes que meu filho morra!” 50Jesus lhe disse: “Podes ir, teu filho está vivo”. O homem acreditou na palavra de Jesus e foi embora.
51Enquanto descia para Ca­farnaum, seus empregados foram ao seu encontro, dizendo que o seu filho estava vivo. 52O funcionário perguntou a que horas o menino tinha melhorado. Eles responderam: “A febre desapareceu, ontem, pela uma da tarde”. 53O pai verificou que tinha sido exatamente na mesma hora em que Jesus lhe havia dito: “Teu filho está vivo”. Então, ele abraçou a fé, juntamente com toda a sua família. 54Esse foi o segundo sinal de Jesus. Realizou-o quando voltou da Judeia para a Galileia.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus volta à Galiléia


Tendo recebido um bom acolhimento na Samaria, Jesus volta à Galiléia, de população predominantemente gentílica, onde desenvolve seu ministério. Aí é procurado, com fé, por um funcionário real. É alguém revestido de poder. Seria um gentio, se o considerarmos como sendo o centurião das narrativas paralelas de Mt e Lc. Após um desafio à fé do funcionário, Jesus anuncia a cura, à distância, de seu filho, salvando-o da morte. Nesta narrativa o destaque é a fé de um gentio, funcionário do rei, bem como de toda sua família. É feito assim um contraste com os judeus, que rejeitam Jesus. A confiança no amor e na palavra de Jesus faz passar da morte para a vida, em qualquer povo ou nação.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Isidoro

O santo de hoje é resultado de uma família de santos, gente que buscou a vontade de Deus em tudo.

Nasceu na Espanha no ano de 560, perdeu os pais muito cedo e ficou aos cuidados dos irmãos que, recebendo dos pais uma ótima formação cristã, puderam introduzir o pequeno Isidoro a este relacionamento com Deus.

Ele se deparou com muitos limites, por exemplo, nos estudos. E fugia desse compromisso.

No entanto, com a graça divina e o esforço humano, ele transcendeu e retomou os estudos, tornando-se um dos homens mais cultos, versados e reconhecido pela Igreja como doutor.

Santo Isidoro foi um homem humilde, de oração e penitência, que buscava a salvação das almas, a edificação das pessoas.

Com o falecimento de um irmão seu, foi eleito bispo em Sevilha, consumindo-se de amor a Cristo, no povo.

Santo Isidoro, rogai por nós!

3º ANIVERSÁRIO TERÇO DOS HOMENS DA CAPELA DE SÃO PEDRO NO ABOLIÇÃO IV

Na ultima quinta feira dia 31 de março o grupo do Terço dos Homens Mãe Rainha da Capela de São Pedro no Conjunto abolição IV comemorou o seu 3º aniversário de fundação. Participaram da comemoração varios grupos da Cidade. Após a recitação do Terço a Senhora Maria Afonso proferiu Palestra aos convidados e familiares do Terço dos Homens. A animação ficou por conta do coral da comunidade do Redenção. Agradecemos ao Amigo Jean Torquato e desejamos a todos os homens do Terço muita luz e dedicação ao apostolado para que venha cada vez mais agradar o Coração de Jesus e de Maria. Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, Rogai por nós e abençoai as famílias do mundo inteiro.
Capela de São Pedro Abolição IV

Maria Afonso

Momento de Convivência Fraterna.

Evangelho (João 9,1.6-9.13-17.34-38)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1ao passar, Jesus viu um homem cego de nascença. 6E cuspiu no chão, fez lama com a saliva e colocou-a sobre os olhos do cego. 7E disse-lhe: “Vai lavar-te na piscina de Siloé” (que quer dizer: Enviado). O cego foi, lavou-se e voltou enxergando.
8Os vizinhos e os que costumavam ver o cego — pois ele era mendigo — diziam: “Não é aquele que ficava pedindo esmola?” 9Uns diziam: “Sim, é ele!” Outros afirmavam: “Não é ele, mas alguém parecido com ele”.
Ele, porém, dizia: “Sou eu mesmo!”
13Levaram então aos fariseus o homem que tinha sido cego. 14Ora, era sábado, o dia em que Jesus tinha feito lama e aberto os olhos do cego. 15Novamente, então, lhe perguntaram os fariseus como tinha recuperado a vista. Respondeu-lhes: “Colocou lama sobre meus olhos, fui lavar-me e agora vejo!”
16Disseram, então, alguns dos fariseus: “Esse homem não vem de Deus, pois não guarda o sábado”. Mas outros diziam: “Como pode um pecador fazer tais sinais?”
17E havia divergência entre eles. Perguntaram outra vez ao cego: “E tu, que dizes daquele que te abriu os olhos?” Respondeu: “É um profeta”.
34Os fariseus disseram-lhe: “Tu nasceste todo em pecado e estás nos ensinando?” E expulsaram-no da comunidade.
35Jesus soube que o tinham expulsado. Encontrando-o, perguntou-lhe: “Acreditas no Filho do Homem?” 36Respondeu ele: “Quem é, Senhor, para que eu creia nele?” 37Jesus disse: “Tu o estás vendo; é aquele que está falando contigo”. Exclamou ele: 38“Eu creio, Senhor!” E prostrou-se diante de Jesus.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Contraste entre o "ver" e o "cego"

O evangelho de João tem como uma de suas principais características os longos diálogos de Jesus, carregados de simbolismo e que se desenvolvem a partir de cenas impregnadas de realismo e suspense. A mensagem central do diálogo de hoje é a acolhida à revelação de Jesus, enfatizada pelo contraste entre o "ver" e o "cego". No texto encontramos 14 vezes a palavra "cego" e 18 referências ao "ver". Os fariseus continuam cegos e expulsam da sinagoga aquele que vê. Aqueles que na Lei de Israel acham que vêm tudo, na realidade, como cegos, não vêm a novidade da luz de Jesus. Por três vezes há uma referência à expulsão da sinagoga: os pais do cego curado "tinham medo dos judeus pois estes já tinham combinado expulsar da sinagoga quem confessasse que Jesus era o Cristo"; o cego finalmente é expulso da sinagoga; e Jesus fica sabendo que o expulsam. Há aqui uma alusão do evangelista ao fato de os cristãos originários do judaísmo, os quais até então freqüentavam as sinagogas, terem sido expulsos das mesmas pelos chefes fariseus, cerca do ano 80. Isto porque estes fariseus pretendiam rigidamente reencontrar sua identidade judaica através a estrita observância da sua Lei, uma vez que com a destruição do templo de Jerusalém no ano 70 pelos romanos, esta identidade ficara abalada. O texto da primeira leitura, surgido no ambiente das elites do palácio real e do Templo de Jerusalém, exalta a figura de Davi, "de belos olhos e aparência formosa", com o "Espírito do Senhor". Contudo Jesus, com a proclamação de sua Boa Nova, denunciou e rejeitou o centralismo de poder político e religioso no Templo de Jerusalém e a sua opressão, que tem raízes na tradição da realeza davídica. Denunciou também a hipocrisia das aparências que ocultam ambição de poder e dominação. Em Jesus manifesta-se a luz da bondade da justiça e da verdade, que revela os segredos ocultos.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Ricardo

Com alegria contemplamos a vida de santidade do nosso irmão da fé São Ricardo, que hoje brilha no Céu como intercessor de todos os irmãos que peregrinam na Igreja terrestre.

Nascido em 1197, era pobre, teve dificuldade de estudar e perdeu muito cedo seus pais.

No seu tempo, Ricardo começou a ver a ignorância e superstição; ambição dos nobres; luxo do clero; regalismo do trono e decadência da vida monástica. Diante de sua realidade, não se entregou a murmurações e desânimos, mas como professor e reitor da Universidade de Oxford decidiu-se pela santidade, a fim de ser instrumento de renovação da Igreja na Inglaterra.

Unido aos frades franciscanos e dominicanos, Ricardo fez de tudo, - como leigo, sacerdote e bispo ordenado pelo Papa - para reverter a resistência do rei que não queria a sua ordenação e, de toda situação triste que acabava atingindo duramente o povo. São Ricardo, até entrar na Casa do Pai com 56 anos, por dois anos coordenou sua diocese clandestinamente, visitando pobres, doentes e fazendo de tudo para evangelizar e ajudar na santificação dos mosteiros, clero e nobres ingleses, isto principalmente depois que o rei se dobrou sob ameaça de excomunhão do Papa.

São Ricardo, rogai por nós!