Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





UM TESTEMUNHO VERIDICO SOBRE O TERÇO
Veja a humildade de uma devota de MARIA Santíssima


Havia uma senhora simples que vendia verduras na vizinhança. Vendia alface, cebolinha etc. Certo dia, tia Tecoã , conhecida por toda a vizinhança, foi vender suas verduras na casa de um protestante, e perdeu o terço no jardim da casa deste.
Passados alguns dias, tia Tecoã voltou novamente a sua casa. Este veio logo zombar de tia Tecoã, ele dizia para ela:
_ Você perdeu o seu Deus?
Ela humildemente respondeu:
_ Eu, perder meu Deus? Nunca!
Então ele pegou o terço e disse:
Não é este o seu Deus?
Ela disse:
_ Graças a Deus o senhor encontrou o meu terço, muito obrigado.
Ele disse:
_ Por que você não troca este cordão com estas sementinhas pela Bíblia?
Ela disse:
_ Porque a Bíblia eu não sei ler, e com terço eu medito toda a palavra de Deus e a guardo no coração.
Ele perguntou:
Medita a palavra de Deus? Como assim?
Poderia me dizer?
Posso Sim, respondeu ta Tecoa,
Pegando o terço, e disse:
Quando eu pego na cruz, lembro-me que o filho de Deus derramou todo seu sangue pregado numa cruz para salvar a humanidade. Esta primeira conta grossa me lembra que há um só Deus onipotente. Estas três contas pequenas me lembram as três pessoas da santíssima trindade: Pai, Filho e Espírito Santo. Esta conta grossa me faz lembrar a oração que o senhor mesmo nos ensinou, que é o Pai nosso. O terço tem cinco mistérios que fazem lembrar as Cinco chagas de nosso senhor Jesus Cristo cravado a cruz, e cada mistério tem dez (10) Ave Mara, que me faz lembrar os 10 mandamentos que o senhor mesmo escreveu na tabua de Moisés.
O rosário de Nossa senhora tem 15 mistérios, que são os Cinco Dolorosos cinco Gozosos e Cinco Gloriosos. De manha quando me levanto para iniciar minha luta do dia eu rezo os gozosos, lembrando-me do humilde lar de Maria de Nazaré. No meio dia, no meu cansaço e na fadiga do trabalho, eu rezo os mistérios dolorosos, que me fazem lembrar a dura caminhada de Jesus Cristo para o calvário. Quando chega o fim do dia, com as lutas todas vencidas eu rezo os mistérios gloriosos, que me fazem lembrar que Jesus venceu a morte para dar a salvação a toda a humanidade. E agora me diga onde está a idolatria?
Ele, depois de ouvir tudo isso, disse:
_ Eu não sabia disso, ensina-me, tia Tecoã, a rezar o terço.

Hoje desejo dizer a todos vocês para rezar antes de cada trabalho e terminar com oração. Se fizerem assim, Deus abençoará você e o seu trabalho. Nestes dias, vocês têm rezado pouco e trabalhado muito. Então, rezem! Na oração encontrarão repouso.

REZEM UM TERCO, TODOS OS DIAS. (e o pedido da virgem Maria para ajudarmos a salvar o mundo)
COMUNICADO

Hoje dia 10 de julho de 2010 reunião com todos os coordenadores do Terço dos Homens Mãe Rainha em Mossoró.
Local: Igreja Matriz de São Manoel – Mossoró/RN. às 15h

Evangelho (Mateus 10,24-33)

14ª Semana Comum


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 24“O discípulo não está acima do mestre, nem o servo acima do seu senhor. 25Para o discípulo, basta ser como o seu mestre, e para o servo, ser como o seu senhor. Se ao dono da casa eles chamaram de Bel­zebu, quanto mais aos seus familiares!
26Não tenhais medo deles, pois nada há de encoberto que não seja revelado, e nada há de escondido que não seja conhecido. 27O que vos digo na escuridão, dizei-o à luz do dia; o que escutais ao pé do ouvido, pro­clamai-o sobre os telhados! 28Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas não podem matar a alma! Pelo contrário, temei aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno!
29Não se vendem dois pardais por algumas moedas? No entanto, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do vosso Pai. 30Quanto a vós, até os cabelos da cabeça estão todos contados. 31Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais.
32Portanto, todo aquele que se declarar a meu favor diante dos homens, também eu me declararei em favor dele diante do meu Pai que está nos céus. 33Aquele, porém, que me negar diante dos homens, também eu o negarei diante de meu Pai que está nos céus.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus veio para as multidões oprimidas

A missão não deve esmorecer diante das dificuldades. O próprio Jesus foi perseguido e caluniado. "Não tenhais medo deles." "Eles", as minorias dos poderosos que governam o mundo, colocando-o a serviço de seus interesses econômicos. Jesus veio para as multidões oprimidas, mas foi rejeitado e morto por "eles". Estas palavras de Jesus referem-se ao medo da morte. Este medo deve ser descartado. A morte não é uma derrota, não é o fim. Pela fidelidade a Jesus, ao seu anúncio e testemunho, o discípulo é acolhido por Jesus e pelo Pai na vida eterna.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Olavo

Hoje a Igreja nos convida a contemplar a vida de Santo Olavo, o santo rei da Noruega. Nascido em 995 numa família real, Olavo mostra-nos com sua vida que a santidade não escolhe profissão, nem posição social, pois ela não vêm sobre classes, mas sim em corações abertos à Graça de Cristo.

Aconteceu que o jovem Olavo foi para a Inglaterra numa expedição e assim pôde conhecer Jesus, o Cristianismo e ser batizado, isto em 1014. Ao voltar para a casa, Olavo, que era herdeiro do trono, encontrou o falecimento do pai e usurpadores do reino. Assim teve Olavo de assumir o trono e submeter os inimigos pelo combate.

Quando esteve no poder, Santo Olavo buscou a santidade como rei; sem deixar de fazer de tudo para levar Deus aos súditos, por isso, procurou acabar com o paganismo, construir igrejas e trazer sacerdotes da Inglaterra para evangelizar seu povo. Todos os esforços de Olavo para submeter a Noruega ao Rei dos reis e Senhor dos senhores encontraram êxitos e barreiras, ao ponto do santo rei ter que ficar por um tempo exilado e ao voltar foi vítima de um conflito armado em 1030.

Santo Olavo, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 10,16-23)



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 16“Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas. 17Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas.
18Vós sereis levados diante de governadores e reis, por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. 19Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados como falar ou o que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. 20Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós.
21O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais, e os matarão. 22Vós sereis odiados por todos, por causa de meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo. 23Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra. Em verdade vos digo, vós não aca­bareis de percorrer as cidades de Israel, antes que venha o Filho do Homem.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho


Perseverança, na alegria e na paz



Aqueles que são portadores da paz vão encontrar lobos pelos caminhos. São aqueles poderosos que devoram os pobres e fracos na ânsia de crescerem em suas riquezas. Não se amam. Armam-se até os dentes e fazem as guerras, às custas de vidas inocentes entre os agressores e os agredidos. Sustentam estruturas socioeconômicas injustas, elaboram leis que os favorecem. Têm nas mãos os meios de comunicação que iludem e corrompem. Assim, interferem na cultura com falsos valores que criam divisões no seio das próprias famílias. Neste quadro de trevas brilham os bem-aventurados, injuriados e perseguidos por sua fidelidade a Jesus, o Filho do homem. Por sua perseverança, na alegria e na paz, constroem um mundo novo.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santa Paulina do Coração Agonizante de Jesus

Hoje comemoramos a santidade de vida da naturalizada brasileira Amábile Lúcia Visintainer que nasceu no ano de 1865 e partiu para a Glória em 1942. Nascida em Vigolo Vattaro (Itália), com apenas 10 anos de idade emigrou com seus pais para o Brasil dirigindo-se para o Estado de Santa Catarina, no sul do país.

Santa Paulina, antes de entrar para a vida consagrada, dedicou-se religiosamente em cuidar de uma senhora com câncer e a partir desta experiência caridosa deu-se a descoberta do Carisma que fora reconhecido em 1895 pelo Bispo de Curitiba, Paraná, com o nome de Filhas da Imaculada Conceição.

Na oração litúrgica da Igreja é pedido a Deus para nós fiéis a virtude do serviço, motivado pelo amor, a qual mais brilhou no coração da virgem Paulina do Coração Agonizante de Jesus.

Santa Paulina, rogai por nós!
14ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.



Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7“Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar!
9Não leveis ouro nem prata nem dinheiro nos vossos cintos; 10nem sacola para o caminho, nem duas túnicas nem sandálias nem bastão, porque o operário tem direito a seu sustento. 11Em qualquer cidade ou povoado onde en­trar­des, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hos­pedai-vos com ele até a vossa partida.
12Ao entrardes numa casa, saudai-a. 13Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz. 14Se alguém não vos receber, nem escutar vossa palavra, saí daquela casa ou daquela cidade, e sacudi a poeira dos vossos pés. 15Em verdade vos digo, as cidades de Sodoma e Gomorra serão tratadas com menos dureza do que aquela cidade, no dia do juízo.



- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Somos introduzidos no Reino pela conversão



A narrativa do envio missionário dos Doze apóstolos está presente nos três Evangelhos sinóticos. Ela é semelhante ao envio dos setenta e dois em Lucas. Percebe-se que ela exprime normas para a ação missionária nas primeiras comunidades, a partir da memória do ministério de Jesus. O núcleo do anúncio é a proximidade do Reino dos Céus. É o anúncio que tem suas raízes na pregação de João Batista e de seu batismo. O Reino está próximo, isto é, está perto de nós, ao nosso alcance, para ser vivido no dia a dia. Somos introduzidos no Reino pela conversão, ou seja, pela mudança de vida, assumindo o compromisso da luta e a prática da justiça. A novidade do Reino é a superação deste mundo dominado pelos poderosos que ambicionam e acumulam riqueza e poder, praticam a injustiça, semeando a morte, oprimem e excluem as maiorias. O discípulo e o missionário são portadores da paz que é desejada por todos os povos.

José Raimundo Oliva
Um dado importante é que de cada três Papas, praticamente, um foi oficialmente declarado santo. Assim aconteceu com Santo Eugênio, que se tornou para a Igreja o homem certo para o tempo devido. Eugênio III nasceu no fim do século XI, em Pisa na Itália e, depois de ordenado, consagrou-se a Deus como sacerdote, até que abandonou todas suas funções para viver como monge.



O grande reformador da vida monástica – São Bernardo – o acolheu a fim de ajudá-lo na busca da santidade, assim como no governo da Igreja, pois inesperadamente o simples monge foi eleito para sucessor na Cátedra de Pedro. A Roma da época sofria com a agitação de Arnaldo de Bréscia, que reclamava instituições municipais com eleições diretas dos senadores, talvez por isso chegou a impedir a ordenação e posse de Eugênio, já que tinha sido eleito pelo Espírito Santo numa instituição de origem divina.



O Papa Eugênio teve muitas dificuldades no governo da Igreja, tanto assim que, teve de sair várias vezes de Roma, mas providencialmente aproveitou para evangelizar em outras locais como Itália e França. Além de promover quatro Concílios e lutar pela restauração dos santos costumes, Santo Eugênio zelou pela salvação das almas, com tanta dedicação, que passou por inúmeros sofrimentos.

Santo Eugênio, rogai por nós!

14ª Semana Comum





— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.



Naquele tempo, 1Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos maus e de curar todo tipo de doença e enfermidade. 2Estes são os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João; 3Filipe e Bartolo­meu; Tomé e Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu; 4Simão, o Zelota, e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus. 5Jesus enviou estes Doze, com as seguintes recomendações: “Não deveis ir aonde moram os pagãos, nem entrar nas cidades dos samaritanos! 6Ide, antes, às ovelhas perdidas da casa de Israel! 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’”.



- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus entre as multidões

Os três evangelistas sinóticos associam a escolha e o envio dos Doze a um sumário da missão de Jesus entre as multidões. Lucas situa esta escolha associada a um momento de oração de Jesus, seguindo-se o referido sumário; Mateus, por sua vez, situa a escolha dos Doze após o sumário da missão, no qual as multidões carentes, "como ovelhas sem pastor", motivam um apelo missionário. No envio dos Doze, Mateus é o único a mencionar a recomendação restritiva à ida "às ovelhas perdidas de Israel", com a exclusão dos territórios pagãos e das cidades dos samaritanos. Nos demais evangelistas a missão é universal, sem restrições, podendo-se perceber até uma prioridade aos gentios. Jesus viveu e exerceu seu ministério na Galileia, território predominantemente gentílico, e teve uma boa acolhida entre os samaritanos (Jo 4). O caráter restritivo de Mateus pode exprimir uma limitação circunstancial da missão ao ambiente judaico, a partir dos convertidos judeo-cristãos.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Adriano

Adriano viveu no século IV. Era casado com Natália. Recebia oração e via o testemunho de sua esposa nas pequenas coisas, na fidelidade, no amor a Deus e a ele.



Adriano pertencia à chefia da guarda romana, onde o Imperador Diocleciano perseguia duramente os cristãos. Numa ocasião, foram presos 22 cristãos, que testemunharam Jesus perante os tribunais. O coração de Adriano se decidiu por Cristo naquele momento e quis pertencer ao número daqueles heróis do Senhor. Decidiu-se por Cristo, foi preso, sofreu todas as pressões para negar a fé em Cristo e na Igreja.



Natália acompanhou tudo e orava pela fidelidade de seu esposo a Cristo. Adriano teve uma última chance de declarar seu amor à esposa e foi martirizado, queimado vivo, juntamente com os outros 22 cristãos.



Santo Adriano, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 9,32-38)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 32apresentaram a Jesus um homem mudo, que estava possuído pelo demônio. 33Quando o demônio foi expulso, o mudo começou a falar. As multidões ficaram admiradas e diziam: “Nunca se viu coisa igual em Israel”. 34Os fariseus, porém, diziam: “É pelo chefe dos demônios que ele expulsa os demônios”.
35Jesus percorria todas as cidades e povoados, ensinando em suas sinagogas, pregando o Evangelho do Reino, e curando todo tipo de doença e enfermidade. 36Vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. Então disse a seus discípulos: 37“A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. 38Pedi pois ao dono da messe que envie trabalhadores para a sua colheita!”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus prossegue seu ministério libertador

Com uma breve narrativa inicial de exorcismo e cura de um possesso mudo, réplica resumida da narrativa em 12,22-32, Mateus completa a coletânea de dez milagres (caps. 8 e 9), com a qual ele prepara o discurso apostólico que se segue (cap. 10). As narrativas de milagres revelam a prática libertadora e vivificante de Jesus. A cura do possesso suscita um violento conflito com os fariseus. O poder institucional escandaliza-se com a prática de Jesus e procura difamá-lo e desacreditá-lo. A seguir, temos o sumário do andamento da obra missionária. É o prelúdio do discurso apostólico. Ele compreende três observações sobre desenvolvimento do ministério de Jesus: Jesus prossegue seu ministério libertador; as multidões continuam a acompanhá-lo; a tarefa é enorme. Jesus, desde o início, ao chamar discípulos mais próximos a si, já tinha o propósito de integrá-los e partilhar com eles este seu ministério.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santa Maria Goretti

A Igreja, neste dia, celebra a virgem e mártir que encantou e continua enriquecendo os cristãos com seu testemunho de "sim" a Deus e "não" ao pecado. Nascida em Corinaldo, centro da Itália, era de família pobre, numerosa e camponesa, mas muito temente a Deus.

Com a morte do pai, Maria Goretti, com os seus, foram morar num local perto de Roma, sob o mesmo teto de uma família composta por um pai viúvo e dois filhos, sendo um deles Alexandre. Aconteceu que este jovem por várias vezes tentou seduzir Goretti, que ficava em casa para cuidar dos irmãozinhos. E por ser uma menina temente a Deus, sua resposta era cheia de maturidade: "Não, não, Deus não quer; é pecado!"

Santa Maria Goretti, certa vez, estava em casa e em oração, por isso quando o jovem, que era de maior estatura e idade, tentou novamente seduzi-la, Goretti resistiu com mais um grande não. A resposta de Alexandre foram 14 facadas, enquanto da parte de Goretti, percebemos a santidade, na confidência à sua mãe: "Sim, o perdôo... Lá no céu, rogarei para que ele se arrependa... Quero que ele esteja junto comigo na glória eterna".

O martírio desta adolescente, de apenas 12 anos, foi a causa da conversão do jovem assassino, que depois de sair da cadeia esteve com as 400 mil pessoas, na Praça de São Pedro, na ocasião da canonização dessa santa, e ao lado da mãe dela, que o perdoou também.

Santa Maria Goretti manteve-se pura e santa por causa do seu amor a Deus, por isso na glória reina com Cristo.
Santa Maria Goretti, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 9,18-26)

14ª Semana Comum



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

18Enquanto Jesus estava falando, um chefe aproximou-se, inclinou-se profundamente diante dele, e disse: “Minha filha acaba de morrer. Mas vem, impõe tua mão sobre ela e ela viverá”.
19Jesus levantou-se e o seguiu, junto com os seus discípulos. 20Nisto, uma mulher que sofria de hemorragia há doze anos veio por trás dele e tocou a barra de seu manto. 21Ela pensava consigo: “Se eu conseguir ao menos tocar no manto dele, ficarei curada”. 22Jesus voltou-se e, ao vê-la, disse: “Coragem, filha! A tua fé te salvou”. E a mulher ficou curada a partir daquele instante.
23Chegando à casa do chefe, Jesus viu os tocadores de flauta e a multidão alvoroçada, 24e disse: “Retirai-vos, porque a menina não morreu, mas está dormindo”. E começaram a caçoar dele. 25Quando a multidão foi afastada, Jesus entrou, tomou a menina pela mão, e ela se levantou. 26Essa notícia espalhou-se por toda aquela região.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus vem restaurar a vida

Nesta narrativa de dois milagres é feito o contraste entre uma mulher pobre, excluída, e um homem importante, excludente. O homem, chefe da sinagoga, pede a Jesus por sua filha morta. A mulher, excluída pelo sistema religioso por ser portadora de um fluxo de sangue, do qual não conseguia se curar (crítica ao sistema social), toca na veste de Jesus. Ela era impura, mas no toque em Jesus o que prevalece não é esta impureza, mas sim a pureza de Jesus que se comunica à mulher. Jesus a chama de "filha" e declara sua libertação: "Tua fé te salvou". É a fé que leva ao abandono a Jesus, confiando e sendo fiel no cumprimento de suas palavras. Na casa de Jairo Jesus é recebido com zombarias. À filha de Jairo, Jesus chama de "menina". Ele a pega pela mão e ela se levanta. Jesus vem restaurar a vida, sem excluir ninguém.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Antônio Maria Zaccaria

O santo de hoje foi um grande apaixonado por Jesus Eucarístico e pela Virgem Maria, por isso, santificado e "santificador" de muitos. Antônio Maria, nasceu em Cremona, no norte da Itália em 1502 e, ao perder o pai muito cedo teve de sua mãe o grande gesto de amor que consistiu em dedicar-se somente para sua educação, tanto assim que, com apenas 22 anos, já era médico.

Ele fazia de sua profissão um apostolado, por isso não cuidava só do corpo, mas também da alma dos seus pacientes que eram tratados como irmãos deste médico corajoso, pois viviam em um ambiente impregnado pelo humanismo sem Deus.

Chamado por Cristo, ampliou seu apostolado ao ser ordenado sacerdote e, desta forma, pôde testemunhar Jesus e a unidade da Igreja num tempo em que as ciências de fundo pagão, a decadência das ordens religiosas, do clero, pediam não uma Reforma Protestante, mas sim uma santidade transformadora.

Fundador dos Clérigos Regulares de São Paulo e, com a ajuda de uma condessa, da Congregação das Angélicas de São Paulo, Antônio viveu, comunicou vida num dos períodos mais difíceis da Igreja de Cristo. Depois de muito propagar a devoção a Jesus Eucarístico, por ter trabalhado demais, veio com 37 anos "dormir" nos braços de sua mãe terrestre e acordar nos braços de sua Mãe Celeste.


Santo Antônio Maria Zaccaria, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 16,13-19)

Solenidade de São Pedro e São Paulo



 
— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e ali perguntou aos seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?”
14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”.
15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?”
16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”.
17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho


Jesus de Nazaré inserido na humanidade



Esta narrativa, envolvendo a questão da identidade de Jesus e a profissão de fé de Pedro, está associada à narrativa seguinte do primeiro anúncio da morte e ressurreição, conforme o querigma paulino. Nos Evangelhos de Marcos e Lucas, a resposta de Pedro à pergunta de Jesus sobre sua identidade é breve: "Tu és o Cristo (messias)", e merece a repreensão de Jesus. Pedro e os demais discípulos acreditavam que Jesus seria o messias político esperado, que daria ao povo judeu a glória, como um novo Davi. Jesus rejeitava esta compreensão e procurava demovê-la da mente dos discípulos. Mateus dá um novo sentido à resposta de Pedro. Acrescenta o título de "o Filho do Deus vivo". A expectativa messiânica gloriosa fica assim transferida da terra para o céu. Sob esta nova perspectiva, que dá uma resposta à comunidade de Mateus, oriunda do Judaísmo, segue-se, agora, a fala de Jesus confirmando a profissão de seu messianismo celeste, ao declarar a fala de Pedro como revelação divina. Com a visão teológica de Mateus ficam estabelecidas duas identidades para Jesus: uma é "o Filho do homem", o simples Jesus de Nazaré, inserido na humanidade, na sua humildade, porém dignificando-a e divinizando-a; a outra é o Cristo (cristo em grego, messias em hebraico), que é o Jesus ressuscitado, manifestado em poder e glória nos céus. A exaltação da pessoa de Pedro sugere uma inserção redacional eclesiológica para confirmar a sua supremacia à frente da nova Igreja nascente. Nos Atos dos Apóstolos (primeira leitura) evidencia-se o destaque que é dado a Pedro, dentre os discípulos que conviveram com Jesus. Paulo, com seu trabalho missionário, registrado em suas cartas (segunda leitura) e em Atos, conquistou também um lugar de preeminência na Igreja, ao lado de Pedro.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santa Isabel

Nasceu na Espanha no ano de 1270. Pertencia à família real de Aragão, que lhe concedeu uma ótima formação cristã.

Foi entregue em casamento ao rei Diniz, rei de Portugal, com apenas 12 anos de idade, e já dava testemunho de uma esposa cristã, uma mulher de oração e centrada na Eucaristia e ajudou a propagar a grande devoção à Nossa Senhora da Conceição.

Aos 20 anos teve seu filho Afonso IV, que viveu muitos conflitos com o pai. Isabel era mulher de caridade e reconciliadora, vivendo isso bem a partir de sua família.

Era rainha, mas nunca esqueceu que também era irmã dos mais necessitados.

Uma de suas últimas obras de caridade talvez, foi cuidar do seu próprio esposo. Dom Diniz que tanto a fez sofrer, agora precisava dos cuidados de Isabel, que se dispôs, quis cuidar dele. Ele ficou doente em 1324 e faleceu no ano seguinte.

Então Isabel deixou a sua condição de viver no palácio como rainha e recebeu o hábito como franciscana, clarissa.

Em 1336 saiu de Coimbra e foi ao encontro de seu filho, devido a um novo conflito familiar. Mesmo com 66 anos e enferma conseguiu chegar. Foi acolhida e ouvida por seu filho.

Ali ela faleceu, mas foi enterrada em Coimbra, como era seu desejo. Está enterrada em uma Igreja dedicado a ela.

Santa Isabel, rogai por nós!