Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Evangelho (Lucas 2,41-51)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

41Os pais de Jesus iam todos os anos a Jerusalém, para a festa da Páscoa. 42Quando ele completou doze anos, subiram para a festa, como de costume. 43Passados os dias da Páscoa, começaram a viagem de volta, mas o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que seus pais o notassem.
44Pensando que ele estivesse na caravana, caminharam um dia inteiro. Depois começaram a pro­curá-lo entre os parentes e conhecidos. 45Não o tendo encontrado, voltaram para Jerusalém à sua procura. 46Três dias depois, o encontraram no Templo. Estava sentado no meio dos mestres, escutando e fazendo perguntas.
47Todos os que ouviam o menino estavam maravilhados com sua inteligência e suas respostas. 48Ao vê-lo, seus pais ficaram muito admirados e sua mãe lhe disse: “Meu filho, por que agiste assim conosco? Olha que teu pai e eu estávamos, angustiados, à tua procura”. 49Jesus respondeu: “Por que me procu­ráveis? Não sabeis que devo estar na casa de meu Pai?” 50Eles, porém, não compreenderam as palavras que lhes dissera. 51Jesus desceu então com seus pais para Nazaré, e era-lhes obediente. Sua mãe, porém, conservava no coração todas estas coisas.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A paternidade e a sabedoria do Pai celestial

No Evangelho de Lucas prevalece o sentido teológico sobre o sentido histórico do texto. Nas suas narrativas de infância, Lucas vincula o menino Jesus a Jerusalém e seu Templo. E no fim do Evangelho, após a ressurreição, menciona a permanência dos discípulos em Jerusalém (Lc 24,49-52; cf. 16 maio). Para os demais evangelistas, é a Galileia, e não Jerusalém, o centro da retomada da missão depois da ressurreição. A intenção teológica de Lucas é apresentar o Cristianismo como um novo Israel, que se irradia a partir da velha Jerusalém. Nesta cena do menino Jesus entre os doutores do Templo, vemos a autonomia dele em relação a seus pais, e a sua ascendência em relação aos mestres do Templo. Acima da paternidade de José e da sabedoria dos mestres, estão a paternidade e a sabedoria do Pai celestial.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Gaspar de Búfalo

Gaspar nasceu em Roma a 6 de janeiro de 1786, filho de Antônio e Anunciata Quarteroni. Foi companheiro de Vicente Strambi nas missões, o qual o definia como "terremoto espiritual". O povo o chamava de "anjo da paz", devido suas pregações serem pacíficas e caridosas. Com estas armas da paz e da caridade conseguiu conter os bandidos que proliferavam nas periferias de Roma.

O Papa Leão XII recorreu a Gaspar de Búfalo devido a proliferação do banditismo, o qual, conseguiu amansar os mais temíveis bandidos. O Papa João XXIII definiu-lhe como: "Glória toda resplandecente do clero romano, verdadeiro e maior apóstolo da devoção ao Preciosíssimo Sangue de Jesus no mundo". Em 1810, uma piedosa religiosa dizia que surgiria um zeloso sacerdote que sacudiria o povo da sua indiferença, mediante a propagação da devoção ao Precioso Sangue de Cristo. Naquele ano Gaspar de Búfalo, com dois anos de sacerdócio, tinha sido preso por ter rejeitado o juramento de fidelidade a Napoleão. Libertado do cárcere, após a queda de Napoleão, Gaspar recebeu de Pio VII a incumbência de se dedicar às missões populares pela restauração religiosa e moral do Estado Pontifício. Ele empreendeu essa nova cruzada em nome do Precioso Sangue de Jesus, tornando-se o ardoroso apóstolo desta devoção.

Faleceu em Roma a 28 de dezembro de 1837, em um quarto em cima do Teatro Marcelo, São Vicente Palloti, seu contemporâneo, teve a visão de sua alma que subia ao encontro de Cristo, como uma estrela luminosa. A fama de sua santidade não demorou a atingir o mundo todo. Beatificado em 1904, foi canonizado por Pio XII em 1954.

São Gaspar de Búfalo, rogai por nós!

Evangelho (Lucas 15,3-7)

Sexta-Feira, 11 de Junho de 2010
Sagrado Coração de Jesus

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 3Jesus contou-lhes esta parábola: 4”Se um de vós tem cem ovelhas e perde uma, não deixa as noventa e nove no deserto, e vai atrás daquela que se perdeu, até encontrá-la? 5Quando a encontra, coloca-a nos ombros com alegria, e, chegando a casa, reúne os amigos e vizinhos, e diz: `Alegrai-vos comigo! Encontrei a minha ovelha que estava perdida!` 7Eu vos digo: Assim haverá no céu mais alegria por um só pecador que se converte, do que por noventa e nove justos que não precisam de conversão”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus tornar-se próximo dos "pecadores"

Jesus conta esta parábola aos fariseus e escribas que murmuravam contra ele porque comia com os excluídos, considerados "pecadores" (cf. 4 nov.). A categoria discriminatória de "pecador" tem origem nas normas jurídicas contidas na Lei, com as exigências de suas inúmeras observâncias, as quais eram infringidas pelo povo carente, em seu esforço para sobreviver. Eram normas emanadas das elites religiosas de Judá e do Judaísmo, e os seus inobservantes eram considerados "pecadores". A discriminação visava manter submisso o povo trabalhador e humilde, explorado pelo sistema do Templo e das sinagogas. A santidade era privilégio das castas que praticavam frequentes rituais de purificação, e usufruíam de privilégios e riquezas. Os fariseus e escribas escandalizam-se, e ficavam temerosos, com o fato de Jesus tornar-se próximo destes "pecadores", libertando-os de sua humilhação. Jesus deixa claro: ele vem buscar todo aquele que é excluído pelo sistema dos "justos". Com seu coração manso e humilde, Jesus acolhe a todos, restituindo-lhes a dignidade e a alegria de viver.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Barnabé

Seu nome era José, chamado pelos apóstolos de Barnabé, que quer dizer "filho da consolação".

O santo de hoje pertenceu a 'era apostólica', chamado também de Barnabé apóstolo, embora não tenha pertencido ao grupo dos 12. Nós encontramos o seu testemunho enraizado nas Sagradas Escrituras, nos Atos dos Apóstolos 4,32ss.

Barnabé evangelizou comunitariamente, e o Espírito Santo contou com ele para que outro apóstolo exercesse o ministério: São Paulo. “Então Barnabé o tomou consigo, levou-o aos apóstolos e contou-lhes como Saulo tinha visto no caminho, o Senhor, que falara com ele, e como, na cidade de Damasco, ele havia pregado, corajosamente, no nome de Jesus. Daí em diante, Saulo permanecia com eles em Jerusalém e pregava, corajosamente, no nome do Senhor.” (Atos 9,27-28)

Escritos antigos dizem que Barnabé passou por Roma, e morreu em Salamina pelo ano 70, por apedrejamento. Um homem que se consumiu na missão de evangelizar.

São Barnabé, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 5,20-26)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da Lei e dos fariseus, vós não entrareis no Reino dos Céus. 21Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não matarás! Quem matar será condenado pelo tribunal’.
22Eu, porém, vos digo: todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo; quem disser ao seu irmão: ‘patife!’ será condenado pelo tribunal; quem chamar o irmão de ‘tolo’ será condenado ao fogo do inferno.
23Portanto, quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar, e ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24deixa a tua oferta ali diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta.
25Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. 26Em verdade eu te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A rejeição é um desrespeito à vida

O antigo mandamento da Lei de Moisés "não matarás" só se aplicava entre os membros do povo eleito. Contudo, os povos vizinhos, considerados inimigos, podem ser exterminados, em nome de Deus. Jesus vem destacar o verdadeiro sentido do respeito à vida. A rejeição de alguém já é um desrespeito à vida. E deve-se buscar a reconciliação com aquele que é visto como adversário ou inimigo. Nenhuma oferta cultual é agradável a Deus se não houver a acolhida e a reconciliação entre os irmãos. A sociedade de mercado, que visa ao lucro e ao poder, alimenta-se da morte. Seus líderes são executivos da injustiça e da guerra. Assim, relegam à doença, à fome e à morte multidões de excluídos. Pela compaixão e pela reconciliação, os discípulos de Jesus, hoje, consolidam a vida e constroem a paz aspirada por todos.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Anjo da Guarda de Portugal

Anjo da Paz, da Pátria, da Eucaristia. As 3 aparições deste anjo em Portugal compuseram o ciclo angélico da mensagem de Fátima.

Na primavera de 1916, as 3 crianças estavam na Loca do Cabeço (Fátima) a pastorear, quando apareceu-lhes um jovem de mais ou menos 14 ou 15 anos, mais branco que a neve, dizendo: “Não temais, sou o Anjo da Paz, orai comigo: Meu Deus eu creio, adoro, espero e amo-vos. Peço-vos perdão para os que não creem, não adoram, não esperam e não vos amam”. As crianças rezaram por três vezes, com o rosto ao chão. Depois ouviram do anjo: “Orai assim. Os corações de Jesus e de Maria, estão atentos à voz de vossas súplicas”. Esta oração acompanhou os pastorinhos sempre.

A segunda aparição deu-se num dia de verão, no quintal da casa de Lúcia, no Poço do Arneiro. As crianças estavam brincando sobre o poço, quando o anjo apareceu-lhes dizendo: “Que fazeis? Orai, orai muito. Os corações santíssimos de Jesus e de Maria, tem sobre vós desígnios de misericórdia... eu sou o Anjo da sua guarda, o anjo de Portugal”.

Na terceira aparição, outono do mesmo ano, novamente na Loca do Cabeço, as crianças rezavam a oração que aprenderam na primeira aparição, e o Anjo lhes apareceu com o cálice e uma hóstia. A hóstia a pingar gotas de sangue no cálice. Elas ajoelharam, e o anjo ensinou-lhes esta oração profundíssima que diz da essência da mensagem de Fátima: “Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espirito Santo, adoro-vos profundamente. E ofereço-vos o Preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo presente em todos os sacrários da Terra. Em reparação aos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido, e pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-vos a conversão dos pobres pecadores”. Depois disso, o Anjo da Eucaristia, entregou a hóstia para Lúcia e o cálice entre Francisco e Jacinta e disse-lhes: “Tomai e bebei o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, horrivelmente ultrajado pelos homens ingratos. Reparai os seus crimes e consolai o vosso Deus.”

Esta oração nos une com Maria, ao reparador Jesus Cristo, no mistério da Eucaristia para a glória da Santissima Trindade.

Santo Anjo da Guarda de Portugal, rogai por nós!
Meus irmãos e irmãs
Como é grande a alegria
De estarmos todos juntos
Festejando esse dia
Glorificando Jesus
por meio de Maria.



Dia 5 de maio
Foi uma data marcada
Onde deu inicio
A nossa caminhada
Regaçamos as mangas da camisa
E pomos os pés na estrada

Confesso não foi fácil
Tomar essa decisão
Deixar a vida velha
De farra e diversão
Trocar o copo de bebida
Pelo terço na mão



Mas hoje é diferente
Quando a esposa perguntar
pra onde você ta indo
Já vai querer farrear
E ele diz, não querida.
Vou pra igreja rezar



Pessoas que pensava
Que a vida não tinha jeito
Sentindo-se para baixo
E cheio de defeito
Mais por meio da oração
Ele aprendeu que tem conserto


Essa é a experiência
Que Deus tem nos dado
No terço aprendemos
Que somos muito amado
Pois Jesus Cristo cura
O homem Machucado


Por isso meus irmãos
Vocês podem confiar
Se o mundo te derrubou
Te fez sofrer e chorar
Não esqueças que Jesus
Esta pronto pra te ajudar



Não despreze Jesus Cristo
Ele é fonte de amor
Venha pela alegria
Não espere pela dor
Venha reconhecer
O quanto você tem valor


E deixo o meu convite
Aos homens aqui presentes
Que venham conhecer
A alegria que a gente sente
Com o pouco que cada um tem
Se Deus quiser o ano que vem
Estaremos aqui novamente.

Evangelho (Mateus 5,17-19)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17“Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento.
18Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor. 

Comentário do Evangelho

 

A prática das bem-aventuranças


A Lei é um conjunto de textos, que dão margem a interpretações diversas, contendo desde elementos mais primitivos de Israel, até elementos mais recentes do Judaísmo que surgiu no pós-exílio. Encontram-se textos que revelam o Deus libertador e textos que refletem o deus violento que mata os estrangeiros, considerados inimigos do povo que se considera eleito. Refletem contextos diferenciados de Israel, de Judá e da Judeia, que se sucederam na história.
Este texto de Mateus se refere à interpretação da Lei. Pode-se perceber que as duas primeiras frases, sobre o cumprir da Lei, exprimem destaques próprios de Mateus. Mas, nas duas frases seguintes, a expressão "destes mandamentos", associada ao Reino dos Céus, refere-se às bem-aventuranças recém-anunciadas, que vêm substituir os antigos mandamentos. Nas comunidades havia divergências entre os judeo-cristãos e os cristãos gentios, as quais Mateus procura conciliar. Ele afirma o valor da Lei e dos Profetas, conforme a tradição dos judeo-cristãos e, por outro lado, insiste também na prática e no ensino dos mandamentos das bem-aventuranças, que é a grande novidade de Jesus. A prática das bem-aventuranças é fonte de alegria e paz.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Bem-Aventurado José de Anchieta

Nascido nas Ilhas Canárias, pertencente a uma grande família de 12 irmãos, o santo de hoje viveu no século XVI.
Por motivos de estudo, foi enviado para Coimbra – Portugal, local onde teve o primeiro contato com a Companhia de Jesus e com o testemunho de São Francisco Xavier.



Muitas coisas o levaram a discernir seu chamado à vida religiosa, e aos 17 anos diante de uma imagem de Nossa Senhora, ele fazia o seu compromisso de abandonar tudo e servir a Deus.



Anchieta entrou na Companhia de Jesus em 1551, fez um noviciado exigente, e mesmo com a saúde frágil fez os seus votos de castidade, pobreza e obediência, em 1553. Neste mesmo ano foi enviado para o Brasil, e chegando na Terra de Santa Cruz ele pôde evangelizar.



Ainda não era sacerdote. Estudava Filosofia, Teologia, e sempre evangelizando, dando aulas, indo ao encontro dos indígenas. Respeitava a cultura do povo, conheceu a língua Tupi-Guarani para melhor evangelizar.



Homem fiel à santa doutrina, à sua congregação e acima de tudo, fiel ao Espirito Santo.



Esteve em diversos lugares do Brasil, como São Paulo, Rio de janeiro, Espirito Santo, Bahia etc. Consumia-se na missão.



José de Anchieta é um modelo para todos os tempos, para uma nova evangelização no poder do Espirito Santo e com profundo respeito a quem nos acolhe, a quem é chamado também a ser inteiro de Jesus.



Bem-Aventurado José de Anchieta, rogai por nós!

FESTA DO CORAÇÃO DE JESUS

POR QUE NÃO HÁ UM DIA FIXO PARA A FESTA DO CORAÇÃO DE JESUS?

No próximo dia 11 de junho a Igreja celebra a Festa do Sagrado Coração de Jesus. Na Paróquia de Santa Luzia haverá um tríduo preparatório no Santuário do Coração de Jesus.

A pergunta que usamos como título desta matéria surgir numa reunião, quando alguém falou que não entendia porque a Festa às vezes era celebrada em maio, outras em junho.

A Festa do Coração de Jesus é uma das festas móveis da Igreja, ou seja, ela não tem data fixa para ser celebrada. Seu dia está em função da Páscoa, que tem sua data fixada usando como referencia o calendário lunar (judaico) e adaptadas ao nosso calendário (gregoriano). Assim, estabelecida o dia da Páscoa (que para nós acontece sempre entre 22 de março e 25 de abril), todas as outras festas móveis o acompanham.

No caso do Coração de Jesus ela deve ser celebrada na sexta-feira da semana subseqüente da Festa de Corpus Christi que por sua vez é realizada na quinta-feira após o Domingo da Santíssima Trindade, de acordo com a determinação do Papa Pio X que instituiu a Festa do Sagrado Coração para toda a Igreja no dia 23 de agosto de 1856.

Com a Festa do Coração de Jesus encerra-se as grandes festas da Igreja: Páscoa, Ascensão, Pentecoste, Santíssima Trindade e Corpus Christi.

Fonte: http://santaluziamossoro.blogspot.com/

Evangelho (Mateus 5,13-16) Terça-Feira, 8 de Junho de 2010

10ª Semana Comum





— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.



Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 13“Vós sois o sal da terra. Ora, se o sal se tornar insosso, com que salgaremos? Ele não servirá para mais nada, senão para ser jogado fora e ser pisado pelos homens.
14Vós sois a luz do mundo. Não pode ficar escondida uma cidade construída sobre um monte. 15Ninguém acende uma lâmpada e a coloca debaixo de uma vasilha, mas sim num candeeiro, onde ela brilha para todos os que estão em casa. 16Assim também brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus”.



- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus é a luz do mundo
No Sermão da Montanha, após a proclamação das bem-aventuranças, seguem-se as sentenças relativas à missão dos discípulos. há grande consenso de que o Sermão é resultado de um trabalho redacional de Mateus. Ele reuniu, de modo didático para doutrinação, ditos e sentenças esparsas, originários de palavras de Jesus, que circulavam livremente como tradição entre as comunidades cristãs. Vários deles aparecem dispersos ao longo dos outros Evangelhos sinóticos (Marcos e Lucas). A proclamação "vós sois o sal da terra [.]; vós sois a luz do mundo" tem por fim dar o caráter da missão. O sal protege da deterioração; os pescadores da Galileia tinham a prática de salgar seus peixes para conservá-los para o consumo próprio ou para o comércio. Os discípulos, como sal, têm a missão de garantir a integridade do Reino no mundo. Os mestres do Judaísmo são como o sal que se deteriorou. A luz permite as pessoas se orientarem. Nas trevas, perdem-se. Estes mestres tornaram-se como uma lâmpada que permaneceu debaixo de uma caixa. A luz é também a glória de Deus. Em João, Jesus declara-se a luz do mundo. Os discípulos, portadores desta luz, têm a missão de levá-la ao mundo.

 José Raimundo Oliva

 

A igreja celebra hoje: São Medardo

O nome do santo recordado neste dia, significa: "audaz".
De origem simples, pobre, agrícola, Medardo tinha a maior riqueza: a fé no amor de Deus. Ele foi crescendo na piedade e na generosidade, tanto que diante de um pobre viajante que, tendo sido roubado o seu cavalo, chorava copiosamente e por isso, o santo deu generosamente seu próprio cavalo.

Medardo queria uma vida de consagração total. Seu pai que o conhecia e amava, foi quem mais o ajudou a perceber sua vocação ao sacerdócio ordenado. Com 33 anos ele tornou-se padre.
Um homem apostólico, que preferia os pobres e mais sofridos.

O santo de hoje, depois de viver seu apostolado como sacerdote, foi escolhido para ser bispo, e foi um grande pastor. Sua generosidade continuou sendo instrumento de evangelização para muitos. Nas palavras e nas obras.
Faleceu em 560 tornando-se para nós um grande exemplo e intercessor.

São Medardo, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 5,1-12) - Segunda-Feira, 7 de Junho de 2010

10ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo: 1Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e sentou-se. Os discípulos aproximaram-se, 2e Jesus começou a ensiná-los:
3"Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o Reino dos Céus. 4Bem-aventurados os aflitos, porque serão consolados.
5Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a terra. 6Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
7Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia. 8Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.
9Bem-aventurados os que promovem a paz, porque serão chamados filhos de Deus. 10Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da justiça, porque deles é o Reino dos Céus.
11Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem, e, mentindo, disserem todo tipo de mal contra vós, por causa de mim.
12Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus. Do mesmo modo perseguiram os profetas que vieram antes de vós.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho


A pobreza "em espírito"
O "Sermão da Montanha" é o programa do Reino dos Céus. É o Reino proclamado por João Batista (Mt 3,1) e, depois, pelo próprio Jesus (Mt 3,17). Em Mateus a proclamação é feita no alto de uma montanha. Moisés, na montanha, recebeu de Deus as tábuas da Lei. Agora é Jesus quem transmite as bem-aventuranças aos discípulos que vêm a ele, na montanha, estando superada a antiga Lei. Entre a pobreza e a justiça, estão as demais bem-aventuranças. Quem as vive têm a posse do Reino. A pobreza deve ser assumida "em espírito", no íntimo de si mesmo, no recôndito de seu ser e com inteligência e vontade. O apelo à justiça é marcante em Mateus. As bem-aventuranças são o caminho concreto para a transformação deste mundo em um mundo de fraternidade, justiça e paz.

 José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Pedro de Córdova


O santo de hoje viveu num tempo de grande perseguição. Foi no século IX, no ano de 851: um rei de outra religião estava impondo para os cristãos a renúncia de Cristo e a adesão a tal outra religião. Claro que muitos optaram pela fidelidade a Jesus, mesmo em meio às ameaças e perseguições.

Pedro, fiel leigo, que foi para Córdova junto com outro amigo por causa dos estudos, deparou-se com aquela perseguição. Eles se apresentaram a um juiz, que questionou a fé daqueles cristãos. E Pedro respondeu testemunhando Jesus Cristo, falando sobre a verdadeira religião, da Salvação, do único Salvador. Aquele juiz não aceitou os argumentos e condenou Pedro e seus companheiros ao martírio.

Eles foram com alegria, testemunhando a esperança da ressurreição. Foram degolados e depois tiveram seus corpos dependurados e queimados, e ainda tiveram suas cinzas lançadas num rio, para que ninguém os venerasse.

Diante do testemunho desses mártires, peçamos a Deus a graça da fidelidade.

São Pedro de Córdova e companheiros, rogai por nós!

Estimados Irmãos no Sacerdócio


CONVITE




Prezado irmão no sacerdócio!
Com muita alegria, queremos convidá-lo para participar de um encontro no qual estaremos apresentando o Movimento Apostólico de Schoenstatt e sua proposta ascético-pedagógica, que pode ajudar-nos a viver melhor nossa identidade e espiritualidade diocesana.

“A participação do seminarista e do presbítero diocesano em espiritualidades particulares ou agregações eclesiais é um fator benéfico de crescimento e de fraternidade espiritual sempre que estas espiritualidades favoreçam o exercício do ministério e a vida espiritual que são próprios do sacerdote diocesano” = (Dom Cláudio Hummes, Cardeal Prefeito da Congregação para o Clero – Palestra para os padres na Jornada Sacerdotal do XVI Congresso Eucarístico Nacional – 14 de maio de 2010)

Neste ano 2010, nos quais ressoam ainda os apelos do Ano Sacerdotal bem como nossa alegria pelo centenário da Ordenação Presbiteral do Servo de Deus, Padre José Kentenich, fundador da Obra Internacional de Schoenstatt, este encontro deseja ser uma contribuição de Schoenstatt para o ministério presbiteral diocesano.

Contamos com a sua participação para que, a sombra do Santuário, possamos crescer mais no conhecimento da Campanha da Mãe Peregrina e da espiritualidade de Schoenstatt. Seja bem vindo!

Data do encontro = dias 24 e 25 de agosto, início às 9 horas do dia 24
Local = Santuário da Mãe Rainha em Garanhuns
Hospedagem no Seminário de Garanhuns
Observações = pedimos a confirmação da sua presença com Irmã M. Denise - E-mail: ir.denise@yahoo.com.br; telefone: (87) 3762-6748; cel: 91011488; 99270511.

Atenciosamente,
Instituto Secular dos
Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt


Evangelho (Lucas 7,11-17) - Domingo, 6 de Junho de 2010

10º Domingo do Tempo Comum

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!



Naquele tempo, 11Jesus dirigiu-se a uma cidade chamada Naim. Com ele iam seus discípulos e uma grande multidão. 12Quando chegou à porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único; e sua mãe era viúva. Grande multidão da cidade a acompanhava. 13Ao vê-la, o Senhor sentiu compaixão para com ela e lhe disse: "Não chores!" 14Aproximou-se, tocou o caixão, e os que o carregavam pararam. Então, Jesus disse: "Jovem, eu te ordeno, levanta-te!" 15O que estava morto sentou-se e começou a falar. E Jesus o entregou à sua mãe. 16Todos ficaram com muito medo e glorificavam a Deus, dizendo: "Um grande profeta apareceu entre nós e Deus veio visitar o seu povo".
17E a notícia do fato espalhou-se pela Judeia inteira, e por toda a redondeza.

 

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho


Deus veio visitar o seu povo

Após a narrativa da cura do servo do centurião, Lucas apresenta a narrativa da cura do filho da viúva de Naim, articulando ambas entre si. Jesus atende ao pedido do centurião, que era um gentio, curando seu servo a distância e com grande exaltação de sua fé: "Nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé". Agora, trata-se de uma judia, a viúva de Naim. Não há nenhuma manifestação de fé em relação a Jesus. É o próprio Jesus que, comovido, toma a iniciativa e toca no caixão onde jazia o morto. Com isto ele infringe os códigos de pureza, pelos quais tornava-se impuro quem tocasse um morto ou os objetos em sua proximidade. Em ambiente judaico, a recuperação da vida passa pela ruptura com o legalismo tradicional da Torá (Pentateuco). Em seguida a seu gesto, Jesus ordena: "Jovem, eu te digo, levanta-te!". Com a volta do jovem à vida, a multidão se toca e exclama: "Um grande profeta surgiu entre nós" e "Deus veio visitar o seu povo". Esta narrativa de Lucas pode ser relacionada com a ressurreição do filho da viúva de Sarepta por Elias (primeira leitura). Vão surgindo várias interpretações sobre quem é Jesus (Lc 9,8.19). Com um longo amadurecimento se irá compreendendo que Jesus é aquele que, como Filho de Deus, comunica a vida eterna pela participação na vida divina, a todos que o acolhem na fé e no amor à vida. Na segunda leitura, Paulo, zeloso de suas tradições paternas, caracteriza sua vocação no mesmo estilo dos profetas do Primeiro Testamento.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Norberto

Neste dia, lembramos a vida de santidade do fundador da Ordem dos Premonstratenses, conhecidos também como os Monges Brancos. São Norberto nasceu na Alemanha, em 1080, numa família nobre e de muita influência.

Jovem simpático, elegante, dado aos esportes, à caça, à vaidade e aos jogos da época. Era considerado um homem de Igreja, porém, na vida não testemunhava o seguimento ao Cristo. Aconteceu que, certa vez, ao passear de cavalo pegou um temporal que atingiu seu animal com um forte raio, que o matou e lançou o santo no chão desacordado. Ao voltar em si, tomou consciência pela graça divina do triste estado em que andava sua alma. A partir deste fato, entrou num forte processo de conversão.

São Norberto renunciou tudo aquilo que o afastava de Deus e dos irmãos, trocando toda sua riqueza pela pobreza de um pregador penitente e itinerante. Tornou-se sacerdote e monge. Muitas vezes, foi perseguido pelas suas fervorosas pregações, mas em tudo teve a bênção do Papa, tanto assim que foi escolhido e ordenado Bispo, e em seguida Arcebispo de Magdeburgo. Morreu com 54 anos, sendo considerado o maior reformador do século XII.

São Norberto, rogai por nós!