Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





NOVIDADES NO SANTUÁRIO DE MÃE RAINHA

Caro leitor, você sabia que no Nordeste do nosso País estão acontecendo mudanças importantes para o desenvolvimento do Movimento de Mãe Rainha? Mas, depois da sua resposta gostaria de fazer mais outras perguntas: quanto você conhece deste Movimento nesta região do nosso País? Por exemplo: você sabe a quantidade de Santuários de Mãe Rainha que existem em terras nordestinas? Já ouviu falar do Terço dos Homens Mãe Rainha? Você sabia que o Terço dos Homens – hoje espalhado por todo Brasil e fora da nossa terra – começou no Santuário de Mãe Rainha, no Morro do Mirante, em Olinda?

Algumas das novidades do “Movimento de Mãe Rainha Nordestino”

Os Padres de Schoenstatt, do Movimento de Mãe Rainha, tomaram uma decisão corajosa: fundar uma Filial de Padres, a serviço do Movimento no Nordeste. A moradia dos padres estará localizada – por enquanto – junto ao Santuário de Mãe Rainha em Ouro Preto.
Os Membros da Filial são:

Mas, as novidades não param por aí...

A Comunidade dos Padres de Schoenstatt - da Mãe Rainha – responsável espiritual do Terço dos Homens assume esta iniciativa de Deus, como um dos seus projetos pastorais prioritários, para que este possa crescer cada vez mais no carisma da Mãe Rainha e beber das suas fontes de origem. Cada Regional do Movimento no Brasil conta com um Assessor – nomeado pelo Assessor Nacional – para atender o THMR.


Os nomes dos Assessores padres para o THMR:


Você gostaria de iniciar o Terço dos Homens Mãe Rainha na sua comunidade? Entre em contato com o Assessor respectivo do seu Regional, com ele poderá obter a orientação e material necessários ou dirija-se diretamente à Secretaria Nacional pelo SITE OFICIAL: www.tercodoshomensmaerainha.org.br


Pe. Pedro Cabello
Reitor do Santuário

Evangelho (João 15,18-21)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 18“Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro me odiou a mim. 19Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence. Mas, porque não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo, o mundo por isso vos odeia.
20Lembrai-vos daquilo que eu vos disse: ‘O servo não é maior que seu senhor’. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós. Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. 21Tudo isto eles farão contra vós por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

O mundo sob o jugo do pecado

Este Evangelho de hoje tem como tema central a caracterização do mundo e sua relação com Jesus e com as comunidades dos discípulos. Nos textos do Segundo Testamento, a palavra "mundo" é empregada com diversos matizes. No Evangelho de João ela exprime o mundo sob o jugo do pecado, encarnado em seu chefe poderoso. Não se trata tanto do pecado na sua manifestação individualizada, mas do fato de o mundo se encontrar sob o jugo de estruturas de poder que favorecem minorias e oprimem e relegam as maiorias à exclusão, ao sofrimento, que culminam com a morte. Nos Evangelhos fica bem claro que a morte de Jesus resultou da ação da teocracia sediada no Templo de Jerusalém - que reunia o poder religioso e o poder político -, para a qual Jesus era uma ameaça por seu empenho em restaurar a vida e a dignidade dos pobres e marginalizados. Aqueles que estão inseridos no sistema de poder que governa o mundo julgam-se seguros. Quem não se inserir, por amor a Jesus, é desprezado e até perseguido. Contudo, muitos acolhem as palavras de Jesus e, com liberdade, o seguem, empenhados em promover a vida plena no mundo.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Pedro de Tarantásia

Nasceu no ano de 1102 perto de Viena, numa família que buscava a Deus.
Com 20 anos ele entrou para a vida religiosa. E mais tarde, seus pais e sua única irmã, também ingressaram na Ordem da qual fazia parte. Todos se tornaram religiosos.

Ele viveu um longo tempo em um convento, depois transferido para outro, como superior, nas montanhas de Tarantásia.
Ali, na sua vida religiosa, eucarística, mariana e obediente as regras, fundou obras sociais. Ganhou simpatia e conquistou o coração de autoridades para Cristo. Assim, somando a caridade que reinava em seu coração e a ajuda material de muitos outros, que era beneficiado era o pobre. Chegou a criar um grande hospital.

São Pedro foi um homem pacificador.

Peçamos a intercessão do santo de hoje para que onde quer que estejamos, sejamos sinais de paz.

São Pedro de Tarantásia, rogai por nós!


Comunicado de Reunião.

Amanhã dia 08/05/2010, Reunião com todos os participantes do Terço da Diocese.
Local: Igreja Matriz de São João Batista Mossoró/RN - às 15h

Evangelho (João 15,12-17)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 12“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. 13Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos.
14Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. 15Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Eu chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. 16Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. 17Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Amar como Jesus amou

"Amar como Jesus amou." Esta é a nossa vocação! Os antigos mandamentos: "Amar o próximo como a si mesmo" e "amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma", estão plenamente realizados no mandamento: "Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei". Jesus é a fonte divina deste amor e o infunde em nossos corações. Ele possui este amor em plenitude, em sua relação com o Pai, no Espírito Santo. No Evangelho de João, Jesus não manda amar a Deus. Seu mandamento é que permaneçamos no amor. É amar o próximo, como Jesus nos amou. O maior amor está em dar a vida por seus amigos, estar totalmente a seu serviço, a exemplo de Jesus.
Somos escolhidos para dar fruto que permaneça para sempre. O fruto é a prática do amor mútuo originando as comunidades. E sendo o amor comunicativo por natureza, as comunidades transbordam esse amor na missão. As comunidades que vivem o amor de Jesus são as sementes da nova sociedade, atuantes e transformadoras do mundo submisso à injustiça e à manipulação dos adoradores do dinheiro e do poder.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santa Flávia Domitila

Mártir

Era esposa do governador romano chamado Flávio Clemente, pertencente à família dos flavianos.

Os imperadores Vespaziano, Tito e Domiciano pertenciam também a esta família. Os dois primeiros não aplicaram o edito de Nero, que tornava cada cristão um criminoso, mas Domiciano sim. Com interesses econômicos e de impostos, oprimia judeus e cristãos.

Flávia, cujo marido permitia que ela vivesse a fé, vivia a caridade. Socorria os pobres, cuidava do enterro dos mártires. Porém, seu esposo Clemente, foi assassinado por Domiciano, que não admitia ter uma cristã em sua família. Ele então desterrou Flávia para uma ilha, que sofreu muitos maltratos e foi martirizada.

Peçamos a intercessão da santa de hoje, para que o nosso testemunho seja atual na fé e expresso na caridade.

Santa Flávia Domitila, rogai por nós!

Evangelho (João 15,9-11)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 9“Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. 11Eu vos disse isto, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus revela-se a verdadeira face de Deus

Na história das religiões, encontramos, em muitas delas, a imagem de um deus associado ao poder. Os próprios donos do poder, faraós e reis, se diziam representantes e filhos de Deus. Assim, o seu deus todo-poderoso reforçava o poder terreno destes chefes. Na própria religião de Israel, em vários aspectos assimilada às religiões dos povos vizinhos de sua época, a Deus atribuía-se o poder de destruir os povos considerados inimigos e vencer guerras de conquista empreendidas pelos reis. Com a encarnação, em Jesus revela-se a verdadeira face de Deus. Em tudo Deus revela-se amor e misericórdia. Os próprios discípulos de Jesus inclinavam-se a interpretar seus gestos como gestos de poder, não percebendo a prática libertadora e amorosa de Jesus. O Evangelho de João é sublime e insistente na revelação de Deus como amor. Deus amou tanto o mundo que nos deu seu filho único para viver conosco, pelo qual nos é comunicada a filiação divina e a vida eterna. É-nos dado a contemplar o amor do Pai e do Filho, transbordante para todos aqueles que ouvem Jesus e creem nele. Observar os mandamentos de Jesus não é constrangedor. É seguir o suave caminho pelo qual permanecemos no amor de Jesus e do Pai, no Espírito Santo. É o caminho das comunidades de discípulos, na escuta da palavra, na oração, no serviço e na partilha com os menos favorecidos, amados por Deus.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Leonardo Murialdo

Nasceu em 1828 em Turim - Itália, numa família burguesa.

Conheceu cedo a riqueza que a vida de oração, de sacrifício e de caridade pode proporcionar para o amadurecimento humano, e também o discernimento em todas as coisas.
Uma pessoa muita atenta aos sinais dos tempos, sensível a opressão dos mais pobres. E foi assim que ele discerniu e quis ser um padre para os pobres.

Leonardo voltou-se para as classes mais desprezadas, dos trabalhos simples. Até criou um jornal chamado 'A voz dos operários'. De fato, uma fé solidária. Ele foi sinal de esperança para Igreja e a sociedade.

O santo de hoje foi ponte para que muitos se encontrassem com o Cristo no mistério da cruz, do sofrimento.

Ele se consumiu na evangelização, na caridade, na promoção humana, falecendo no ano de 1900.
Peçamos sua intercessão para que sejamos sinais de esperança na Igreja e no Mundo.

São Leonardo Murialdo, rogai por nós!

1º aniversário de fundação - Nossa Senhora das Dores (Aeroporto)


O Coordenador do terço dos homens Mãe Rainha da Capela de Nossa Senhora das Dores, José Wilson convida a todos os grupos do terço para participar hoje lá na Capela as 19h da Santa Missa que será presidida pelo Diretor Espiritual do Terço Padre Flávio Augusto em comemoração do seu 1º aniversário de fundação.

A Coordenação Diocesana do Terço dos Homens Mãe Rainha parabeniza aos homens da comunidade de Nossa Senhora das Dores pelo 1º aniversario e pelo empenho e dedicação ao movimento.

Evangelho (João 15,1-8)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 1“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. 2Todo ramo que em mim não dá fruto ele o corta; e todo ramo que dá fruto, ele o limpa, para que dê mais fruto ainda. 3Vós já estais limpos por causa da palavra que eu vos falei. 4Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. Como o ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira, assim também vós não podereis dar fruto, se não permanecerdes em mim.
5Eu sou a videira e vós os ramos. Aquele que permanece em mim e eu nele, esse produz muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 6Quem não permanecer em mim, será lançado fora como um ramo e secará. Tais ramos são recolhidos, lançados no fogo e queimados. 7Se permanecerdes em mim e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes e vos será dado. 8Nisto meu Pai é glorificado: que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Em Jesus, os muitos frutos

A afirmação de Jesus como a verdadeira videira sugere uma contraposição às religiões antigas, particularmente grega e romana, que cultuavam a videira como a árvore da vida, e também ao Judaísmo, para o qual a videira era Israel. Os ramos que dão fruto e os que não dão são a expressão do compromisso efetivo, ou não, com o projeto vivificante de Jesus. "Vós estais limpos [.]" (no lava-pés Pedro também é declarado limpo). A limpeza dos discípulos não é uma limpeza ritual, mas sim o desprendimento resultante da conversão à justiça, pelo anúncio de Jesus, rompendo com a ordem injusta e imoral da sociedade dos poderosos. A impureza é a adesão e inclusão nesta "ordem". Da permanência em Jesus resultam os muitos frutos que são a glória do Pai, que é o agricultor. A seiva do amor comunicado por Jesus gera a comunidade e a transformação da sociedade.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Ângelo

Nasceu em Jerusalém em 1185 em uma família de tradição judaica.

Através de um sonho se converteu ao Cristianismo. Neste sonho, Nossa Senhora o visitou, dizendo que sua família receberia uma grande graça: o nascimento de uma nova criança, mesmo seus pais sendo de idade avançada.

E assim aconteceu. Ângelo percebeu o chamado de Deus, e recebeu junto com seu irmão recém-nascido, a graça do santo Batismo.

Santo Ângelo se abriu a vontade de Deus através da vida de oração e penitencia, quanto o seu lugar na Igreja.
Fez experiencia religiosa em vários mosteiros da Palestina e na Ásia Menor. Até que ao passar o tempo num Carmelo, entrou na ordem consagrada a Nossa Senhora, a família Carmelita.

Da Itália foi para a Sicília, e já sacerdote, fez um belo trabalho apostólico.

Um homem dócil e corajoso.

Certa vez ao pregar, se deparou com a graça da conversão de uma mulher que vivia no adultério com um senhor de muitas posses. Ela se abriu ao Evangelho, mas ele não. E este, mandou assassinar Santo Ângelo, que foi morto após uma pregação com apenas 34 anos.

Santo Ângelo, rogai por nós!

Evangelho (João 14,27-31a)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 27“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração. 28Ouvistes que eu vos disse: ‘Vou, mas voltarei a vós’. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. 29Disse-vos isto, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.
30Já não falarei muito con­vosco, pois o chefe deste mundo vem. Ele não tem poder sobre mim, 31amas, para que o mundo reconheça que eu amo o Pai, eu procedo conforme o Pai me ordenou”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A paz de Jesus

Neste forte e afetuoso discurso de despedida, na última ceia, Jesus, após exortar os discípulos a não se perturbarem, lhes dá a paz. Não a dá à maneira do mundo. A "paz", nos impérios, é a ausência de discordâncias, questionamentos ou conflitos, vigorando a submissão geral à ordem imposta pelo poder. É esta também a paz na concepção do messianismo davídico da tradição de Israel. Era assim no Império Romano e assim é hoje no império do mercado globalizado, sob controle do poder financeiro. A paz, para os pequenos e oprimidos, se torna a acomodação ao sistema opressor diante do receio de que seus sofrimentos sejam maiores caso envolvam-se em qualquer confronto. A paz de Jesus é a paz decorrente da prática da justiça. É a paz que ele proporcionou aos discípulos e às multidões com sua prática libertadora, fraterna, solidária, restauradora da vida e da dignidade dos homens e mulheres. É a paz que decorre do perder a vida conforme os ideais de sucesso deste mundo. É a paz do reencontrar a vida na união de vontade com o Pai. É o empenho, em mutirão, na construção de um mundo novo unido pelo amor que gera a vida eterna.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Floriano

Mártir

Pertenceu a um grupo de militares que serviam no Imperio. O Imperador era Diocleciano, que influenciado por um genro passou a ter um grande preconceito e ódio ao cristianismo, a ponto de estabelecer um edito onde dizia que a Palavra de Deus escrita devia ser queimada e os cristãos, quando identificados, precisavam oferecer sacrifícios aos 'deuses' em sinal de adoração.

Muitos optavam por testemunhar Jesus até o último instante a renunciar a fé. Outros para salvar a própria pele, abandonavam a Igreja, Jesus e a comunidade.

A opção de Floriano foi pelo amor a Cristo.

A ordem do Imperador chegou até ele e em nome de 40 soldados cristãos, ele se disse, denunciando toda aquela ignorância e injustiça. Aquilino, que devia defendê-los, pois comandava o pelotão, ao contrário, entregou todos aqueles militares.

E tiveram que optar pelo Imperador ou por Cristo. Para servir a Cristo, é preciso testemunhá-lo. E a perseguição não demora a vir.

Floriano teve uma corda amarrada ao seu pescoço e foi lançado ao rio e morreu afogado. E todos os outros soldados também foram martirizados.

São Floriano, rogai por nós!

Evangelho (João 14,6-14)



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus disse a Tomé: 6“Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim. 7Se vós me conhecêsseis, conheceríeis também o meu Pai. E desde agora o conheceis e o vistes”. 8Disse Filipe: “Senhor, mostra-nos o Pai, isso nos basta!” 9Jesus respondeu: “Há tanto tempo estou convosco, e não me conheces, Filipe? Quem me viu, viu o Pai. Como é que tu dizes: ‘Mostra-nos o Pai’? 10Não acreditas que eu estou no Pai e o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo por mim mesmo, mas é o Pai que, permanecendo em mim, realiza as suas obras. 11Acreditai-me: eu estou no Pai e o Pai está em mim. Acreditai, ao menos, por causa destas mesmas obras. 12Em verdade, em verdade vos digo, quem acredita em mim fará as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas. Pois eu vou para o Pai, 13e o que pedirdes em meu nome, eu o realizarei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. 14Se pedirdes algo em meu nome, eu o realizarei”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus é o caminho à vida em plenitude

João menciona o nome de Filipe em vários episódios narrados em seu Evangelho. Nos sinóticos (Mateus, Marcos e Lucas), Filipe só aparece na relação dos Doze. Por outro lado, o nome de Tiago aparece várias vezes, mas não há nenhuma menção a ele em João. A um pedido de Filipe a Jesus para mostrar-lhes o Pai, Jesus diz que ele próprio identifica-se com o Pai, em seu amor para com todos e na sua misericórdia salvífica: "Quem me vê, vê o Pai". A revelação do Pai se faz na humanidade de Jesus, e não através das antigas visões. Jesus é o caminho que nos conduz à vida em plenitude, eterna. Ele é a verdade. Não uma verdade intelectual ou abstrata, mas é a verdade da vida. A vida verdadeira é aquela que é vivida em conformidade com a vontade de Deus.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Filipe e São Tiago

Ambos nasceram na Galiléia, e foram discípulos e apóstolos de Jesus Cristo, e por Ele deram a vida.

Filipe nasceu em Betsaida, e o Evangelho de São João é que nos apresenta dados a respeito de seu santo testemunho. Jesus passou, o chamou e ele disse 'sim' com a vida.
Ele foi canal para que São bartolomeu também se tornasse discípulo de Cristo.
O acontecimento da multiplicação dos paes, filiep tb particpou e foi par el que Jesus perguntou como se faria.

Na Santa Ceia ele pede a Jesus: 'Mostra-nos o Pai e isso nos basta'.

Filipe estava em Pentecostes com a Virgem Maria e os apóstolos.

São Clemente de Alexandria nos diz que ele foi crucificado. Que honra para os apóstolos morrerem como o seu Senhor.


São Tiago Menor também foi martirizado, por volta do ano 62. Ele que nasceu em Caná, filho de Alfeu, familiar de Nosso Senhor Jesus Cristo. E foi um dos doze.

Nos Atos dos Apóstolos encontramos ele como o primeiro bispo de Jerusalém.

Tiago recebeu mais de uma visita de São Paulo e foi reconhecido como uma das colunas principais da Igreja, ao lado de São Pedro e São João.

Uma das cartas do Novo Testamento é atribuída a ele. E nela nos ensina que a fé sem obras é morta, e que é preciso deixarmos que o Espírito Santo governe a nossa língua.

O martírio não está centrado no sofrimento, mas no amor a Jesus Cristo que supera essa vida.

São Filipe e São Tiago, rogai por nós!

Evangelho (João 13,31-33a.34-35)


— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

31Depois que Judas saiu do cenáculo, disse Jesus: “Agora foi glorificado o Filho do Homem, e Deus foi glorificado nele. 32Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará logo.
33aFilhinhos, por pouco tempo estou ainda convosco. 34Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros. 35Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Toda a vida de Jesus foi um dom ao mundo

O que era um fim para os fariseus que programaram a morte de Jesus, na realidade era a glorificação de Jesus em Deus. Judas sai para entregá-lo. Se há um mal na traição de Judas, o mal maior está naqueles chefes religiosos de Israel que articularam a morte de Jesus. Jesus está prestes a terminar sua missão. Dá o maior testemunho: "Prova de amor maior não há, do que doar a vida pelo irmão" (15,13). Toda a vida de Jesus foi um dom ao mundo. Nas comunidades joaninas, às quais João dirige seu Evangelho, diante da ausência de Jesus, os discípulos oram e meditam sobre sua vida e, iluminados pelo Espírito, começam a entendê-lo, particularmente quanto à sua permanência, vivo, entre eles. É a glorificação de Jesus: sua missão cumprida e continuada por seus discípulos, ao longo do tempo e duradoura na eternidade. É a glorificação de Deus. "Filhinhos!" Este diminutivo carinhoso não aparece em nenhum outro Evangelho. Só é usado por João aqui e, com frequência, na sua primeira carta, dirigindo-se às comunidades.
Jesus dá um novo mandamento (entolê). Temos uma referência direta aos mandamentos dados a Moisés no Sinai, e muito decantados no Salmo 119. Jesus faz uma oposição à Lei antiga. Israel, dentre os demais povos, considerados gentios, orgulhava-se e escudava-se na originalidade de seu Deus "único", de sua Lei, de suas observâncias e cultos. Possuía uma sólida ideologia e teologia do poder e, em nome de seu Deus, exterminava os que eram considerados inimigos. Agora o novo mandamento diferencia-se do antigo. Os sinóticos já anunciavam: a Lei se resume no mandamento de amar a Deus e no "amar o próximo como a si mesmo". Em João a medida do amor é o próprio Jesus. É o mandamento da união no amor com Jesus: amor universal, sem fronteiras, amor que não passa por instituições e é aberto a todos os povos, a todos os homens e mulheres. É o amor que gera a vida eterna. Aos discípulos, às comunidades, é confiado o testemunho deste amor, pelo qual se reconhece a presença de Jesus na história. Este amor concreto, vivido nas comunidades, é a esperança de vida diante dos desafios desumanizantes da sociedade de mercado, idólatra do dinheiro. O anúncio da Palavra e a exortação à perseverança na fé (primeira leitura) geram e orientam as comunidades para viverem, já, a dimensão apocalíptica de "um novo céu e uma nova terra" (segunda leitura).

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Atanásio

Atanásio nasceu em Alexandria, no Egito, em 296. No ano de 325, deu-se o I Concílio Ecumênico, em Nicéia, para definir a doutrina autêntica contra a heresia tão capciosa dos arianos, a qual fazia de Jesus uma criatura inferior a Deus Pai. Atanásio participou do Concílio na qualidade de assessor do seu bispo, embora fosse somente diácono na época.

O arianismo foi condenado e deu-se a definição solene do Credo, o qual nós o rezamos até hoje. A atuação de Atanásio foi primorosa tanto pela lucidez de sua doutrina quanto pela argumentação bíblica apresentada. Os erros dos arianos foram por ele refutados com tanto brilho, clareza e evidêcia, que causou admiração a todos.

Atanásio foi o sucessor do bispo de Alexandria, embora tivesse apenas 31 anos, e dirigiu a Igreja de Alexandria por 46 anos, período de muito sofrimento e perseguição. Os arianos não lhe deram descanso, que, com o apoio do imperador, espalharam muitas calúnias contra Atanásio, que por cinco vezes teve de fugir de sua sede episcopal.

Refugiava-se no deserto onde conheceu e conviveu com o grande Santo Antão. Durante cinco anos ficou lá escondido, saindo somente à noite para dirigir sua igreja e consolar seus fiéis. Atanásio foi firme e inquebrantável com seus numerosos escritos, manteve viva a fé no Verbo Encarnado.

Faleceu reconhecido por toda a Igreja, com 77 anos. E como reconhecimento de seu trabalho, fidelidade e fundamentais obras escritas para a Santa Igreja foi declarado Doutor da Igreja.


Santo Atanásio, rogai por nós!