Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Evangelho (João 6,16-21)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

16Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. 17Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles.
18Soprava um vento forte e o mar estava agitado. 19Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-se da barca. E ficaram com medo.
20Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. 21Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus não nos abandona

Esta narrativa, mais longa nos Evangelhos de Marcos e Mateus, é resumida por João, o qual se destaca pelo recurso aos simbolismos. Com as imagens do "escuro", "vento forte", "mar agitado", é evocado o caos original da criação, como um paralelo entre Jesus andando sobre as águas e o Espírito de Deus pairando sobre as águas. A isto se acrescenta a revelação do Sinai, e a aparição do Ressuscitado aos discípulos fechados a quatro paredes: "Sou eu. Não tenhais medo!". A barca, com os discípulos, no escuro e no mar agitado pelo vento simboliza a sua insegurança.
Estão de volta às trevas e à agitação do sistema opressor do qual Jesus procura libertá-los. Até então "Jesus não tinha vindo a eles". Mas Jesus não os abandona. Andando sobre as águas, aproxima-se. Os discípulos, sem entenderem, temem diante da visão. A identificação de Jesus lhes traz paz. Agora, confiantes, querem receber Jesus no barco. Mas com o simples aproximar de Jesus eles ficam libertos da agitação e do medo, pois o barco atinge a terra firme. João, com sua simbologia, revela-nos Jesus como aquele que traz a paz e a segurança na comunidade e na missão.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Aniceto

Papa

Seu papado durou 11 anos. Isso no século II.
Se deparou com a heresia do Gnosticismo, o racionalismo cristão, uma supervalorização do conhecimento, onde bastava isso para a salvação. Com isso, os méritos de Cristo, os sacramentos e a graça do Senhor ficavam de lado.

Contou muito com a ajuda do filósofo cristão São Justino e do Bispo Policarpo. Auxiliado por esses doutores e com a graça de Deus combateram esse racionalismo.

A fé e a razão são duas asas que nos levam para a salvação, Jesus Cristo. Ele que é Caminho, verdade e a vida. E a vida do santo de hoje demonstrou que aí está a fonte da felicidade.

Santo Aniceto, rogai por nós!

Evangelho (João 6,1-15)



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. 2Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. 3Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com os seus discípulos. 4Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.
5Levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” 6Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer. 7Filipe respondeu: “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”.
8Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: 9“Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?” 10Jesus disse: “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.
11Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. 12Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!”
13Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido. 14Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo”. 15Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Moisés é entendido como uma prefiguração de Jesus

Esta narrativa do pão partilhado por Jesus com as multidões se inspira no Primeiro Testamento, segundo o qual o povo que caminhava no deserto, sob a condução de Moisés, foi alimentado pelo maná que caiu do céu, enviado por Deus. O maná, com Moisés, é entendido como uma prefiguração de Jesus que, agora, reparte o pão com a multidão, sendo o próprio Filho de Deus entre nós, atento e atendendo a todas as nossas necessidades, educando para a partilha e nos conduzindo para a comunhão com o Pai, na vida eterna. O fato de Jesus recorrer aos poucos pães e peixes que um menino trazia, e partilhá-los com os presentes, dá a entender que não se trata de uma manifestação de poder; caso contrário seria mais espetacular se transformasse pedras em pães.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Benedito José Labre

O santo de hoje enriqueceu a Igreja com sua pobreza.
Nasceu na França em 1748. Despertado muito cedo pela graça divina, a uma entrega total: quis ser monge. Bateu em vários mosteiros, mas devido a sua frágil saúde não foi aceito.

Os 'nãos' recebidos o fizeram descobrir um modo específico de viver a vocação à santidade. Se tornou então, um peregrino, um mendigo de Deus. Foi muito humilhado, mas foi peregrinando pelos santuários da Europa, oferecendo tudo pela conversão dos pecadores.

Benedito viveu da divina providência. Com 35 anos, consumido pela vida de oração e meditação, entrou na glória de Deus.

São Benedito José Labre, rogai por nós!

Evangelho (João 3,31-36)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

31“Aquele que vem do alto está acima de todos. O que é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos. 32Dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. 33Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. 34De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque Deus lhe dá o espírito sem medida.
35O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão. 36Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A vida eterna é comunicada a todos

Neste texto, inserido em uma fala de João Batista aos seus discípulos, temos um comentário teológico do evangelista João dirigido aos leitores. O texto apresenta a oposição dualista "do alto", "do céu" versus "da terra", e "fala as palavras de Deus" (Jesus) versus "fala coisas da terra" (palavras da Lei e dos escribas). Jesus vem do alto e está acima de todos, profetas ou mestres da Lei. Quem é da terra pode, quando muito, anunciar a vinda do salvador, sem ter ideia exata de quem é ele. É o caso de Moisés e dos profetas. Ou pode até distorcer o anúncio da salvação, como era o caso dos fariseus. Somente Jesus, que vem do céu, pode comunicar o que viu e ouviu, pessoalmente. A sua Palavra supera todas as outras. Mas o mundo não o reconheceu. É uma afirmação genérica, alusão ao Judaísmo oficial. Quem se recusa a crer não alcançará a vida. Porém, a porta está aberta: quem aceita o seu testemunho e crê no Filho recebe o Espírito e tem a vida eterna. Extraordinário e maravilhoso dom de Deus! A vida eterna é comunicada a todos, sem discriminações ou exclusões, em todos os povos, em todos os tempos.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Crescente

Mártir

Nasceu em Mira, na Ásia Menor. Crescente chorou muitas vezes quando percebia pessoas que se entregavam a religiões politeístas, de muitas divindades, longe daquele que é o único Senhor e salvador: Jesus.
Seu esforço era o de levar a sua experiência. Primeiro pela oração de intercessão constante pela conversão de todos.

Certa vez numa festa pagã aos deuses, ele se fez presente, e movido pelo Espírito Santo, começou a evangelizar. Inimigos da fé cristã o levaram a um juiz, que propôs que ele 'apenas' expressasse exteriormente o culto às divindades pagãs, para preservar sua vida.

Crescente desprezou a proposta, e foi martirizado por não negar Jesus.

São Crescente, rogai por nós!

Evangelho (João 3,16-21)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

16Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele. 18Quem nele crê não é condenado, mas quem não crê já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito. 19Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más. 20Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21Mas quem age conforme a verdade aproxima-se da luz, para que se manifeste que suas ações são realizadas em Deus.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus reparte o pão com a multidão

Esta narrativa do pão partilhado por Jesus com as multidões se inspira no Primeiro Testamento, segundo o qual o povo que caminhava no deserto, sob a condução de Moisés, foi alimentado pelo maná que caiu do céu, enviado por Deus. O maná, com Moisés, é entendido como uma prefiguração de Jesus que, agora, reparte o pão com a multidão, sendo o próprio Filho de Deus entre nós, atento e atendendo a todas as nossas necessidades, educando para a partilha e nos conduzindo para a comunhão com o Pai, na vida eterna. O fato de Jesus recorrer aos poucos pães e peixes que um menino trazia, e partilhá-los com os presentes, dá a entender que não se trata de uma manifestação de poder; caso contrário seria mais espetacular se transformasse pedras em pães.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santa Ludovina

Contemplamos a vida de uma santa holandesa, nascida no ano de 1380, dentro de uma família materialmente pobre, mas riquíssima na espiritualidade.

Ludovina era muito vivaz e cheia de brincadeiras, como qualquer criança, mas trazia em si o chamado a uma consagração total ao Senhor. Antes dos 15 anos de idade recebeu muitas propostas de casamento, mas por amor a Jesus, recusou a todas para ser fiel a Deus, porque sua vocação era uma vida consagrada.

Ela descobriu o dom da virgindade, decidindo-se pelo celibato muito cedo.

Após sofrer um acidente no gelo, coma apenas 15 anos, ficou praticamente paralisada. Uma cruz, que com a ajuda da família e de seu diretor, se uniu à cruz gloriosa de nosso Senhor. Ela se deixou instruir pela ciência da cruz.

Incompreendida por muitos, foi acusada de mentirosa e de ser castigada por Deus.

Ludovina deu a mesma resposta que Jesus deu no alto da cruz: a do amor e do perdão.

Passou 7 anos sem comer nem beber nada. Recebia como alimento, Jesus Eucarístico.

Em 1433 recebeu o prêmio da eternidade.
Que na cruz de cada dia, nos unamos cada vez mais à cruz gloriosa de nosso Senhor.

Santa Ludovina, rogai por nós!

Peregrinação do NE 2 reúne “maior número de bispos e padres que já vi no Nordeste”, diz dom Muniz.

“Nunca vi uma reunião tão abundante de bispos e padres aqui no Nordeste”. Foi assim que o presidente do regional nordeste 2 e arcebispo da arquidiocese de Maceió, dom Antônio Muniz, definiu a peregrinação dos presbíteros deste regional, realizada durante todo o dia da última quinta-feira, dia 8, nas dioceses de Campina Grande e Guarabira, na província da Paraíba.

O evento reuniu cerca de 500 padres e 14 bispos de 18 arquidioceses e dioceses que compõem o regional, formado pelas províncias do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco e Alagoas, dentro das comemorações do Ano Sacerdotal. “A nossa peregrinação é uma resposta a João Paulo II, por buscar a beatificação do padre Ibiapina, e por este que é uma forte referência para o nosso sacerdócio. A peregrinação é também um momento especial devido à força das Santas Missões Populares no Nordeste 2”, destacou dom Muniz.

Segundo o vice-presidente do regional e bispo diocesano de Campina Grande, dom Jaime Vieira Rocha, “a memória do padre Ibiapina reaviva em cada um de nós e na vida da Igreja do nosso Regional NE II o testemunho e o legado sacerdotal, pastoral e missionário de tantos outros sacerdotes que marcaram a história da Igreja de Cristo neste Nordeste brasileiro, como padre Cícero Romão, dom Hélder Câmara, entre outros”, destacou.

A peregrinação começou às 9h no Convento de Santo Antônio, Sítio Ipuarana, município de Lagoa Seca, Brejo paraibano, na diocese de Campina Grande. Lá os padres e bispos refletiram sobre a espiritualidade humana, a partir da assessoria do frei Aloísio Fragoso, OFM. “Diante de cada pessoa temos um mistério. Portanto, diante dela temos que ter um olhar místico, espiritual”, destacou o frei em um dos seus apontamentos.


“A espiritualidade é um forma concreta de viver o evangelho na ação do Espírito Santo”, falou Fragoso aos padres e bispos. Para ele, neste sentido, “a Igreja continua sendo uma referência, num mundo sem referências”, frisou.

Às 14h, as caravanas dos presbíteros e bispos saíram em direção ao Santuário de Santa Fé, localizado no município de Solânea, também no Brejo paraibano, já no território da diocese de Guarabira, onde está sepultado o padre Ibiapina. No Santuário foi celebrada uma missa festiva, acompanhada por chuva, presidida por dom Antônio Muniz, e concelebrada por todos os demais bispos presentes.



Fonte:

Rodrigo Apolinário
Pastoral da Comunicação
Diocese de Campina Grande

Evangelho (João 3,7b-15)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 7b“Vós deveis nascer do alto. 8O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”.
9Nicodemos perguntou: “Como é que isso pode acontecer?” 10Respondeu-lhe Jesus: “Tu és mestre em Israel, mas não sabes estas coisas? 11Em verdade, em verdade, te digo, nós falamos daquilo que sabemos e damos testemunho daquilo que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. 12Se não acreditais, quando vos falo das coisas da terra, como acreditareis se vos falar das coisas do céu? 13E ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Fé dos discípulos

Este diálogo de Jesus com Nicodemos exprime o impasse entre a incredulidade da sinagoga e a fé dos discípulos de Jesus reunidos em comunidades, no tempo de João. João, no seu Evangelho, narra cinco viagens de Jesus a Jerusalém, por ocasião das festas religiosas. Em cada viagem há uma contestação do sistema religioso do Templo, com diálogos de revelação de Jesus. Na primeira viagem, após a denúncia da comercialização do Templo, temos este diálogo de Jesus com Nicodemos. Em contraposição ao Templo, que perdeu sua função, Jesus anuncia o novo nascimento e uma nova prática a partir do dom do Espírito. É a criação do novo homem e da nova mulher. A nova criação, na liberdade do Espírito, não suporta limites de raças, religiões ou tradições. Esta nova criação acontece a partir da concepção e nascimento de Jesus, que doa sua vida até o fim, sem temer a morte de cruz. E aquele que crê em Jesus tem a vida eterna.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Hermenegildo

Mártir

O santo de hoje era filho de um rei cristão ariano, ou seja, acreditava em Jesus Cristo verdadeiro homem, mas não verdadeiro Deus.

Por graça de Deus, através de sua esposa, Hermenegildo pôde tornar-se um cristão autêntico, da verdade.

Seu pai não o acolheu, porque este não aceitava o arianismo. Então o ameaçou e combateu em guerra.

Desprezando o perdão de seu filho, o rei mandou prendê-lo e o entregou aos algozes.

Santo Hermenegildo, pai de família, cristão católico, teve sua cabeça cortada a mandado do próprio pai.

Santo Hermenegildo, rogai por nós

Evangelho (João 3,1-8)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

1Havia um chefe judaico, membro do grupo dos fariseus, chamado Nicodemos, 2que foi ter com Jesus, de noite, e lhe disse: “Rabi, sabemos que vieste como mestre da parte de Deus. De fato, ninguém pode realizar os sinais que tu fazes, a não ser que Deus esteja com ele”.
3Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce do alto, não pode ver o Reino de Deus”. 4Nicodemos disse: “Como é que alguém pode nascer, se já é velho? Poderá entrar outra vez no ventre de sua mãe?”
5Jesus respondeu: “Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus. 6Quem nasce da carne é carne; quem nasce do Espírito é espírito 7Não te admires por eu haver dito: Vós deveis nascer do alto. 8O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Nicodemos vem ao encontro de Jesus

Oculto pela noite, Nicodemos vem ao encontro de Jesus. Ele considera Jesus um dos "rabis" (mestres) que acreditavam que pela observância estrita da Lei se restauraria a nação judaica. Jesus percebe o engano de icodemos e lhe apresenta a conversão, o nascer do alto, como o caminho para o Reino de Deus. A resistência de Nicodemos decorre de sua identificação com a Lei. A afirmação:
"como pode alguém renascer se já é velho" se relaciona com a velhice da Lei, rígida, sem disposição para mudanças.
O nascer do Espírito é a perfeição da criação, confere à carne o dom da eternidade e aos homens e mulheres a filiação divina. A ação vivificante do Espírito não está atrelada a nenhum sistema religioso ou legal. O Espírito é livre, sopra onde quer, e assim também o é quem nasce do Espírito.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Vitor

Mártir

Nasceu na aldeia de Passos, perto de Braga – Portugal, onde viveu toda a sua juventude para Deus. Era catecúmeno, e se preparava para receber a graça do batismo.

Jovem muito dado, encontrou um grupo de pagãos que prestava culto a um ídolo. Eles o chamavam a adorar este ídolo, e ele se recusou. Então, Vitor foi levado diante do governador e questionado.

Por não renunciar a sua fé, foi preso numa árvore e flagelado. E em seguida, decapitado.

São Vitor foi fiel a Cristo em todos os momentos, entregando-se a Jesus desde a juventude.

São Vitor, rogai por nós

Avaliação


Aconteceu ontem dia 10/04/2010 no salão paroquial da igreja de Nossa Senhora de Fatima a reunião de coordenadores de grupos do terço dos homens Mãe Rainha de Mossoró, onde foi feita a avaliação do primeiro trimestre e tambem a do 1º encontro de formação espiritual realizado no dia 28/03/2010 na Capela do Menino Jesus de Praga no conjunto Santa Delmira. Após os depoimentos feitos por varios menbros confirmou-se o grande sucesso do encontro uma vez que foram atingidos todos os objetivos, tais como: espiritualidade, participação de todos os grupos da cidade e até mesmo de outras cidades. Ainda foi feito algumas colocações pelo coordenador do grupo em Assu sobre o próximo encontro que será realizado na mesma Cidade, na Igreja da Beata Lindalva no dia 25/04/2010. Fechando a reunião o Padre Severino informou que os noiteiros da festa de Nossa Senhora de Fatima da noite do dia 06/05/2010 será o Terço dos homens e em seguida deu a benção final. Apos a reunião o Coordenador do grupo Tarzan serviu o lanche para todos os participantes.

A Coordenação Diocesana reconhece que o êxito total dos encontros, só e possivel pelo grande empenho e determinação por parte de todos os membros do Terço, desta forma agradecemos e esperamos contar sempre com todos, para semear cada vez mais nos corações dos homens, este apostolado que muito agrada e alegra o Coração de Jesus e Maria.

Estamos nos preparando para Assu.

Evangelho (João 20,19-31)


— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.
20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”.
22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.
24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!”
Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”.
27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”.
28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!”
29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”
30Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. 31Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Aparição do Ressuscitado

O Evangelho de João, após a narrativa do encontro do sepulcro vazio por Maria Madalena, registra três aparições do Ressuscitado. A primeira, à própria Maria Madalena, enquanto ainda chorava, junto ao sepulcro. Segue-se a aparição aos discípulos, em recinto com as portas fechadas, e uma terceira aparição aos discípulos em pescaria na Galileia. A aparição aos discípulos, após a aparição a Maria Madalena, se dá no mesmo dia da ressurreição. Não se trata de um espírito. É a continuidade da presença de Jesus de Nazaré na história. Os estigmas em suas mãos e seu lado evelam o seu amor sem limites. A nova criação é eterna. Superados a incompreensão e o medo, os discípulos são tomados pela alegria. Os discípulos recebem a paz. E, como portadores desta paz, são enviados em missão. A seguir, com o sopro, Jesus comunica o Espírito Santo. É o Espírito do amor forte como a morte, misericordioso e comunicador da vida. A experiência de Tomé nos educa. Somos chamados à bem-aventurança dos que creem sem ver. É a fé das primeiras comunidades que acreditavam nos muitos sinais e prodígios realizados pelos apóstolos. A fé em Jesus de Nazaré, ressuscitado, que continua vivo entre nós, não depende de aparições. Esta fé reconhece a presença de Jesus nos sinais do amor que se manifesta nas diversas comunidades, nas diversas culturas, hoje. Assumir esta fé nos move à solidariedade global pela paz e pela vida, superando o império da guerra e da morte.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Estanislau

Celebramos a vida de Santo Estanislau que nasceu no ano 1030 pouco tempo depois do Cristianismo ter entrado na Polônia. Santo Estanislau se ligou como sacerdote da Igreja de Cracóvia.

O lugar geográfico da Polônia era causa de muitos transtornos internos e externos, porém nada se comparava ao rei da Polônia Boleslau II que era guerreiro, cruel, devasso e opressor. Por escolha do Espírito Santo Estanislau tornou-se Bispo daquela região; e como tal teve que se tornar um João Batista, já que o rei dava um grande vexame no campo moral.

Estanislau é amado por toda Polônia como um Santo que profundamente amou os pobres, evangelizou e morreu mártir. Em 1079 o rei Boleslau num ato de loucura atingiu com um punhal Estanislau, tombando-o mártir durante a Santa Missa, lugar onde o Santo uniu seu sacrifício ao do Cristo.


Santo Estanislau...rogai por nós!