Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





CONVITE

A comunidade Vingt Rosado, 3ª Etapa, convida você e sua família a se fazerem presentes a Festa da Sagrada Família 2009, sua padroeira. Sua presença é muito importante.

PROGRAMAÇÃO

Dia 17 - Quinta-feira: Missa de abertura - 111 Semana do Advento "Nos seus dias a justiça florirá e paz em abundancia para sempre". Acolhida das imagens - Hasteamento das Bandeiras.

Dia 18 - Sexta-feira: Novena - 1 a noite Tema: "Senhor, nossa justiça, nossa Paz". Recordação da vida: CF 2009
Texto Bíblico: Jeremias 23, 5•8
Noiteiros: Comunidade Sagrada Família, Liturgia e Dízímo.

Dia 19 - Sábado: Novena - 2a noite
Tema: "Esse menino vai ser grande diante do Senhor". Recordação da vidaAno Catequético Nacional
Texto Bíblico: Lucas 1, 5-25
Noiteiros: Comunídade dos Pintos.


Dia 20 - Domingo: Missa - IV Domingo do Advento "Bem-aventurada aquela que acreditou ... ".

Dia 21 - Segunda-feira: Novena - 3a noite
Tema:" Bendíta és tu entre as mulheres e Bendito é o fruto do teu ventre" Recordação da vida: Ano Sacerdotal
Texto Bíblico: Lucas 1,39-45
Noiteiros: Terço dos Homens e Mãe Rainha.

Dia 22 - Terça-feira: Novena - 4a noite -In Memória Tema: li A minha alma engradece o Senhor e o meu espírito exulta em Deus meu Salvador".
Recordação da vida: Páscoa definitiva de Monsenhor Américo e Padre Guido. Texto Bíblico: Lucas 1,46-56
Noiteiros: MESC - Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão e Coroinhas. Homenagiados: ln Memória de Pe Alfredo Simonetti; Mons. Humberto Bruening; Pe Flávio Jerônimo; Pe José do Vale; Mons. Américo Simonetti e Pe Guido Tonelloto.

Dia 23 - Quarta-feira: Novena - 53 noite
Tema "Ei-Io que vem, diz o Senhor dos exércitos".
Recordação da vida: 2° Encontro Pastoral da Saúde Regional da CNBB Texto Bíblico: Malaquias 3,1-4.23-24
Noiteiros: Com unidade Passagem de Pedra.

Dia 24 - Quinta-feira: Missa - IV Semana do Advento
"Glória a Deus no mais alto dos céus, e paz na terra aos homens por ele amados".

Dia 25 - Sexta-feira: Novena - 63 noite - (Natal de Jesus) Tema: "E a Palavra se fez carne e habitou entre nós".
Recordação da vida: 1° Congresso Catequético Diocesano de Mossoró Texto Bíblico: João 1,1-18
Noiteiros: Pastorais do Batismo, Catequese, Crisma e Catecumenato.

Dia 26 - Sábado: Novena - 73 noite
Tema: "Combati o bom combate, terminei a minha carreira, guardei a fé". Recordação da vida: Ano Paulino
Texto Bíblico: Atos 6,8-10; 7,54-59
Noiteiros: Grupos; ECC • RCC

Dia 27 - Domingo: Missa de encerramento - Sagrada Família "Excelência da Catequese, do Apostolado e da Paz". Procissão às 18:30h.

O horário das Missas e Novenas é às 19:30h.
Ofício (ODC) ou Missa pela manhã às 6:00h

PROGRAMAÇÃO SOCIAL

Convivência Fraterna todas as noites após a novena.
Leilão - dia 19.12
Jantar-dia27.12

MENSAGEM

"0 segredo da vida não é ter tudo que você quer, mas amar tudo que você tem! Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado, sempre!"

Evangelho (Lc 1,5-25)



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

5Nos dias de Herodes, rei da Judeia, vivia um sacerdote chamado Zacarias, do grupo de Abia. Sua esposa era descendente de Aarão e chamava-se Isabel. 6Ambos eram justos diante de Deus e obedeciam fielmente a todos os mandamentos e ordens do Senhor. 7Não tinham filhos, porque Isabel era estéril, e os dois já eram de idade avançada. 8Em certa ocasião, Zacarias estava exercendo as funções sacerdotais no Templo, pois era a vez do seu grupo. 9Conforme o costume dos sacerdotes, ele foi sorteado para entrar no Santuário, e fazer a oferta do incenso. 10Toda a assembleia do povo estava do lado de fora rezando, enquanto o incenso estava sendo oferecido. 11Então apareceu-lhe o anjo do Senhor, de pé, à direita do altar do incenso. 12Ao vê-lo, Zacarias ficou perturbado e o temor apoderou-se dele. 13Mas o anjo disse: "Não tenhas medo, Zacarias, porque Deus ouviu tua súplica. Tua esposa, Isabel, vai ter um filho, e tu lhe darás o nome de João. 14Tu ficarás alegre e feliz, e muita gente se alegrará com o nascimento do menino, 15porque ele vai ser grande diante do Senhor. Não beberá vinho nem bebida fermentada e, desde o ventre materno, ficará repleto do Espírito Santo. 16Ele reconduzirá muitos do povo de Israel ao Senhor seu Deus. 17E há de caminhar à frente deles, com o espírito e o poder de Elias, a fim de converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à sabedoria dos justos, preparando para o Senhor um povo bem disposto". 18Então Zacarias perguntou ao anjo: "Como terei certeza disto? Sou velho e minha mulher é de idade avançada". 19O anjo respondeu-lhe: "Eu sou Gabriel. Estou sempre na presença de Deus, e fui enviado para dar-te esta boa notícia. 20Eis que ficarás mudo e não poderás falar, até o dia em que essas coisas acontecerem, porque não acreditaste nas minhas palavras, que se hão de cumprir no tempo certo". 21O povo estava esperando Zacarias, e admirava-se com a demora no Santuário. 22Quando saiu, não podia falar-lhes. E compreenderam que ele tinha tido uma visão no Santuário. Zacarias falava por sinais e continuava mudo. 23Depois que terminou seus dias de serviço no Santuário, Zacarias voltou para casa. 24Algum tempo depois, sua esposa Isabel ficou grávida, e escondeu-se durante cinco meses. 25Ela dizia: "Eis o que o Senhor fez por mim, nos dias em que ele se dignou tirar-me da humilhação pública!"

- Palavra da Salvação
- Glória a Vós, Senhor

Comentário do Evangelho

O anúncio do nascimento de João Batista

Enquanto Marcos inicia seu Evangelho com a pregação e o batismo de João, Mateus e Lucas iniciam com as narrativas de infância de Jesus. João Evangelista, por sua vez, começa seu Evangelho com o prólogo do Verbo que se faz carne. Lucas apresenta uma originalidade. Após uma curta introdução em que justifica seu trabalho redacional do Evangelho, narra, no texto de hoje, o anúncio do nascimento de João (Batista) e, em seguida, o anúncio deJesus, ambos feitos pelo anjo Gabriel; primeiro a Zacarias e, depois, a Maria. Assim, João e Jesus estão associados desde suas concepções extraordinárias. O nascituro terá um nome, João, que indica a ruptura do sacerdócio hereditário, pois não conserva o nome do pai. Mais tarde, dirigindo-se ao deserto, rompe com o templo, no que será confi rmado por Jesus, que vai ao seu encontro.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santo Urbano V

Nascido em 1310, no castelo de Grisac, nas Cevenas, França, Guilherme de Grimoard, filho do cavaleiro do mesmo nome e de Anfelisa de Montferrand, mostrou-se desde a infância hostil a toda frivolidade. Vendo-o fugir dos jogos próprios da sua idade e recolher-se à capela, sua mãe dizia: "Eu não o compreendo; mas, enfim, basta que Deus o compreenda". Entrou na abadia beneditina de Chirac, perto de Mende; proferiu os votos no convento de S. Vítor de Marselha e, a seguir, entrou na Congregação de Cluny. Formou-se em Direito Canônico em outubro de 1342; ensinou nas Universidades de Toulouse, Montpellier, Paris e Avignon; exerceu as funções de Vigário Geral em Clermon e Uzés; foi nomeado Abade de S. Germano de Auxerre em 13 de fevereiro de 1352 e, no dia 26 de julho do mesmo ano, Clemente VI nomeou-o Legado Pontifício na Lombardia. Mais tarde, sendo Abade de S. Vítor de Marselha, foi encarregado da mesma missão no reino de Nápoles, por Inocêncio VI.

Os Papas residiam em Avignon (Avinhão), mas já pensavam em voltar para Roma; para preparar esse regresso, Guilherme desenvolvia grande atividade diplomática na Itália. Nos fins de 1362, sucedeu a Inocêncio VI, com o nome de Urbano V, sendo um dos sete Papas que, de 1309 a 1377, residiram em Avignon. O seu Pontificado assinalou-se pelo envio de missionários para as Índias, a China e a Lituânia; pela pregação de uma nova cruzada; pelo apoio que deu aos estudos eclesiásticos, e por diversas reformas que levou a efeito na administração da Igreja. Depois de renovar a excomunhão pronunciada por Inocêncio VI contra Pedro IV, rei de Castela, assassino de sua mulher e polígamo, autorizou Henrique de Trastâmara, seu irmão, a destroná-lo. Convidou ao mesmo tempo Du Guesclin e as suas "companhias brancas" a prestar-lhe auxílio, assegurando assim o êxito dessa revolução dinástica.

Em 1367, Urbano V entendeu que tinha chegado o momento de regressar a Roma. No dia 19 de maio, embarcou em Marselha, acompanhado de vinte e quatro galeras; no dia 3 de junho, desembarcou em Corneto e em 16 de outubro fez a entrada triunfal na Cidade Eterna. Não conseguiu, porém, manter-se, apesar dos protestos de Santa Brígida, que lhe previu morte próxima se voltasse. Mas voltou no dia 26 de setembro de 1370, regressando a Avignon, onde morreu em 19 de dezembro seguinte, revestido do hábito beneditino. Tempos antes, tinha-se mudado para casa de seu irmão, por não desejar acabar a vida num palácio. Por sua ordem, as portas dessa casa mantinham-se abertas, a fim de que todos pudessem entrar livremente e ver "como morre um Papa".


Santo Urbano V, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 1,1-17)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

1Livro da origem de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão. 2Abraão gerou Isaac; Isaac gerou Jacó; Jacó gerou Judá e seus irmãos. 3Judá gerou Farés e Zara, cuja mãe era Tamar. Farés gerou Esrom; Esrom gerou Aram; 4Aram gerou Aminadab; Aminadab gerou Naasson; Naas­son gerou Salmon; 5Salmon gerou Booz, cuja mãe era Raab. Booz gerou Obed, cuja mãe era Rute. Obed gerou Jessé. 6Jessé gerou o rei Davi.
Davi gerou Salomão, daquela que tinha sido mulher de Urias. 7Salomão gerou Roboão; Roboão gerou Abias; Abias gerou Asa; 8Asa gerou Josafá; Josafá gerou Jorão. Jorão gerou Ozias; 9Ozias gerou Jotão; Jotão gerou Acaz; Acaz gerou Ezequias; 10Ezequias gerou Manassés; Manassés gerou Amon; Amon gerou Josias. 11Josias gerou Jeconias e seus irmãos, no tempo do exílio na Babilônia.
12Depois do exílio na Ba­bilônia, Jeconias gerou Salatiel; Salatiel gerou Zorobabel; 13Zo­robabel gerou Abiud; Abiud gerou Eliaquim; Eliaquim gerou Azor; 14Azor gerou Sadoc; Sadoc gerou Aquim; Aquim gerou Eliud; 15Eliud gerou Eleazar; Eleazar gerou Matã; Matã gerou Jacó. 16Jacó gerou José, o esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, que é chamado o Cristo. 17Assim, as gerações desde Abraão até Davi são catorze; de Davi até o exílio na Babilônia catorze; e do exílio na Babilônia até Cristo, catorze.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus é o messias esperado

As genealogias eram uma forma literária usada no Primeiro Testamento para confirmar a vinculação de uma ou mais personagens de destaque a uma linhagem que recebeu as promessas divinas. Estas promessas, no texto bíblico, foram feitas aos patriarcas e a Davi. Esta última aparece na profecia de Natã, elaborada entre teólogos da corte real.
A genealogia de Mateus, tratada teologicamente, divide-se em três períodos da história de Israel e de Judá: período dos patriarcas e dos clãs tribais, de Abraão até Davi; período da realeza e dinastia davídica, em Judá, de Davi até o exílio; e período do surgimento e consolidação do judaísmo, do exílio até Jesus. Por sua genealogia, Mateus quer demonstrar aos judeo-cristãos que, através de José que o acolhe, Jesus é o messias esperado pelo judaísmo.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São Lázaro

A Igreja, neste tempo do Advento, se prepara para celebrar o aniversário de Jesus e se renova no desejo ardente de que Cristo venha pela segunda vez e instaure aqui o Reino de Deus em plenitude. Sem dúvida estão garantidos para este reinado pleno, que acontecerá em breve, os amigos do Senhor.

Hoje vamos lembrar um destes amigos de Cristo: São Lázaro. Sua residência ficava perto de Jerusalém, numa aldeia da Judéia chamada Bethânia. Era irmão de Marta e de Maria. Sabemos pelo Evangelho que Lázaro era tão amigo de Jesus que sua casa serviu muitas vezes de hospedaria para o Mestre e para os apóstolos.

Lázaro foi quem tirou lágrimas do Cristo, quando morreu, ao ponto de falarem: "Vejam como o amava!". Assim aconteceu que, por amor do amigo e para a Glória do Pai, Jesus garantiu à irmã de Lázaro o milagre da ressurreição: "Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morto, viverá: e quem vive e crê em mim, não morrerá, Crês isto?" (Jo 11,26).

O resultado de tudo foi a ressurreição de São Lázaro, pelo poder do Senhor da vida e vencedor da morte. Lázaro reviveu e este fato bíblico acabou levando muitos à fé em Jesus Cristo e outros começaram a pensar na morte do Messias, como na de Lázaro. Antigas tradições relatam que a casa de Lázaro permaneceu acolhedora para os cristãos e o próprio Lázaro teria sido Bispo e Mártir.

São Lázaro, rogai por nós!

Evangelho (Lucas 7,19-23)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 19João convocou dois de seus discípulos, e mandou-os perguntar ao Senhor: És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?” 20Eles foram ter com Jesus, e disseram: “João Batista nos mandou a ti para perguntar: ‘És tu aquele que há de vir, ou devemos esperar outro?’” 21Nessa mesma hora, Jesus curou de doenças, enfermidades e espíritos malignos a muitas pessoas, e fez muitos cegos recuperarem a vista. 22Então, Jesus lhes respondeu: “Ide contar a João o que vistes e ouvistes: os cegos recuperam a vista, os paralíticos andam, os leprosos são purificados, os surdos ouvem, os mortos ressuscitam, e a boa nova é anunciada aos pobres. 23É feliz aquele que não se escandaliza por causa de mim!”


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Obras que promovem a vida

João Batista não pretendia criar um discipulado em comunidades isoladas. A conversão à prática da justiça, assumida no seu batismo, era para ser vivida por todos em seus próprios ambientes de vida, no seu dia-a-dia. Porém, acontece que um projeto de vida passa a ser uma regra ou estatuto comunitário para grupos, institucionalizando-se. Após a morte de João, grupos de seus discípulos permaneceram à parte do movimento de Jesus, chegando até a questioná-lo. Jesus aderiu ao movimento profético de João, assumindo-o com particularidades próprias da sua natureza divina e comunicadora da vida eterna. As obras de Jesus são obras libertadoras que promovem a vida e iluminam os pobres submissos à ideologia exploradora e opressora dos poderosos. São os sinais da chegada do Reino, com o sinal maior: os pobres são evangelizados. A continuidade do Reino na história é sinalizada pelo testemunho de nossas comunidades no empenho da construção de um mundo melhor.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São José Moscati

O nosso Papa João Paulo II apresentou para nossa devoção São José Moscati, que muito bem soube viver a fé, a caridade e a ciência. Nasceu na Itália em 1880 no seio de uma família cristã. Com apenas 17 anos obrigou-se particularmente ao voto de castidade perpétua.

Inclinado aos estudos, José Moscati cursou a faculdade de medicina na Universidade de Nápoles e chegou, com 23 anos, ao doutorado e nesta área pôde ocupar altos cargos, além de representar a Itália nos Congressos Médicos Internacionais. Com competência profissional, Moscati curou com particular eficiência e caridade milhares e milhares de doentes.

Em Nápoles, embora procurado por toda classe de doentes, dava, contudo, preferência aos mais pobres e indigentes. Sem dúvida, foi na prática da caridade para com os pobres que se manifestou toda sua grandeza, ao ponto de receber o título de "Médico e Pai dos pobres", isto num tempo em que a cultura se afastava da fé.

José Moscati viveu corajosamente até 1927 e testemunhou a Verdade, tanto assim que encontramos em seus escritos: "Ama a Verdade, mostra-te como és, sem fingimentos, sem receios, sem respeito humano. Se a Verdade te custa a perseguição, aceita-a; se te custa o tormento, suporta-o. E se, pela Verdade, tivesses que sacrificar-te a ti mesmo e a tua vida, sê forte no sacrifício".

São José Moscati, rogai por nós!

Joana canta o hino popular de Santa Luzia

Mossoró com alegria saúda a Santa Luzia.

A Festa de Santa Luzia 2009 terminou, mas o sentimento de amor, fé e gratidão permanecem em nossos corações. Queremos particularmente, eu e minha esposa agradecermos a Deus e a Santa Luzia pela oportunidade que nos concedeu de conhecer e trabalhar com tantas pessoas maravilhosas, humanas, fervorosas e acima de tudo amigas, que se dedicaram dia e noite para que a festa tivesse êxito.
Ao nosso Saudoso Monsenhor Américo nosso eterno agradecimento por toda uma vida de serviço dedicado a Catedral e a Diocese de Santa Luzia de Mossoró.
Ao nosso Vigário Geral Padre Flávio Augusto e nosso Bispo Dom Mariano o nosso reconhecimento pela belíssima festa, que foi iluminada por mais de 500 motos que participaram da Moto Romaria da Luz, da qual tenho certeza que daqui pra frente fará parte da programação oficial da festa de Santa Luzia. Ao Padre Walter, queremos desejar as boas vindas e dizer que os filhos da luz te esperam para com alegria saudar a Santa Luzia em 2010, 2011, 2012...
























Evangelho (Mateus 21,28-32)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: 28“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’ 29O Filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de opinião e foi. 30O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi. 31Qual dos dois fez a vontade do pai?”
Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “O primeiro”. Então Jesus lhes disse: “Em verdade vos digo, que os publicanos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. 32Porque João veio até vós num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os publicanos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Fazer a vontade do Pai

No primeiro dia de sua chegada a Jerusalém, Jesus expulsa do templo os que aí comerciavam em conivência com os sacerdotes. No dia seguinte, voltando ao templo, Jesus é questionado por eles sobre com que autoridade age; Jesus devolve a questão com uma interrogação sobre João Batista e os confunde. Dirige-lhes, então, esta simples parábola dos dois fi lhos, dos quais, mudando de atitude, um faz a vontade do pai e o outro não. Assim, Jesus volta a mencionar a pregação de João Batista em vista da conversão e da prática da justiça, conforme a vontade de Deus.
O destaque são os publicanos e as prostitutas que acreditaram em João e depois acolheram Jesus. Os chefes religiosos do judaísmo, que se afirmavam como fiéis a Deus, porém, os rejeitaram. Não fizeram a vontade do Pai. Daí a precedência destes excluídos, publicanos e prostitutas, no Reino de Deus, em relação às elitesdaquele sistema religioso.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: Santa Cristiana

A vida de Santa Cristiana é um grande testemunho de que nada é coincidência, mas tudo é providência. Os Georgianos consideram-na o instrumento providencial da sua conversão.

Era uma escrava que vivia na Grécia, nos princípios do século IV. Teria sido levada cativa para essa terra por guerreiros vitoriosos? Ou teria lá procurado voluntariamente asilo, fugindo à perseguição que se desencadeara na sua pátria? Ninguém sabia donde ela tinha vindo; só a conheciam pelo nome de Cristiana ou Nina (cristã). Era humilde e caritativa e fazia-se estimar.

Quando alguma criança caía doente nessas regiões, a mãe levava-a de porta em porta, a fim de consultar as vizinhas sobre os melhores remédios a aplicar. Um dia, foi ter com Nina uma pobre mulher, levando nos braços um menino moribundo. Ao vê-lo, Nina disse: "Eu não posso fazer nada, mas Deus Todo-Poderoso pode restituir-lhe a saúde, se for essa a sua vontade". Deitou o moribundo no seu próprio catre, cobriu-o com o seu cilício, orou a Deus em nome de Cristo e, a seguir, restituiu à mãe o filho curado.

A fama deste milagre chegou aos ouvidos da rainha da Geórgia, que estava a morrer de doença desconhecida. Pediu ele que lhe chamassem Nina, mas esta, cuja inocência já tinha corrido muitos perigos, respondeu: "O meu lugar não é em palácio". Foi então a rainha ter com a escrava e recuperou a saúde. Tanto ela como o rei Mirian quiseram recompensá-la com ricos presentes, mas Cristiana recusou-os, dizendo: "A única coisa que me faria feliz seria ver-vos abraçar a religião cristã". Mirian levou muito tempo a tomar essa decisão, mas um dia, correndo grave perigo numa caçada às feras, prometeu que, se escapasse, se faria cristão. Sabe-se efetivamente que, cerca do ano de 325, ele pediu a Constantino que lhe enviasse missionários. O Imperador enviou-lhe o Bispo Pedro e o Sacerdote Jacob, que batizaram "todos os habitantes da sua capital", lançando assim os fundamentos do Cristianismo nesse país.

Santa Cristiana, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 21,23-27)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 23Jesus voltou ao Templo. Enquanto ensinava, os sumos sacerdotes e os anciãos do povo aproximaram-se dele e perguntaram: “Com que autoridade fazes estas coisas? Quem te deu tal autoridade?”
24Jesus respondeu-lhes: “Também eu vos farei uma pergunta. Se vós me responderdes, também eu vos direi com que autoridade faço estas coisas. 25Donde vinha o batismo de João? Do céu ou dos homens?”
Eles refletiam entre si: “Se dissermos: ‘Do céu’, ele nos dirá: ‘Por que não acreditastes nele?’ 26Se dissermos: ‘Dos homens’, temos medo do povo, pois todos têm João Batista na conta de profeta”.
27Eles então responderam a Jesus: “Não sabemos”. Ao que Jesus também respondeu: “Eu também não vos direi com que autoridade faço estas coisas”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.
Jesus da continuidade ao anúncio de João

Jesus, ao chegar a Jerusalém, na ocasião da festa da Páscoa dos judeus, havia denunciado o comércio no templo, controlado pelos dirigentes religiosos. E diariamente ensinava no espaço deste templo. Agora tais dirigentes, membros do sinédrio, autoridade máxima do judaísmo, vêm interpelá-lo: "Com que autoridade fazes estas coisas?". Esta pergunta indica que querem ignorar o caráter profético e divino de Jesus. Jesus responde com uma pergunta insinuante: o batismo de João era do céu ou dos homens? Na pergunta, revela três aspectos: era grande a aceitação de João Batista entre o povo, João Batista era um homem de Deus e Jesus coloca-se em continuidade do anúncio original de João Batista, levando-o à plenitude do Reino dos Céus. Os dirigentes judeus, que rejeitaram João Batista, temiam o povo, que acreditava nele; então, não respondem. Jesus também não responde, mas prepara-lhes uma parábola.

José Raimundo Oliva

A igreja celebra hoje: São João da Cruz

O santo deste dia é conhecido como Doutor Místico: São João da Cruz. Nasceu em Fontiveros, na Espanha, em 1542. Seus pais, Gonçalo e Catarina, eram pobres tecelões. Gonçalo morreu cedo e a viúva teve de passar por dificuldades enormes para sustentar os três filhos: Francisco, Luís e João. Mas Luís morreu de poucos anos.

João de Yepes (era este o seu nome de batismo) mostrou-se inclinado para os estudos. A mãe envia-o para o Colégio da Doutrina e, em 1551, os Padres Jesuítas fundaram um colégio em Medina (centro comercial de Castela). Nele, São João da Cruz estudou Ciências Humanas.

Com 21 anos, sentiu o chamado à vida religiosa e entrou na Ordem Carmelita na qual pede o hábito. Nos tempos livres, gostava de visitar os doentes nos hospitais, servindo de enfermeiro. Chamar-se-á para o futuro João de Santa Maria. Devido ao talento e à virtude, depressa foi destinado para o colégio de Santo André, que a Ordem possui em Salamanca, ao lado da famosa Universidade. Ali, São João da Cruz estudou Artes e Teologia. Foi neste colégio o "prefeito dos estudantes", o que indica o seu aproveitamento e a estima em que era tido. Em 1567 recebeu a Ordenação Sacerdotal.

Desejando uma disciplina mais rígida, São João da Cruz quase saiu da Ordem para ir para os Cartuxos mas, felizmente, encontrou-se com a reformadora dos Carmelos, Santa Teresa D'Ávila, que tinha recebido autorização para a reforma dos conventos masculinos. João empenhado na reforma conheceu o sofrimento, as perseguições e tantas outras resistências. Chegou a ficar nove meses preso num convento em Toledo, até que conseguiu escapar.

São João da Cruz transformou em Deus todos as cruzes num meio de santificação para si e para os irmãos. Três coisas pediu e acabou recebendo de Deus: primeiro, força para trabalhar e sofrer muito; segundo, não sair deste mundo como superior de uma comunidade; e terceiro, morrer desprezado e escarnecido pelos homens.

Pregador, místico, escritor e poeta, São João da Cruz faleceu após uma penosíssima enfermidade, em 1591, com 49 anos de idade. Foi canonizado no ano de 1726 e, em 1926, o Papa Pio XI o declarou Doutor da Igreja. Escreveu obras bem conhecidas como: Subida do Monte Carmelo, Noite escura da alma (estas duas fazem parte de um todo, que ficou afinal por terminar), Cântico espiritual e Chama viva de amor. No decurso delas, o itinerário que a alma percorre é claro e certeiro. Negação e purificação das suas desordens debaixo de todos os aspectos.

São João da Cruz é o Doutor Místico por antonomásia, da Igreja, o representante principal da sua mística no mundo, a figura mais egrégia da cultura espanhola e uma das principais da cultura universal. Foi tomado como Patrono da Rádio, pois, quando pregava, a sua voz chegava até muito longe.


São João da Cruz, rogai por nós!