Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Festa de Santa Teresinha 2009

Ontem dia 25/09/09 a novena teve como noiteiros o Movimento Apostólico de Mãe Rainha, Terço dos Homens, Focolares, Apostolado da Oração, Legião de Maria e Oficina de Oração, o sub-tema: Comunidades, lugar de Perdão. Como tem acontecido todas as noites o novenario teve a participação de muitos fieis e devotos de Santa Teresinha e teve como pregador nosso querido amigo Padre João Batista da Paróquia de São Paulo Apóstolo que fez uma bela pregação, em seguida ouve o momento de convivencia com barracas e uma boa musica ao vivo. Lembramos que o jantar será no dia 29, portanto terça feira e a senha esta sendo vendida ao preço de R$ 5,00, aproveite.

Parabenizamos aos Padre Crisanto, Augusto Lívio e toda equipe pela belissima festa.

Vejam as fotos:








Evangelho (Lucas 9,43b-45)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 43todos estavam admirados com todas as coisas que Jesus fazia. Então Jesus disse a seus discípulos: 44“Prestai bem atenção às palavras que vou dizer: O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens”. 45Mas os discípulos não compreenderam o que Jesus dizia. O sentido lhes ficava escondido, de modo que não podiam entender; e eles tinham medo de fazer perguntas sobre o assunto.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus esclarece seus discípulos sobre os acontecimentos da sua paixão

No fi m de sua missão na Galiléia e em países gentílicos vizinhos, preparando sua viagem para Jerusalém, Jesus passa a esclarecer seus discípulos sobre os acontecimentos previstos na visita a essa cidade. Em três momentos diferentes, com os "anúncios da Paixão", ele adverte-os sobre perseguições, sofrimentos e morte que ali lhe serão impostos pelos chefes religiosos judeus. O texto de hoje é o segundo anúncio. Jesus o faz antes de sua entrada na Samaria. Próximo ao fi m do seu ministério, os discípulos ainda não entendem claramente o sentido da sua Boa-Nova. A ideologia religiosa em que foram educados, apresentando um deus poderoso que privilegia alguns e destrói seus inimigos, estava enraizada em suas mentes. Jesus não é o messias-cristo poderoso que vem reinar sobre Israel. Ele é o Filho do Homem, vulnerável e indefeso diante de tais sofrimentos, o que exprime claramente a renúncia a qualquer
ato de poder contra os inimigos. Ele é o Filho do Homem em sua condição de fragilidade humana diante da missão recebida de Deus. Priorizando a liberdade e o amor em comunicar a Boa-Nova aos peregrinos em Jerusalém, Jesus despreza o sofrimento e a morte a serem impostos pelos líderes religiosos da cidade.

A igreja celebra hoje: São Cosme e Damião

Hoje, lembramos dois dos santos mais citados na Igreja: Cosme e Damião. Eram irmãos gêmeos, médicos de profissão e santos na vocação da vida. Viveram no Oriente e, desde jovens, eram habilidosos médicos. Com a conversão passaram a ser também missionários, ou seja, aproveitando a ciência com a confiança no poder da oração levavam a muitos a saúde do corpo e da alma.

Viveram na Ásia Menor, até que diante da perseguição de Diocleciano, no ano 300 da era cristã, foram presos pois eram considerados inimigos dos deuses e acusados de usar feitiçarias e meios diabólicos para disfarçar as curas. Tendo em vista esta acusação, a resposta deles era sempre:

"Nós curamos as doenças, em nome de Jesus Cristo e pelo Seu poder!"

Diante da insistência, quanto à adoração aos deuses, responderam: "Teus deuses não têm poder algum, nós adoramos o Criador do céu e da terra!"

Jamais abandonaram a fé e foram decapitados em 303. São considerados os padroeiros dos farmacêuticos, médicos e das faculdades de medicina.


São Cosme e São Damião, rogai por nós!

Os dez mandamentos bíblicos da lei de Deus para ler a Bíblia com proveito.


Por Dom Mario de Gasperín Gasperín, bispo de Querétaro

QUERÉTARO, segunda-feira, 14 de setembro de 2009 (ZENIT.org-El Observador).- Por ocasião do mês da Bíblia, o bispo de Querétaro, Dom Mario de Gasperín Gasperín, biblista reconhecido, escreveu um "Decálogo para ler a Bíblia com proveito", que compartilhamos a seguir, por considerá-lo de interesse geral.



1. Nunca achar que somos os primeiros que leram a Santa Escritura. Muitos, muitíssimos, através dos séculos, a leram, meditaram, viveram e transmitiram. Os melhores intérpretes da Bíblia são os santos.



2. A Escritura é o livro da comunidade eclesial. Nossa leitura, ainda que seja em solidão, jamais poderá ser solitária. Para lê-la com proveito, é preciso inserir-se na grande corrente eclesial que é conduzida e guiada pelo Espírito Santo.



3. A Bíblia é "Alguém". Por isso, é lida e celebrada ao mesmo tempo. A melhor leitura da Bíblia é a que se faz na Liturgia.



4. O centro da Sagrada Escritura é Cristo; por isso, tudo deve ser lido sob o olhar de Cristo e buscando n'Ele seu cumprimento. Cristo é a chave interpretativa da Sagrada Escritura.



5. Nunca esquecer de que na Bíblia encontramos fatos e frases, obras e palavras intimamente unidos uns aos outros; as palavras anunciam e iluminam os fatos, e os fatos realizam e confirmam as palavras.



6. Uma maneira prática e proveitosa de ler a Escritura é começar com os Santos Evangelhos, continuar com os Atos dos Apóstolos e Cartas e ir misturando com algum livro do Antigo Testamento: Gênesis, Êxodo, Juízes, Samuel etc. Não querer ler o livro do Levítico de uma só vez, por exemplo. Os Salmos devem ser o livro de oração dos grupos bíblicos. Os profetas são a "alma" do Antigo Testamento: é preciso dedicar-lhes um estudo especial.



7. A Bíblia é conquistada como a cidade de Jericó: "dando voltas". Por isso, é bom ler os lugares paralelos. É um método interessante e muito proveitoso. Um texto esclarece o outro, segundo o que diz Santo Agostinho: "O Antigo Testamento fica patente no Novo e o Novo está latente no Antigo".



8. A Bíblia deve ser lida e meditada com o mesmo espírito com que foi escrita. O Espírito Santo é o seu principal autor e intérprete. É preciso invocá-lo sempre antes de começar a lê-la e, no final, agradecer-lhe.



9. A Santa Bíblia nunca deve ser utilizada para criticar e condenar os demais.



10. Todo texto bíblico tem um contexto histórico em que se originou e um contexto literário em que foi escrito. Um texto bíblico, fora do sue contexto histórico e literário, é um pretexto para manipular a Palavra de Deus. Isso é tomar o nome de Deus em vão.



Mario de Gasperín Gasperín
Bispo de Querétaro

Evangelho (Lucas 9,18-22)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Aconteceu que Jesus 18estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” 19Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”.
20Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. 21Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém. 22E acrescentou: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho


Cabe a Pedro revelar a identidade do Mestre

Várias são as opiniões sobre a identidade de Jesus e a natureza de sua missão. As identificações com João Batista, com Elias ou com algum dos antigos profetas exprimem a expectativa de um líder popular libertador. Contudo, caberá a Pedro, que na narrativa representa a comunidade de discípulos, a interpretação equivocada, identifi cada com a ideologia do sistema religioso da sinagoga: Jesus é o messias ("cristo") davídico, escolhido por Javé para restaurar Israel. Em decorrência, segue-se a severa advertência aos discípulos. A narrativa destina-se amplamente às novas comunidades, para que não se atrelem à ideologia messiânica de poder da sinagoga, opressora e conservadora.
Para terminar de desfazer o equívoco, Jesus apresenta-se como o "Filho do Homem". A expressão hebraica, depois traduzida para o grego, signifi ca simplesmente "o humano". E o "humano" é vulnerável à violência, ao sofrimento e à morte. Entretanto, o "humano", em Jesus e por Jesus, pela fi liação divina amorosamente infundida por Deus em seu
coração, é portador da vida eterna.

A igreja celebra hoje: São Sérgio

"Contemplando a Santíssima Trindade, vencer a odiosa divisão deste mundo".

Esta frase reflete a alma contemplativa do santo de hoje, São Sérgio, considerado o "São Bento" da Rússia cristã. Na antiga Rússia o Cristianismo penetrou por volta do século IX, sendo Vlademiro, o primeiro príncipe a se converter ao Cristianismo, isto em 1010.

A religião do Cristo esteve sempre na Rússia, ligada mais ao Oriente do que a Roma. Monge Sérgio, tornou-se o grande evangelizador do século XIV, pois através de numerosos mosteiros irradiava a cultura e a verdadeira fé.

Após deixar o declínio da vida monástica na Rússia, Sérgio experimentou, com seu irmão, a construção numa floresta virgem de uma capela dedicada à Santíssima Trindade, devoção desconhecida naquele povo.

O irmão não aguentou, mas com firmeza e santidade, o santo de hoje atraiu a muitos até que edificaram um mosteiro em louvor a Santíssima Trindade.

Ordenado sacerdote para o melhor exercício da vocação de formar os monges na fundamental regra da oração e do trabalho, viveu São Sérgio: os "filhos", a pobreza, a mansidão e total confiança na Divina Providência.

São Sérgio escreveu tanto que é considerado o grande educador nacional do povo russo. Faleceu com quase 80 anos de idade em 25 de setembro de 1392 no mosteiro da Santíssima Trindade.

São Sérgio...rogai por nós!

Evangelho (Lucas 9,7-9)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 7o tetrarca Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo, e ficou perplexo, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. 8Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. 9Então Herodes disse: “Eu mandei degolar João. Quem é esse homem, sobre quem ouço falar essas coisas?” E procurava ver Jesus.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A vida de Jesus provoca dúvida em Herodes

O evangelista Lucas narra esta interrogação de Herodes sobre Jesus por ocasião do envio dos Doze em missão pela Galiléia, território não muito extenso, que estava sob a sua jurisdição. Recebendo notícias da crescente atividade de Jesus e seus discípulos, Herodes alarma-se, parecendo-lhe que se repetia a mesma agitação ocorrida com João Batista. Temendo a popularidade e a pregação de João, Herodes havia mandado prendê-lo e, depois de algum tempo, decapitá-lo. Eram várias as opiniões entre o povo sobre Jesus. Tendo sido discípulo de João Batista, Jesus assumiu na sua Boa-Nova a proclamação da proximidade do Reino e o apelo à conversão. Pela semelhança do anúncio de Jesus com o de João Batista, opinavam que este, recém-executado por Herodes, teria ressuscitado. Com um misto de curiosidade e receio, Herodes desejava ver Jesus. O evangelista Lucas registra que, no processo da Paixão, quando Jesus é levado à presença de Herodes, este fi ca muito contente, pois havia muito tempo queria vê-lo e esperava que ele fi zesse algum milagre. Fica no ar a pergunta sobre Jesus: "Quem é este?". A resposta é encontrada por todo aquele que se deixa tocar por ele, seguindo-o e comprometendo-se com o seu projeto de restauração da vida.

A igreja celebra hoje: São Geraldo

Hoje, nos enriquecemos com a vida de santidade de São Geraldo, o primeiro mártir da Hungria.

O santo de hoje nasceu em Veneza, em 980. Estudou em escola beneditina e teve uma ótima formação, que inclui o zelo pela salvação das almas. Abraçou a vida religiosa na Ordem Beneditina e em pouco tempo São Geraldo chegou ao serviço de abade do mosteiro.

Voltando de uma viagem à Terra Santa, passou pela Hungria e a pedido do rei assumiu a missão de evangelizar com seu grupo aquela nação. Combateu as idolatrias e o sagrado Bispo não deixava de recorrer e recomendar a Onipotência Suplicante da Virgem Maria.

Com a morte do rei, entrou a luta pelo poder e ele lutou pela paz onde reinava a discórdia. Um dos pretendentes não só era contra o Bispo, mas cultivava ódio pelo Cristianismo.

Numa viagem em socorro do povo com a fé ameaçada, São Geraldo foi preso e apedrejado até a morte pelos inimigos da fé, isto em 24 de setembro de 1046.

Deixou escrito lindos testemunhos do religioso Bispo e fiel cristão, o qual tornou-se com a graça de Deus.


São Geraldo...rogai por nós!

Evangelho (Lucas 9,1-6)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus convocou os Doze, deu-lhes poder e autoridade sobre todos os demônios e para curar doenças, 2e enviou-os a proclamar o Reino de Deus e a curar os enfermos. 3E disse-lhes: “Não leveis nada para o caminho: nem cajado nem sacola nem pão nem dinheiro nem mesmo duas túnicas. 4Em qualquer casa onde entrardes, ficai aí; e daí é que partireis de novo. 5Todos aqueles que não vos acolherem, ao sairdes daquela cidade, sacudi a poeira dos vossos pés, como protesto contra eles”. 6Os discípulos partiram e percorriam os povoados, anunciando a Boa Nova e fazendo curas em todos os lugares.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus envia os apóstolos em missão

A simples referência aos "Doze" remete a uma lista da tradição com os doze nomes de apóstolos. Esta tradição foi criada a partir da interpretação, dos discípulos oriundos do judaísmo, de que o movimento de Jesus era a continuidade das doze tribos de Israel. Nos Evangelhos sinóticos, fora a lista dos Doze, só são feitas referências a quatro discípulos - Pedro, André, Tiago e João - e, na narrativa da Paixão, aparece o nome de Judas Iscariotes.
O Evangelho de João não menciona esta lista dos Doze, nem fala em apóstolos. Demônios e doenças significavam a
opressão interior que a doutrina das sinagogas e do templo exercia sobre o povo, bem como as precariedades e carências físicas sofridas pelos excluídos. Os discípulos devem ir despojados, entregues à providência daqueles que encontrarão nas casas ou pelos caminhos. O sucesso da missão resulta da confi ança e auto-entrega dos enviados e da acolhida amorosa por parte dos destinatários, disponíveis para a solidariedade e para a comunhão. Vão surgindo, assim, novas comunidades, formando uma rede missionária.

A igreja celebra hoje: São Pio de Pietrelcina


Este digníssimo seguidor de S. Francisco de Assis nasceu no dia 25 de maio de 1887 em Pietrelcina (Itália). Seu nome verdadeiro era Francesco Forgione. Ainda criança era muito assíduo com as coisas de Deus, tendo uma inigualável admiração por Nossa Senhora e o seu Filho Jesus, que os via constantemente devido a tanta familiaridade. Ainda pequenino havia se tornado amigo do seu Anjo da Guarda a quem recorria muitas vezes para auxiliá-lo no seu trajeto nos caminhos do Evangelho.

Conta a história que ele recomendava muitas vezes as pessoas a recorrerem ao seu Anjo da Guarda estreitando assim a intimidade dos fiéis para com aquele que viria a ser o primeiro sacerdote da história da Igreja a receber os estigmas do Cristo do Calvário.

Com quinze anos de idade entrou no Noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em Morcone, adotando o nome de "Frei Pio" e foi ordenado Sacerdote em 10 de agosto de 1910 na Arquidiocese de Benevento. Após a Ordenação, Padre Pio precisou ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde e, em setembro desse mesmo ano, foi enviado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até o dia de sua morte.

Abrasado pelo amor de Deus, marcado pelo sofrimento e profundamente imerso nas realidades sobrenaturais, Padre Pio recebeu os estigmas, sinais da Paixão de Jesus em seu próprio corpo. Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava por este sacramento aliviar os sofrimentos atrozes do coração de seus fiéis e libertá-los das garras do demônio que era conhecido por ele como "barba azul".

Torturado, tentado e testado muitas vezes por este, sabia muito da sua astúcia no seu afã em desviar os filhos de Deus do caminho da fé. Percebendo que não somente deveria aliviar o sofrimento espiritual, recebeu de Deus a inspiração de construir um grande hospital, conhecido como "Casa Alívio do Sofrimento", que viria a ser uma referência em toda a Europa. A fundação deste hospital se deu a 5 de maio de 1956.

Devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, Padre Pio cria os grupos de oração, verdadeiras células catalisadores do amor e da paz de Deus para serem instrumentos de tais virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos.

Na ocasião do aniversário de 50 anos dos grupos de oração, Padre Pio celebrou uma Missa nesta intenção. Seria esta Missa o caminho do seu Calvário definitivo, onde entregaria a alma e o corpo ao seu grande apaixonado; a última vez que os seus filhos espirituais veriam o Padre a quem tanto amavam. Era madrugada do dia 23 de setembro de 1968, no seu quarto conventual com o terço entre os dedos repetindo o nome de Jesus e Maria, descansa em paz aquele que tinha abraçado a Cruz de Cristo, fazendo desta a ponte de ligação entre a terra e o céu. Foi beatificado no dia 2 de maio de 1999 pelo Papa João Paulo II que, viria também a canonizar Padre Pio no dia 16 de junho de 2002.

Padre Pio que diz: "Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar!"


São Pio de Pietrelcina, rogai por nós!

V Encontro Diocesano do Terço dos Homens Mãe Rainha

Aconteceu domingo dia 20 de setembro na cidade de Doutor Severiano, o V Encontro Diocesano do Terço dos Homens Mãe Rainha do Zonal Auto Oeste. O encontro como todos os outros já realizados, foi marcado pela grande manifestação de fé e amor a Jesus e a nossa querida Mãe e Rainha três vezes admirável.
Vejam as fotos:










Evangelho (Lucas 8,19-21)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 19a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão. 20Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. 21Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A grande família de Jesus é aquela em que o amor transborda

Lucas coloca este episódio como fecho à instrução de Jesus sobre a escuta da palavra. Escutar a palavra não signifi ca tornar-se conhecedor de alguma doutrina religiosa ou grande devoto de cultos e louvores, nem aplicar-se a cumprir preceitos morais. O critério fundamental da comunhão com Deus é o cumprimento da sua vontade, pondo em
prática as palavras de Jesus. A partir deste critério fundamental, Lucas já apresentara a parábola dos dois construtores: aquele que constrói a casa sólida é o que escuta as palavras de Jesus e as põe em prática, fazendo a vontade de Deus. Na narrativa de hoje se desvela um sentido mais amplo da própria família, extrapolando os laços carnais. É a grande família formada por todos aqueles que, unidos a Jesus, se empenham no cumprimento de sua palavra. É, também, na perspectiva da família aberta e solidária que Lucas narra a proclamação de Jesus: "Bem-aventurados, sobretudo, são os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em prática", quando uma mulher lhe diz: "Feliz o ventre que te trouxe e os seios que te amamentaram". A grande família de Jesus é aquela em que o amor transborda, comunicando-se a todos, particularmente aos mais necessitados. Realiza-se assim a vontade de Deus, que deseja vida plena para todos, sem exclusões.

A igreja celebra hoje: São Maurício e companheiros mártires

Hoje Roma, muitas vezes é chamada de Cidade Eterna, onde encontramos a Cátedra de São Pedro, ocupada pelo atual Papa Bento XVI.

Roma é considerada pelos católicos como sinal visível do Sacramento Universal da Salvação, a Igreja; porém, para que isto ocorresse, muitos mártires deram a vida para "comprarem" com o sangue a vitória do Cristianismo sobre o Império Romano, que em 381 dobrou os joelhos diante do verdadeiro Deus e verdadeiro homem: Jesus Cristo.

São Maurício e companheiros faziam parte da tropa dos valentes guerreiros e mártires do Senhor, que estiveram envolvidos no massacre da Legião Tebana. O imperador Diocleciano, precisando combater as tropas que ameaçavam o Império no Oriente, foi ao amigo Maximiano para que o mesmo organizasse um forte exército. Tendo feito progresso, o imperador mandou que o exército parasse para descansar e oferecer sacrifícios aos deuses em sinal de agradecimento.

Imediatamente os soldados cristãos se opuseram a tal ordem: "Somos teus soldados e não menos servidores de Deus. Sabemos perfeitamente a nossa obrigação como militares, mas não nos é lícito atraiçoar o nosso Deus e Senhor. Estamos prontos a obedecer a tudo que não contrarie a lei de Jesus Cristo."

Começaram a matar parte deste grupo e o oficial Maurício com seus companheiros foram os que mais se destacaram pois acolheram, por amor e fé em Jesus Cristo, a palma do martírio, dando assim, o mais perfeito testemunho.

Providencialmente, ou seja, como sinal da grande fidelidade destes cristãos, o local à beira do Rio Ródano ficou conhecido como Martigny, nome que deriva de mártir. Este fato ocorreu por volta do ano 286, e é certo que no século seguinte foi elevada uma basílica no lugar da execução e que, no ano 520, Sigismundo, rei da Borgonha, construiu lá um mosteiro que subsiste ainda e deu origem à cidade de São Maurício na Suíça.


São Maurício e companheiros, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 9,9-13)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 9Jesus viu um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: “Segue-me!” Ele se levantou e seguiu Jesus.
10Enquanto Jesus estava à mesa, em casa de Mateus, vieram muitos cobradores de impostos e pecadores e sentaram-se à mesa com Jesus e seus discípulos. 11Alguns fariseus viram isso e perguntaram aos discípulos: “Por que vosso mestre come com os cobradores de impostos e pecadores?”
12Jesus ouviu a pergunta e respondeu: “Aqueles que têm saúde não precisam de médico, mas sim os doentes. 13Aprendei, pois, o que significa: ‘Quero misericórdia e não sacrifício’. De fato, eu não vim para chamar os justos, mas os pecadores”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus faz sua opção pelo banquete da vida com os humilhados e excluídos

Neste chamado de Mateus, além do realce à disponibilidade no seguimento de Jesus, destaca-se a denúncia contra a discriminação de pessoas, ao qualifi cá-las de pecadoras. Mateus era um publicano, ou cobrador de impostos, o que lhe conferia boa condição financeira. Contudo, em conseqüência dos contínuos contatos com comerciantes gentios,
os publicanos infringiam as observância legais de pureza religiosa e, assim, eram considerados pecadores, pois os gentios eram tidos como impuros. Após chamar Mateus, Jesus senta-se à mesa com ele e com seus amigos, também
publicanos e pecadores. A atitude ostensiva de Jesus suscita a indignação dos fariseus. Ele, então, descarta o título de "justos", atribuído àqueles que faziam seus sacrifícios e suas ofertas no templo, bem como o título de "pecadores" aos discriminados pela Lei religiosa. Jesus faz sua opção pelo banquete da vida com os humilhados e excluídos, chamados "pecadores".

A igreja celebra hoje: São Mateus

A Igreja celebra hoje, de forma especial, a vida de São Mateus apóstolo e evangelista, cujo nome antes da conversão era Levi. Morava e trabalhava como coletor de impostos em Cafarnaum, na Palestina. Quando ouviu a Palavra de Jesus: "Segue-me" deixou tudo imediatamente, pondo de lado a vida ligada ao dinheiro e ao poder para um serviço de perfeita pobreza: a proclamação da mensagem cristã!

Mateus era um rico coletor de impostos, e respondeu ao chamado do Mestre com entusiasmo. Encontramos no Evangelho de São Lucas a pessoa de Mateus que prepara e convida o Mestre para a grande festa de despedida em sua casa. Assim, uma numerosa multidão de publicanos e outros tantos condenados aos olhos do povo, sentaram-se à mesa com ele e com Àquele que veio, não para os sãos, mas sim para os doentes; não para os justos, mas para os pecadores. Chamando-os à conversão e à vida nova.

Por isso tocado pela misericórdia Daquele a quem olhou e amou, no silêncio e com discrição, livrou-se do dinheiro fazendo o bem.

É no Evangelho de Mateus que contemplamos mais amplamente trechos referentes ao uso do dinheiro, tais como:
"Não ajunteis para vós, tesouros na terra, onde a traça e o caruncho os destroem." e ainda:"Não podeis servir a Deus e ao dinheiro."

Com Judas, porém, ficou o encargo de "caixa" da pequena comunidade apostólica que Jesus formava com os seus. Mateus deixa todo seu dinheiro para seguir a Jesus, e Judas, ao contrário, trai Jesus por trinta moedas!

Este apóstolo a quem festejamos hoje com toda a Igreja, cujo significado do nome é Dom de Deus, ficou conhecido no Cristianismo nem tanto pela sua obra missionária no Oriente, mas sim pelo Evangelho que guiado pelo carisma extraordinário da inspiração pôde escrever, entre 80-90 na Síria e Palestina, grande parte da vida e ensinamentos de Jesus. Celebramos também seu martírio que acabou fechando com a palma da vitória o testemunho deste apóstolo, santo e evangelista.

São Mateus, rogai por nós!

Evangelho (Marcos 9,30-37)



— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 30Jesus e seus discípulos atravessavam a Galileia. Ele não queria que ninguém soubesse disso, 31pois estava ensinando a seus discípulos. E dizia-lhes: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens, e eles o matarão. Mas, três dias após sua morte, ele ressuscitará”.
32Os discípulos, porém, não compreendiam estas palavras e tinham medo de perguntar. 33Eles chegaram a Cafarnaum. Estando em casa, Jesus perguntou-lhes: “O que discutíeis pelo caminho?”
34Eles, porém, ficaram calados, pois pelo caminho tinham discutido quem era o maior.
35Jesus sentou-se, chamou os doze e lhes disse: “Se alguém quiser ser o primeiro, que seja o último de todos e aquele que serve a todos!”
36Em seguida, pegou uma criança, colocou-a no meio deles e, abraçando-a, disse: 37“Quem acolher em meu nome uma destas crianças, é a mim que estará acolhendo. E quem me acolher, está acolhendo, não a mim, mas àquele que me enviou”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A novidade do Reino deve ser acolhida com humildade e simplicidade

No Evangelho de Marcos encontramos três narrativas com o mesmo tema, nas quais Jesus prenuncia seu sofrimento e morte em Jerusalém. São os três "anúncios da Paixão". Os outros evangelistas sinóticos, Mateus e Lucas, que escreveram seus Evangelhos cerca de duas décadas após Marcos, possivelmente o tendo como referência, apresentam também estes três anúncios. O primeiro anúncio é feito quando Jesus está encerrando seu ministério na região de Tiro e Sidônia, ao norte da Galiléia. Daí, ele com seus discípulos seguem o caminho em direção a Jerusalém, onde será celebrada a festa anual da Páscoa. Na leitura do Evangelho de hoje, temos o segundo anúncio da Paixão,
quando Jesus e seus discípulos atravessam a Galiléia. Jesus, não querendo deter-se nessa região, procura evitar que as multidões saibam de sua presença ali. A repetição do anúncio da Paixão e da ressurreição visa a demover
os discípulos das aspirações de messianismo triunfalista. Jesus insiste em esclarecer os discípulos que não veio para assumir o poder, mas para libertar e promover a vida. Revela que ele é vulnerável à repressão dos poderosos,
pressentindo a proximidade da morte. O livro da Sabedoria descreve o sofrimento de um justo perseguido, o que
foi aplicado a Jesus. Contudo, os discípulos que o acompanham ainda pensam que ele poderia liderar um movimento de tomada do poder. Discutem entre si quem é o maior, isto é, quem fi cará com os cargos mais importantes. São os anseios antagônicos à proposta de Jesus, que provocam confl itos na comunidade. Já no fi m do ministério de Jesus, os discípulos ainda não compreendem plenamente a novidade de seu anúncio. Tomando a criança como modelo, ele mostra a inversão dos valores do Reino: o que importa é o serviço com amor, e não o poder. A novidade do Reino deve ser acolhida como fazem as crianças, que, na humildade e simplicidade, com admiração, acolhem os valores da vida.

A igreja celebra hoje: Santo André Kim e companheiros mártires

Tornamos célebre neste dia o testemunho dos 103 mártires coreanos que foram canonizados pelo Papa João Paulo II, na sua visita a Seul em maio de 1984.

Tudo começou no Século XVII, com o interesse pelo Cristianismo por parte de um grupo de letrados que ao lerem o livro do missionário Mateus Ricci com o título "O verdadeiro sentido de Deus", tiveram a iniciativa de encarregar o filho do embaixador coreano na China, na busca das riquezas de Jesus Cristo. Yi Sung-Hun dirigiu-se ao Bispo de Pequim que o catequizou e batizou, entrando por aí a Boa Nova na Coréia, ou seja, por meio de um jovem e ousado leigo cristão que, com amigos, fundaram uma primeira comunidade cristã.

Com a eficácia do Espírito, começaram a evangelizar de aldeia em aldeia ao ponto de somarem, em dez anos, dez mil testemunhas da presença do Ressuscitado.

Várias vezes solicitaram do Bispo de Pequim o envio de sacerdotes, a fim de organizarem a Igreja. Roma, porém, era de difícil acesso e o Papa sofria com a prepotência de Napoleão, resultado: somente a Igreja pôde socorrer aos cristãos coreanos, trinta anos depois, quando os cristãos coreanos tinham sido martirizados aos milhares, juntamente com os 103 mártires, dentre estes: André Kim, o primeiro padre coreano morto em 1845; dez clérigos e 92 leigos.

Alguns testemunhos ficaram gravados, e dentre tantos: "Dado que o Senhor do céu é o Pai de toda a humanidade e o Senhor de toda a criação, como podeis pedir-me para o trair? Se neste mundo aquele que trair o pai ou a mãe não é perdoado, com maior razão, não posso nunca, trair aquele que é o Pai de todos nós!" (Teresa Kwon).

Os primeiros mártires coreanos escreveram, com sangue, as primeiras páginas da história na Igreja da própria pátria. Na data da canonização, bicentenária do início da evangelização da Coréia, esta nação contava com 1.4000.000 católicos, 14 Dioceses, 1.200 sacerdotes, 3.500 religiosos e 4.500 catequistas, atestando mais uma vez a frase de Tertuliano:

"O sangue dos mártires é sangue de novos cristãos!"


Santo André Kim e companheiros mártires...rogai por nós!