Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





1º Aniversário do Terço dos Homens Mãe Rainha - Comunidade Promorar


Evangelho (Lucas 8,4-15)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 4reuniu-se uma grande multidão, e de todas as cidades iam ter com Jesus. Então ele contou esta parábola: 5“O semeador saiu para semear a sua semente. Enquanto semea­va, uma parte caiu a beira do caminho; foi pisada e os pássaros do céu a comeram.
6Outra parte caiu sobre pedras; brotou e secou, porque não havia umidade. 7Outra parte caiu no meio de espinhos; os espinhos cresceram juntos, e a sufocaram. 8Outra parte caiu em terra boa; brotou e deu fruto, cem por um”. Dizendo isso, Jesus exclamou: “Quem tem ouvidos para ouvir ouça”.
9Os discípulos lhe perguntaram o significado dessa parábola. Jesus respondeu: 10“A vós foi dado conhecer os mistérios do Reino de Deus. Mas aos outros, só por meio de parábolas, para que olhando não vejam, e ouvindo não compreendam”.
11A parábola quer dizer o seguinte: A semente é a Palavra de Deus. 12Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouviram, mas, depois, vem o diabo e tira a Palavra do coração deles, para que não acreditem e não se salvem.
13Os que estão sobre a pedra são aqueles que, ouvindo, acolhem a Palavra com alegria. Mas eles não têm raiz: por um momento acreditam; mas na hora da tentação voltam atrás. 14Aquilo que caiu entre os espinhos são os que ouvem, mas, com o passar do tempo são sufocados pelas preocupações, pela riqueza e pelos prazeres da vida, e não chegam a amadurecer. 15E o que caiu em terra boa são aqueles que, ouvindo com um coração bom e generoso, conservam a Palavra, e dão fruto na perseverança.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus nos chama para ouvir e acolher sua Palavra

O fio condutor desta parábola é o "ouvir", que culmina com o "dar frutos". Após narrar a parábola, Jesus a explica aos seus discípulos. A semente semeada é a palavra. São diversas as situações em que a palavra é ouvida. Uns a ouvem por mera curiosidade, sem compromisso. Alguns a ouvem sinceramente, mas arrefecem seu ânimo diante dos riscos que podem correr. Outros a ouvem, mas a esquecem logo, iludidos pelas falsas seduções dos sistemas de exploração deste mundo. Porém, Jesus nos chama para ouvir e acolher sua Palavra, dando abundantes frutos de amor, misericórdia e justiça.

A igreja celebra hoje: São Januário

Adicionar vídeoA história do santo deste dia se entrelaça com a cidade italiana de Nápoles, onde o corpo e sangue de Januário estão guardados. Este santo viveu no fim do século III e se tornara Bispo de Benevento, cidade próxima a Nápoles.

Como cristão estava constantemente se preparando para testemunhar (se preciso com o derramamento do próprio sangue) seu amor ao Senhor, já que naqueles tempos em que a Igreja estava sendo perseguida, não era difícil ser preso, condenado e martirizado pelos inimigos da Verdade. Na função de Bispo foi zeloso, bondoso e sábio, até ser juntamente com seus diáconos, preso e condenado a virar comida dos leões no anfiteatro da cidade de Pozzuoli (a primeira terra italiana que pisou o apóstolo Paulo a caminho de Roma).

Igual ao profeta Daniel e muitos outros, as feras lamberam, mas não avançaram nestes homens protegidos por Jesus. Nesse caso, sob a ordem do terrível imperador Diocleciano (último grande perseguidor), a única solução era a espada manejada pela irracional maldade humana. Foram decapitados. Isto ocorreu no ano 305.

Alguns cristãos, piedosamente, recolheram numa ampola o sangue do Bispo Januário para conservá-lo como preciosa relíquia e seu corpo acabou na Catedral de Nápoles. A partir disso, os napolitanos começaram a venerar o santo como protetor da peste e das erupções do vulcão Vesúvio.

Dentre tantos milagres alcançados pela sua intercessão, talvez o maior se deve ao seu sangue,"aquele guardado na ampola". Acontece que o sangue é exposto na Catedral, no dia da festa de São Januário e o extraordinário é que há séculos, o sangue, durante uma cerimônia, do estado sólido passa para o estado líquido, mudando de cor, de volume e até seu peso duplica. A multidão edificada se manifesta com gritos, enquanto a ciência, que já provou ser sangue humano, silencia quanto a uma explicação para este fato, esclarecido somente pela fé.

São Januário...rogai por nós!

"É nossa vocação servir a comunidade"


Caríssimos irmãos e irmãs, amigos e amigas do seminário Santa Teresinha, devotos e devotas da florzinha do Carmelo, é com muita alegria que chegamos a mais uma festa, e você é nosso convidado (a) especial para juntos glorificarmos a Santíssima trindade por tudo o que realizou na vida desta pequena grade santa.

Neste ano, no nosso seminário, estamos trabalhando a dimensão comunitária dentro do nosso projeto formativo, uma vez que o padre é chamado a formar um presbítero juntamente com o bispo e os demais irmãos no ministério, e deve formar, acompanhar e incentivar a tantas comunidades. Por isso achamos por bem que a festa de Santa Teresinha ajudasse nessa reflexão, visto que somos seres sociais e acreditamos num Deus que é comunidade: Pai, Filho e Espírito Santo, e que juntos formam o corpo místico de Cristo. E desejamos contemplar o testemunho de Santa Teresinha, ela que fez da vida comunitária um crescimento humano e espiritual, vivendo num mosteiro com irmãs bem mais velhas do que ela, e com os problemas decorrentes da doença e da velhice, foi capaz de reconhecer em cada irmã a face do Senhor.

Desde já muito obrigado pela vossa participação e pela colaboração com a formação dos futuros presbíteros. Que o Deus-comunidade pela intercessão de Santa Teresinha, derrame sobre todos vocês a sua bênção e dirija para vós a sua face.

Com carinho, gratidão e esperando a sua presença amiga e fraterna.
Pe. Francisco Crisanto, Pe. Augusto Lívio em nome de toda a comissão organizadora e dos seminaristas.

Programação:

21/09 às 19h30m Abertura da festa na capela do antigo Seminário, na praça dos hospitais e em seguida procissão com a imagem da Santa para o atual Seminário

22/09 às 19h30m
SUB-TEMA - Comunidade onde somos parte de um todo.
NOITEIROS - Movimento Cursilho de Cristandade.

23/09 às 19h30m
SUB-TEMA
- Comunidade, lugar de abertura.
NOITEIROS - Associação de Santa Teresinha, Colégio Diocesano Santa Luzia, ColégioSagrado Coração de Maria.

24/09 às 19h30m
SUB-TEMA - Comunidade, lugar de amor mutuo.
NOITEIROS - Renovação Carismática Católica

25/09 às 19h30m
SUB-TEMA - Comunidade, lugar de perdão.
NOITEIROS - Apostolado da Mãe Rainha, Focollares, Legião de Maria, Apostolado da Oração, Oficinas de Oração.

26/09 às 19h30m
SUB-TEMA - Comunidade, povo de sacerdotes.
NOITEIROS - Comunidade Novas

27/09 às 19h30m
SUB-TEMA
- Comunidade, fonte de vocação sacerdotal.
NOITEIROS - Amigos e benfeitores de Seminário, Amor Solidário

28/09 às 19h30m
SUB-TEMA - Comunidade, lugarbde vida e missão do presbitério
NOITEIROS - Juventude; Capela de São Vicente

29/09 às 19h30m
SUB-TEMA - A comunidade: fonte, lugar e meta da catequese.
NOITEIROS - Ex-seminaristas

30/09 às 19h30m
SUB-TEMA - No coração da comunidade: a festa
NOITEIROS - Seminaristas

01/10 às 19h30m - Missa de encerramento da Festa de Santa Tersinha


Todas as noites após a novena terá um momento de confraternização com barracas e atrações culturais.

Todos os dias missa às 6h na capela do antigo Seminário.

Dia 29 de setembro

Jantar beneficente, cartelas à venda ao preço de R$ 5,00 e sorteio de uma moto Traxx 50 cilindradas e de uma TV '21 polegadas.Dia 01 de outubro às 19h concentração no atual Seminário e caminhada para a capela onde acontecerá a missa de encerramento presidida pelo Pe. Sátiro Cavalcante Dantas.

Renovação da Aliança de Amor com a Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt!


Evangelho (Lucas 8,1-3)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus andava por cidades e povoados, pregando e anunciando a Boa Nova do Reino de Deus. Os doze iam com ele; 2e também algumas mulheres que haviam sido curadas de maus espíritos e doenças: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios; 3Joana, mulher de Cuza, alto funcionário de Herodes; Susana, e várias outras mulheres que ajudavam a Jesus e aos discípulos com os bens que possuíam.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Em torno de Jesus se reuniam os discipulos e as discipulas


Esta é a única vez que, nos Evangelhos, ao longo do ministério de Jesus, se menciona um grupo de discípulos formado por homens e mulheres, e estas são nomeadas. Na narrativa da Paixão será feita uma referência a elas (Lc
23,55). Dentre elas, chama a atenção a presença de Joana, mulher de um alto funcionário de Herodes. Em uma sociedade patriarcal, a disposição de Joana em seguir Jesus deve ter suscitado grandes confl itos em seu relacionamento com o marido, colaborador do opressor Herodes. A presença destas mulheres signifi ca rebeldia e transgressão, suscitando confrontos com a sociedade tradicional. Sobre as mulheres é dito que tinham sido curadas. Isto é, tinham sofrido as conseqüências da exclusão social e de gênero, mas sentiam-se libertas por Jesus. Seguiam Jesus e serviam o grupo. Elas já haviam entendido e praticavam o serviço, que é a característica fundamental do Reino. Sobre os Doze não se diz nada. Porém, mais adiante, estarão discutindo sobre quem seria o maior. Estes
estão ainda possuídos da ideologia davídica em vista de um messias poderoso. Em torno de Jesus, sob o seu fascínio,
reúnem-se discípulos e discípulas que vão amadurecendo. Surgem relações novas entre homens e mulheres, caracterizadas por liberdade, solidariedade e serviço.

A igreja celebra hoje: São José de Cupertino

O santo de hoje nasceu num estábulo, a exemplo de Jesus, em Cupertino, no reino de Nápoles, a 17 de junho de 1603. Filho de pais pobres, tornou-se um pobre que enriqueceu a Igreja com sua santidade de vida. José quando menino era a tal ponto limitado na inteligência que pouco aprendia e apresentava dificuldades nos trabalhos manuais, porém, de maneira extraordinária progrediu no campo da oração e da caridade.

São José foi despedido de dois conventos franciscanos por não conseguir corresponder aos ofícios e serviços comuns. Ele, porém, não desistia de recomendar sua causa a Santíssima Virgem, pela qual tinha sido anteriormente curado de uma grave e misteriosa enfermidade.

O poder da oração levou São José de Cupertino para o convento franciscano e ao sacerdócio, precisando para isso que a Graça suprisse as falhas da natureza. Desde então, manifestavam-se nele, fenômenos místicos acompanhados de curas milagrosas, que o tornou conhecido e procurado em toda a região.

Dentre os acontecimentos espirituais o que muito se destacou foi o êxtase, que consiste naquele estado de elevação da alma ao plano sobrenatural, onde a pessoa fica momentaneamente desapegada dos sentidos e entregue totalmente numa contemplação daquilo que é Divino. São José era tão sensível a esta realidade espiritual, que isto acontecia durante a Santa Missa, quando rezava com os Salmos e em outros momentos escolhidos por Deus; somente num dos conventos onde viveu 17 anos, seus irmãos presenciaram cerca de 70 êxtases do santo.

A fama das curas milagrosas se alastrava como uma epidemia, exaltando a imaginação popular, e obrigando o Frei José, a ser transferido de convento para convento. Mas, os fenômenos se repetiam e o povo lhe tirava todo o sossego.

Como na vida da maioria dos santos não faltaram línguas caluniosas que, interpretando mal esta popularidade atribuiu-lhe poderes demoníacos aos seus milagres e êxtases, ao ponto de denunciarem o santo Frei ao Tribunal da Inquisição de Nápoles. O processo terminou reconhecendo a inocência do religioso, impondo-lhe, porém, a reclusão obrigatória e a transferência para conventos afastados.

Depois de sofrer muito e de diversas maneiras, predisse o lugar e o tempo de sua morte, que aconteceu em 18 de setembro de 1663, contando com sessenta anos de humilde testemunho e docilidade aos Carismas do Espírito Santo. Foi beatificado por Bento XIV em 1753 e canonizado por Clemente XIII em 1767.


São José de Cupertino...rogai por nós!

V Encontro Diocesano do Terço dos Homens Mãe Rainha




Evangelho (Lucas 7,36-50)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 36um fariseu convidou Jesus para uma refeição em sua casa. Jesus entrou na casa do fariseu e pôs-se à mesa.
37Certa mulher, conhecida na cidade como pecadora, soube que Jesus estava à mesa, na casa do fariseu. Ela trouxe um frasco de alabastro com perfume, 38e, ficando por detrás, chorava aos pés de Jesus; com as lágrimas começou a banhar-lhe os pés, enxugava-os com os cabelos, cobria-os de beijos e os ungia com o perfume.
39Vendo isso, o fariseu que o havia convidado ficou pensando: “Se este homem fosse um profeta, saberia que 40tipo de mulher está tocando nele, pois é uma pecadora”.
Jesus disse então ao fariseu: “Simão, tenho uma coisa para te dizer”. Simão respondeu: “Fala, mestre”! 41“Certo credor tinha dois devedores; um lhe devia quinhentas moedas de prata, o outro cinquenta. 42Como não tivessem com que pagar, o homem perdoou os dois. Qual deles o amará mais?” 43Simão respondeu: “Acho que é aquele ao qual perdoou mais”. Jesus lhe disse: “Tu julgaste corretamente”.
44Então Jesus virou-se para a mulher e disse a Simão: “Estás vendo esta mulher? Quando entrei em tua casa, tu não me ofereceste água para lavar os pés; ela, porém, banhou meus pés com lágrimas e enxugou-os com os cabelos. 45Tu não me deste o beijo de saudação; ela, porém, desde que entrei, não parou de beijar meus pés. 46Tu não derramaste óleo na minha cabeça; ela, porém, ungiu meus pés com perfume. 47Por esta razão, eu te declaro: os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados porque ela mostrou muito amor. Aquele a quem se perdoa pouco mostra pouco amor”. 48E Jesus disse à mulher: “Teus pecados estão perdoados”. 49Então, os convidados começaram a pensar: “Quem é este que até perdoa pecados?” 50Mas Jesus disse à mulher: “Tua fé te salvou. Vai em paz”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

“Os muitos pecados que ela cometeu estão perdoados porque ela mostrou muito amor”.
Os pecadores arrependidos, como os pagãos e os que sofrem, parecem mais capazes de reconhecer o Senhor, recebê-lo com fé e com amor. E o Senhor aceita e perdoa. Assim nos encontramos com ele. A vinda de Cristo é que nos fez conhecer o arrependimento. Este é mais do que abatimento moral, mais do que angustia, desgosto, remorso, sensação de haver cometido uma ação infame. Arrependimento significa consciencia de haver profanado o amor de Deus: feri algo que não pertence somente a mim. Ofendi Alguem que me ama. Pode-se ter desgosto de uma culpa mesmo fora da fé. Mas o arrependimento exige a fé. No arrependimento está implicita a confiança no perdão, a noção da misericordia de Deus, o desejo de se reconciliar mediante os sinais da Igreja de Deus. Somos todos pecadores, mas nos encontramos verdadeiramente com Jesus quando nos reconhecemos como tais.

A verdadeira doutrina é a doutrina do amor, do perdão. Resistir às falsas doutrinas é tarefa exigente, como ouvimos na primeira leitura. Para esta missão, Paulo não pede á Timoteo apenas a doutrina suficiente, mas lembra ser igualmente necessaria existencia nova, transformada por Cristo. Timoteo é jovem. Mas o meio de vencer é o testemunho sicero e profundo de boa conduta. Paulo insiste ainda uma vez sobre a importancia de demonstrar o evangelho com a transparencia da vida. É preciso empenhar-se totalmente, com o corpo e com todos os recursos interiores, inteligencia, sensibilidade, afetividade, imaginação. A autoridade é a de quem procura a Cristo como seu verdadeiro amor, como a mulher do evangelho. Entretanto, o principal segredo de Timoteo está na ordenação que recebeu. Esta é um dom, uma iniciativa de Deus, um chamado que permanece como tal a vida inteira.

A igreja celebra hoje: São Roberto Belarmino

Celebramos o grande santo jesuíta, Belarmino, que nasceu em Montepulciano, no centro da Itália, em 1542. Querido pelos pais e de muitas qualidades, era irmão de cinco religiosos, dentre os doze, que enriqueciam a família dos dedicados pais.

Quando os padres da Companhia de Jesus abriram um colégio em Montepulciano, Roberto foi um dos primeiros alunos na matrícula e no desempenho. O contato com os padres fez com que o jovem mudasse sua primeira idéia de ser médico, para inclinar-se em favor da vida religiosa jesuíta.

Depois de conseguir a permissão do pai, que ao contrário da mãe, apresentava uma certa resistência frente a opção do amável filho, Belarmino com 18 anos, iniciou e concluiu de maneira brilhante sua formação religiosa e seus estudos de filosofia e teologia, tanto que antes de ser ordenado sacerdote foi enviado como professor e pregador em Lovaina, na Bélgica, onde ficou dez anos.

Teve importante papel na aplicação do Concílio de Trento, já que ajudou na formação apologética dos teólogos e pregadores responsáveis na defesa da fé. Neste sentido Roberto, muito contribuiu ao escrever sua obra de nome "Controvérsia" e o livro chamado "Catecismo". Em sua obra "Controvérsias", Belarmino explana os seus três grandes amores. Trata da Palavra de Deus, de Cristo cabeça da Igreja e do Sumo Pontífice.

Era também diretor espiritual do Colégio Romano, tendo sob sua responsabilidade a formação ascética dos alunos que muito o respeitavam e admiravam. O Papa Clemente VIII o elevou a cardeal com esta motivação:
"Nós o escolhemos porque não há na Igreja de Deus outro que possa equiparar-se ele em ciência e sabedoria".

Quando ficou muito doente em setembro de 1621, os confrades foram testemunhas do último diálogo dele com Deus: "Ó meu Deus, dai à minha alma, asas de pomba, para que possa voar para junto de vós". Morreu no dia 17 do mesmo mês, e pelos seus escritos recebeu o título de Doutor da Igreja.


São Roberto Belarmino...rogai por nós!

Evangelho (Lucas 7,31-35

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus: 31“Com quem hei de comparar os homens desta geração? Com quem eles se parecem? 32São como crianças que se sentam nas praças, e se dirigem aos colegas, dizendo: ‘Tocamos flauta para vós e não dançastes; fizemos lamentações e não chorastes!’
33Pois veio João Batista, que não comia pão nem bebia vinho, e vós dissestes: ‘Ele está com um demônio!’ 34Veio o Filho do Homem, que come e bebe, e vós dizeis: ‘Ele é um comilão e beberrão, amigo dos publicanos e dos pecadores!’ 35Mas a sabedoria foi justificada por todos os seus filhos”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Os pequenos e humildes reconhecem a sabedoria de Deus manifestada em Jesus

Jesus fez-se discípulo de João Batista e iniciou sua pregação em continuidade à pregação de João. João permanecia nas regiões desérticas, porém Jesus decide fazer seu anúncio nas localidades habitadas da Galiléia. João anuncia o batismo da conversão à justiça para a remissão dos pecados. Jesus acrescenta a este anúncio o dom da filiação divina e da vida eterna, pela vivência do amor e da misericórdia. O nome de João é o mais citado nos Evangelhos (76 vezes), depois do nome de Pedro (124 vezes). A pequena parábola dos dois grupos de crianças que disputam nas praças é dirigida a "esta geração". Esta expressão indica uma censura ao povo de Israel de coração duro, conforme a tradição profética. Aqui exprime os chefes do judaísmo que rejeitam Jesus. Assim como o convite de um grupo de crianças é rejeitado pelo outro, João Batista e Jesus são rejeitados por estes chefes. A rejeição, tanto a João, na sua austeridade, como a Jesus, no seu convívio comum, signifi ca a rejeição do próprio projeto amoroso, misericordioso e acolhedor de Deus. Contudo, os pequenos e humildes reconhecem a sabedoria de Deus, manifesta em Jesus.

A igreja celebra hoje: Santos Cornélio e Cipriano

Unidos pela fé e sangue, encontramos como exemplo de amizade e santidade estas testemunhas de Cristo, que foram martirizados no mesmo dia, porém com diferença de cinco anos.

São Cornélio

Cornélio tinha sido eleito Papa em 251, após um grande período de ausência do pastor por causa da terrível perseguição de Décio. Sua eleição foi contestada por Novaciano, que acusava o Papa de ser muito indulgente para com os que haviam renegado a fé (lapsos) e separaram-se da Igreja.

Por causa dos êxitos obtidos com sua pregação, foi processado e exilado para o lugar hoje chamado Civitavecchici, onde Cornélio morreu. Foi sepultado nas catacumbas de Calisto.


São Cipriano

Uma das grandes figuras do século III, Cipriano, de família rica de Cartago, capital romana na África do Norte. Quando pagão era um ótimo advogado e mestre de retórica, até que provocado pela constância e serenidade dos mártires cristãos, converteu-se entre 35 e 40 anos de idade.

Por causa de sua radical conversão muitos ficaram espantados já que era bem popular. Com pouco tempo foi ordenado sacerdote e depois sagrado Bispo num período difícil da Igreja africana.
Duas perseguições contra os cristãos ocorreram: a de Décio e Valeriano. Estas perseguições marcaram o começo e o fim de seu episcopado, além de uma terrível peste que assolou o norte da África, semeando mortes. Problemas doutrinários, por outro lado, agitavam a Igreja daquela região.

Diante da perseguição do imperador Décio em 249, Cipriano escolheu esconder-se para continuar prestando serviços à Igreja. No ano 258, o santo Bispo foi denunciado, preso e processado. Existem as atas do seu processo de martírio que relatam suas últimas palavras do saber da sua sentença à morte: "Graças a Deus!"


Santos Cornélio e Cipriano, rogai por nós!

Peregrinação do terço dos homens Mãe Rainha.



Teve inicio na noite de ontem a peregrinação do terço dos homens Mãe Rainha em preparação ao tríduo que acontecerá de 15 a 18 de outubro na Casa da Mãe Rainha. No período de 14/09 a 15/10/09 o Terço dos homens peregrinarão com a imagem visitando cinco familias a cada noite onde será rezado em cada casa um mistério, sendo que no último mistério a imagem pernoitará.

Evangelho (João 19,25-27)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 25perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. 26Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe: “Mulher, este é o teu filho”. 27Depois disse ao discípulo: “Esta é a tua mãe”. Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho


Junto à cruz de Jesus estava de pé sua mãe

Às várias características próprias do Evangelho de João junta-se esta: ele é o único que menciona a presença da mãe de Jesus e de discípulos junto à cruz. Nos sinóticos, Marcos, Mateus e Lucas, as mulheres permanecem a
distância, observando. A mãe de Jesus é mencionada apenas duas vezes neste Evangelho: no início do seu ministério, nas bodas de Caná e, agora, no momento de sua crucifixão. Nas duas vezes é destacada a proximidade entre Jesus e sua mãe. Nas bodas, quando ainda não era chegada a hora de Jesus, a mãe representa o antigo
Israel fi el, particularmente os samaritanos, que busca o socorro de Jesus e reconhece que deve ser feito tudo o que ele disser. Agora é a sua hora. É a hora da glorifi cação de Jesus, a sua fi delidade plena ao projeto do Pai, até a morte, tendo, porém, garantida a continuidade de sua missão nas comunidades. Em pé, junto à cruz, destacam-se sua mãe, Maria Madalena e o discípulo que Jesus amava. Maria Madalena, procurando por Jesus no horto, em uma alusão ao Cântico dos Cânticos, representa a comunidade como esposa do Ressuscitado. O discípulo amado simboliza a comunidade que continuará a missão de Jesus. A mãe, o Israel fi el, encontrará sua identidade inserindo-se nestas comunidades.

A igreja celebra hoje: Memória de Nossa Senhora das Dores

"Quero ficar junto à cruz, velar contigo a Jesus e o teu pranto enxugar"!

Assim, a Igreja reza a Maria neste dia, pois celebramos sua compaixão, piedade; Suas sete dores que encontraram seu ponto mais alto no momento da crucifixão de Jesus. Esta devoção deve-se muito à missão dos Servitas – religiosos da Companhia de Maria Dolorosa – e sua entrada na Liturgia aconteceu pelo Papa Bento XIII.

A devoção a Nossa Senhora das Dores possui fundamentos bíblicos, pois é na Palavra de Deus que encontramos as sete dores de Maria: o velho Simeão, que profetiza a lança que transpassaria (de dor) o Seu Coração Imaculado; a fuga para o Egito; a perda do Menino Jesus; a Paixão do Senhor; crucifixão, morte e sepultura de Jesus Cristo

Nós, como Igreja, não recordamos as dores de Nossa Senhora pelas dores, mas sim, porque também, pelas dores oferecidas, participou ativamente da Redenção de Cristo. Desta forma, Maria, imagem da Igreja, está nos apontando para uma Nova Vida, que não significa ausência de sofrimentos, mas sim oblação de Si para uma Civilização do Amor.

Nossa Senhora das Dores, rogai por nós!

Evangelho (João 3,13-17)



— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós!
— PRroclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 13“Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna.
16Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. 17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele”.


- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A elevação do Filho do Homem é a elevação do humano


Estas palavras de Jesus estão no contexto do diálogo com Nicodemos, no Evangelho de João. Trata-se do renascer no Espírito. O humano assumido no Espírito. O Filho do Homem desceu do céu e será levantado. É o Verbo que se fez carne e vimos a sua glória. Temos aqui a dinâmica característica do Evangelho de João. O Filho do Homem signifi ca o humano, o encarnado na vida, na história. Jesus desceu do céu para elevar o humano. João prima pela revelação da exaltação da condição humana a partir da encarnação do Filho de Deus, Jesus. A elevação do Filho do Homem é a elevação do humano. Os antigos modelos da Lei de Moisés (a serpente de bronze no deserto, são substituídos pela graça e verdade de Jesus, que comunicam o dom da vida eterna. Jesus, ao manifestar o amor de Deus, atrai e comunica este amor a todos. Ele é dom de Deus para comunicar vida ao mundo. A glorifi cação de Jesus é fi delidade total a sua missão, sem recuar, mesmo diante da morte. Jesus elevado na cruz é a consumação de uma vida de amor. É a glória de Deus no seu projeto de elevação da humanidade à participação da vida eterna.

A igreja celebra hoje: Exaltação da Santa Cruz


Nos reunimos com todos os Santos, neste dia, para exaltar a Santa Cruz, que é fonte de santidade e símbolo revelador da vitória de Jesus sobre o pecado, morte e demônio; também na Cruz encontramos o maior sinal do amor de Deus, por isso :
"Nós, porém, pregamos um Messias crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os pagãos " (I Cor 1,23)

Esta festividade está ligada à dedicação de duas importantes basílicas construídas em Jerusalém por ordem de Constantino, filho de Santa Helena. Uma, construída sobre o Monte do Gólgota e outra, no lugar em que Cristo Jesus foi sepultado e ressuscitado pelo poder de Deus.

A dedicação destas duas basílicas remonta ao ano 335, quando a Santa Cruz foi exaltada ou apresentada aos fiéis. Encontrada por Santa Helena, foi roubada pelos Persas e resgatada pelo imperador Heráclio. Graças a Deus a Cruz está guardada na tradição e no coração de cada verdadeiro Cristão, por isso neste dia, a Igreja nos convida a rezarmos :
" Do Rei avança o estandarte, fulge o mistério da Cruz, onde por nós suspenso o autor da vida, Jesus. Do lado morto de Cristo, ao golpe que lhe vibravam, para lavar meu pecado o sangue e a água jorravam. Árvore esplêndida bela de rubra púrpura ornada dos santos membros tocar digna só tu foste achada".


"Viva Jesus! Viva a Santa cruz!"

Santa Cruz...sede a nossa salvação!

Evangelho (Marcos 8,27-35)




— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PRroclamação do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo São Marcos.
— Glória a vós, Senhor!



Naquele tempo, 27Jesus partiu com seus discípulos para os povoados de Cesareia de Filipe. No caminho perguntou aos discípulos: “Quem dizem os homens que eu sou?”
28Eles responderam: “Alguns dizem que tu és João Batista; outros que és Elias; outros, ainda, que és um dos profetas”. 29Então ele perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “Tu és o Messias”.
30Jesus proibiu-lhes severamente de falar a alguém a respeito. 31Em seguida, começou a ensiná-los, dizendo que o Filho do Homem devia sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei; devia ser morto, e ressuscitar depois de três dias.
32Ele dizia isso abertamente. Então Pedro tomou Jesus à parte e começou a repreendê-lo. 33Jesus voltou-se, olhou para os discípulos e repreendeu a Pedro, dizendo: “Vai para longe de mim, Satanás! Tu não pensas como Deus, e sim como os homens”.
34Então chamou a multidão com seus discípulos e disse: “Se alguém me quer seguir, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e me siga. 35Pois, quem quiser salvar a sua vida, vai perdê-la; mas, quem perder a sua vida por causa de mim e do Evangelho, vai salvá-la”.

- Palavra da Salvação.

- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Fé e seguimento



Neste texto de Marcos encontramos três unidades de texto, ou perícopes, que também apa
recem articuladas entre si nos Evangelhos de Mateus e de Lucas. À narrativa envolvendo a profissão de fé cristológica de Pedro segue-se o primeiro anúncio da Paixão e a proclamação das condições para o seguimento de Jesus. Conforme as expectativas das elites religiosas e econômicas de Jerusalém, aguardava-se um líder, o messias, que daria à Judéia poder e status ao estilo do antigo império de Davi, conforme as glórias que constavam na tradição. Parte do povo assimilava esta tradição das elites, introjetando-a. Assim também acontecia com os discípulos de Jesus, originários do judaísmo. Contudo, entre o povo havia opiniões que identifi cavam Jesus com alguns líderes populares, contestadores do poder, como foram João Batista, Elias ou os profetas. Porém, junto de Jesus, Pedro, representando os discípulos, ao ser interrogado, externa sua opinião de que Jesus seria o messias ("cristo" em grego) esperado pelas elites. Jesus os repreende severamente (sentido original da palavra no texto grego), com o mesmo vigor que exorcizava os espíritos impuros. Em continuidade, Jesus prenuncia as perseguições das autoridades religiosas que o ameaçam em Jerusalém. Pedro rejeita o confronto, com os possíveis sofrimentos, e é repreendido mais severamente por Jesus.
Jesus propõe as "coisas de Deus", a comunicação da vida sem limites. Pedro atém-se às "coisas dos homens", à preservação do poder e à paz da ordem iníqua estabelecida. Jesus, então, chamando a multidão com os discípulos, apresenta-lhes a proposta de seu seguimento. A vida de cada um, ao ser doada em comunhão com outras vidas, em ações concretas (segunda leitura), encontrará a salvação, isto é, se insere e permanece no seio de Deus, na eternidade. Na primeira leitura, temos a fi gura do "servo de Javé", com a qual se identifi cava o povo judeu e que foi atribuída a Jesus pelos discípulos oriundos do judaísmo.

A igreja celebra hoje:

Doutor da Igreja, Boca de Ouro, Alma de Anjo e Coração de Pai. É o Santo que celebramos neste dia: São João Crisóstomo. Nascido de família distinta, em Antioquia no ano 348. Depois da morte do pai, sua jovem mãe tratou de providenciar os melhores professores deste amado menino.

João nasceu com alma monástica, tanto que, por duas vezes passou anos no silêncio do deserto; por causa da precária saúde voltou da vivência religiosa mais retirada e em Antioquia foi ordenado sacerdote. Famoso devido ao seu dom de comunicar a Palavra de Deus, Crisóstomo não demorou a abraçar a cruz do governo pastoral da diocese de Constantinopla, já que o imperador fez de tudo para isto.

Ao perceber a má formação do clero, entregue à ambição e à avareza, o santo começou a exigir vida de pobreza e simplicidade evangélica daqueles que precisavam ser exemplo para o rebanho.

Devido aos naturais atritos com o clero e fervorosas pregações contra o luxo e imoralidades da vida social, São João teve problema com a imperatriz Eudóxia, que começou o movimento causador dos seus dois exílios, sendo que no último, os sofrimentos da longa viagem e os maus tratos foram mortais! Amado pelo povo e respeitado por todos, São João Crisóstomo morreu em 407 e deixou, além do belo testemunho dos dez anos de pontificado, suas últimas palavras as quais resumiram sua vida: "Glória seja dada a Deus em tudo!".


São João Crisóstomo, rogai por nós!