Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Evangelho (Mateus 20,20-28)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. 21Jesus perguntou: “O que tu queres?” Ela respondeu: “Manda que estes meus dois filhos se sentem, no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”.
22Jesus, então, respondeu-lhes: “Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam: “Podemos”. 23Então Jesus lhes disse: “De fato, vós bebereis do meu cálice, mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou”.
24Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados contra os dois irmãos. 25Jesus, porém, chamou-os e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. 26Entre vós não deverá ser assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; 27quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. 28Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Os filhos de Zebedeu

Tiago e João são os filhos de Zebedeu. O Evangelho de Marcos nomeia os dois, explicitamente, nesta cena; porém, Mateus menciona a mãe deles como sendo quem faz o pedido a Jesus. Talvez Mateus queira eximir os homens de tal pedido equivocado, que reflete a ambição do poder, quando Jesus dá pleno testemunho de que veio para servir humildemente, com amor. Em resposta, ele rejeita o comum abuso de poder em vigor nas sociedades, propondo um novo relacionamento entre as pessoas. Além de Tiago, irmão de João, identificado como "Tiago Maior", no Segundo Testamento é mencionado outro Tiago, "o irmão do Senhor", ou "Tiago Menor", que foi o chefe da Igreja de Jerusalém.

A igreja celebra hoje: São Tiago Maior

Nascido em Betsaida, este Apóstolo do Senhor era filho de Zebedeu e de Salomé e irmão de São João Apóstolo, o Evangelista.
Pescador juntamente com seu irmão João, foi chamado por Jesus a ser discípulo d'Ele. Aceitou o chamado do Mestre e, deixando tudo, seguiu os passos do Senhor.
Dentre os Doze Apóstolos, São Tiago foi um grande amigo de Nosso Senhor fazendo parte daquele grupo mais íntimo de Jesus (formado por Pedro, Tiago e João) testemunhando, assim, milagres e acontecimentos como a cura da sogra de Pedro, a Transfiguração de Jesus, entre outros.
Procurou viver com fidelidade o seu discipulado. No entanto, foi somente após a vinda do Espírito Santo em Pentecostes que São Tiago correspondeu concretamente aos desígnios de Deus. No livro dos Atos dos Apóstolos, vemos o belo testemunho de São Tiago, o primeiro dentre os Doze Apóstolos a derramar o próprio sangue pela causa do Evangelho:
"Por aquele tempo, o rei Herodes tomou medidas visando maltratar alguns membros da Igreja. Mandou matar à espada Tiago, irmão de João" (At 12,1-2).
Segundo uma tradição, antes de ser martirizado, São Tiago abraçou um carcereiro desejando-lhe "a Paz de Cristo" e este gesto converteu o carcereiro que, assumindo a fé em Jesus, foi martirizado juntamente com o Apóstolo.
Existe ainda outra tradição sobre os lugares em que São Tiago passou levando a Boa Nova do Reino de Deus. Dentre estes lugares, a Espanha onde, a partir do Século IX, teve início a devoção a São Tiago de Compostela.
São Tiago Maior...rogai por nós!

Evangelho (Mateus 13,18-23)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 18“Ouvi a parábola do semeador: 19Todo aquele que ouve a palavra do Reino e não a compreende, vem o Maligno e rouba o que foi semeado em seu coração. Este é o que foi semeado à beira do caminho. 20A semente que caiu em terreno pedregoso é aquele que ouve a palavra e logo a recebe com alegria; 21mas ele não tem raiz em si mesmo, é de momento: quando chega o sofrimento ou a perseguição, por causa da palavra, ele desiste logo. 22A semente que caiu no meio dos espinhos é aquele que ouve a palavra, mas as preocupações do mundo e a ilusão da riqueza sufocam a palavra, e ele não dá fruto. 23A semente que caiu em boa terra é aquele que ouve a palavra e a compreende. Esse produz fruto. Um dá cem outro sessenta e outro trinta”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

Parábola às suas comunidades

Nos Evangelhos, apenas duas parábolas, mencionadas por Mateus, são acompanhadas de uma detalhada explicação: esta do semeador e a do joio, que a segue. Há um consenso de que estas explicações são interpretações alegóricas das primeiras comunidades que fizeram memória de Jesus, aplicando-as ao contexto de suas comunidades. Mateus direciona a parábola às suas comunidades, mais especificamente àqueles membros propensos a voltar para as sinagogas. As tentações eram muitas: havia a pressão das sinagogas no sentido de "roubar" a palavra semeada em seus corações, as perseguições a quem permanecesse nas novas comunidades cristãs e as seduções do mundo com sua ilusão da riqueza, em contraste com a austeridade das novas comunidades. Ao longo do tempo, as comunidades de discípulos têm resistido a formas semelhantes de pressão, muitas delas permanecendo fiéis no seguimento de Jesus.

A igreja celebra hoje: São Charbel

O santo de hoje nasceu no norte do Líbano, num povoado chamado Bulga-Kafra, no ano de 1828. Proveniente de uma família cristã e centrada nos valores do Evangelho, muito cedo precisou conviver com a perda de seu pai.
Após discernir o seu chamado à vida religiosa, com 20 anos ingressou num seminário libanês maronita. Durante o Noviciado, trocou seu nome de batismo (José) por Charbel.Mostrou-se um homem fiel às regras, obediente à ação do Espírito Santo e penitente.
Após sua ordenação em 1859, enfrentou muitas dificuldades, dentre elas a perseguição ferrenha aos cristãos com o martírio de muitos jovens religiosos e a destruição de inúmeros mosteiros em sua época.Em meio a tudo isso, perseverou na fé, trazendo consigo as marcas de uma vocação ao silêncio, a penitência e a uma vida como eremita.
Aos 70 anos, vivendo num ermo dedicado a São Pedro e São Paulo, com saúde bastante fragilizada, discerniu que era chegada a hora de sua partida para a Glória Celeste. Era Véspera de Natal. E no dia 24 de Dezembro, deitado sobre uma tábua, agonizante, entregou sua vida Àquele que concede o prêmio reservado aos que perseveram no caminho de santidade: a vida eterna.
São Charbel...rogai por nós!

Convite


Convite
A Coordenação Diocesana do Terço dos Homens Mãe Rainha convida a todos os homens para participarem domingo dia 26/07/09 do Encontrão de Espiritualidade que acontecerá na Casa da Mãe Rainha em Mossoró, rua Marechal Hermes, 345 - Bom Jardim.
Programação:
08h. - Missa Presidida por Mons. Hamilcar Mota.
09h - Será servido um lanche.
10h - Aprofundamento espiritual, tendo com palestrante o Mons.
Hamilcar.
11:30 - Encerramento e benção.
12h - Feijoada (Valor R$ 5,00) e Sorteio de uma TV de LCD de 32p ( Valor R$ 5,00)

Evangelho (Mateus 13,10-17)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 10os discípulos aproximaram-se e disseram a Jesus: “Por que tu falas ao povo em parábolas?” 11Jesus respondeu: “Porque a vós foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não é dado. 12Pois à pessoa que tem, será dado ainda mais, e terá em abundância; mas à pessoa que não tem, será tirado até o pouco que tem. 13É por isso que eu lhes falo em parábolas: porque olhando, eles não veem, e ouvindo, eles não escutam, nem compreendem. 14Deste modo se cumpre neles a profecia de Isaías: ‘Havereis de ouvir, sem nada entender. Ha­vereis de olhar, sem nada ver. 15Porque o coração deste povo se tornou insensível. Eles ouviram com má vontade e fecharam seus olhos, para não ver com os olhos nem ouvir com os ouvidos, nem compreender com o coração, de modo que se convertam e eu os cure’. 16Felizes sois vós, porque vossos olhos veem e vossos ouvidos ouvem. 17Em verdade vos digo, muitos profetas e justos desejaram ver o que vedes, e não viram, desejaram ouvir o que ouvis, e não ouviram.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

As parábolas
Esta explicação de "por que falar em parábolas", elaborada pelas primeiras comunidades herdeiras do Primeiro Testamento, causa certa perplexidade. Mateus ainda amplia a citação de um rígido e discriminatório texto do profeta Isaías. É apresentado como desígnio divino que uns acolham a palavra de Jesus e outros não. O recurso ao juízo divino condenatório é uma característica comum no Primeiro Testamento. Aqui é usado para coagir à perseverança os membros da comunidade. Na conclusão temos um tom de suavidade com a proclamação da bem-aventurança daqueles que vêem e ouvem Jesus, o que estimula o discípulo a acolher com amor e compromisso a sua palavra.

A igreja celebra hoje: Santa Brígida

A santa de hoje nasceu na Suécia, no ano de 1302. Ela foi entregue em casamento a um jovem chamado Wulfon, príncipe de Nerícia.
Ao casar-se com Wulfon, Santa Brígida assumiu, com orações e sacrifícios, a missão de lutar pela conversão de seu esposo, um homem entregue aos vícios e paixões desregradas.
Santa Brígida alcançou esta graça. E, juntamente com seu esposo (agora convertido) numa vida com muitas práticas de piedade, foram a diversas peregrinações, até que aos 32 anos Wulfon veio a falecer.
Agora viúva e mãe de 8 filhos, Santa Brígida dedicou-se inteiramente ao serviço dos mais necessitados, cuidando dos enfermos (dentro de um hospital fundado por ela mesma e por seu esposo). E tudo isto sem perder de vista a formação cristã de seus filhos.
Devota do Sagrado Coração de Jesus e da Santíssima Virgem, Santa Brígida passava horas em adoração a Jesus Sacramentado. Inspirada pelo Espírito Santo, fundou uma Ordem feminina e outra masculina. Consagrou-se na vida religiosa, e em meio a sofrimentos e inspirações reveladoras do próprio Jesus, aprofundou-se no Mistério do Cristo Crucificado, até que mergulhasse definitivamente neste mistério, quando em Roma, aos 71 anos, entrou na Eternidade.
Santa Brígida, rogai por nós!

Evangelho (João 20,1-2.11-18)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
1No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao túmulo de Jesus, bem de madrugada, quan­do ainda estava escuro, e viu que a pedra tinha sido retirada do túmulo. 2Então saiu correndo e foi encontrar Simão Pedro e o outro discípulo, aquele que Jesus amava, e lhes disse: “Tiraram o Senhor do túmu­lo, e não sabemos onde o colocaram”.
11Maria estava do lado de fora do túmulo, chorando. Enquanto chorava, inclinou-se e olhou para dentro do túmulo. 12Viu, então, dois anjos vestidos de branco, sentados onde tinha sido posto o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
13Os anjos perguntaram: “Mulher, por que choras?” Ela respondeu: “Levaram o meu Senhor e não sei onde o colocaram”. 14Tendo dito isto, Maria voltou-se para trás e viu Jesus, de pé. Mas não sabia que era Jesus. 15Jesus perguntou-lhe: “Mulher, por que choras? A quem procuras?” Pensando que era o jardineiro, Maria disse: “Senhor, se foste tu que o levaste dize-me onde o colocaste, e eu o irei buscar”.
16Então Jesus disse: “Maria!” Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: “Rabuni” (que quer dizer: Mestre). 17Jesus disse: “Não me segures. Ainda não subi para junto do Pai. Mas vai dizer aos meus irmãos: subo para junto do meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus”. 18Então Maria Madalena foi anunciar aos discípulos: “Eu vi o Senhor!”, e contou o que Jesus lhe tinha dito.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Maria Madalena
A Maria Madalena é dado um destaque especial nos Evangelhos. Seu nome aparece 12 vezes, sendo só superada por Pedro (124), João Batista (76), João (24) e Tiago (22). É a ela que sucede a primeira aparição de Jesus ressuscitado, sendo a primeira enviada a anunciá-lo. Além da sua importância em ser a primeira testemunha da ressurreição, é expressamente citada, nos quatro evangelistas, em momentos importantes do ministério de Jesus: é uma das sete mulheres que provinham às necessidades de Jesus e é testemunha da crucifixão, do sepultamento de Jesus e do sepulcro vazio. Em uma cultura patriarcal, Maria Madalena rompe as barreiras, promovendo o protagonismo da mulher.

A igreja celebra hoje: Santa Maria Madalena

Natural de Mágdala, na Galiléia, Maria Madalena foi contemporânea de Jesus Cristo, tendo vivido no Século I.
O testemunho de Maria Madalena é encontrado nos quatro Evangelhos:
"Os doze estavam com ele, e também mulheres que tinham sido curadas de espíritos maus e de doenças. Maria, dita de Mágdala, da qual haviam saído sete demônios..." (Lc 8,1-2).
Após ter sido curada por Jesus, Maria Madalena coloca-se a serviço do Reino de Deus, fazendo um caminho de discipulado, de seguimento a Nosso Senhor, no amor e no serviço.
E este amor maduro de Maria Madalena levou-a até ao momento mais difícil da vida e da missão de Nosso Senhor, permanecendo ao lado d'Ele:
"Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua mãe e a irmã de sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena" (Jo 19,25).
Maria Madalena foi a primeira testemunha da Ressurreição de Jesus:
"Então, Jesus falou: 'Maria!' Ela voltou-se e exclamou, em hebraico: 'Rabûni!' (que quer dizer: Mestre)" (Jo 20,16).
A partir deste encontro com o Ressuscitado, Maria Madalena, discípula fiel, viveu uma vida de testemunho e de luta pela santidade.
Existe também uma tradição de que Maria Madalena, juntamente com a Virgem Maria e o Apóstolo João, foi evangelizar em Éfeso, onde depois veio a falecer nesta cidade.
O culto a Santa Maria Madalena no Ocidente propagou-se a partir do Século XII.
Santa Maria Madalena, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 12,46-50)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”. 48Jesus pergun­tou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Fazer a vontade do Pai
A partir do tema "família", a narrativa de hoje nos conduz à prática de Jesus, a ser seguida por seus discípulos, que é fazer a vontade do Pai, no amor, na misericórdia e na comunicação da vida. No contexto dos Evangelhos, a família em destaque é a judaica, identificada por laços de consangüinidade, conforme sua tradição de raça eleita. Esta seletividade racial está associada a uma perspectiva elitista e discriminatória em relação àqueles que a ela não pertencem. As genealogias do Primeiro Testamento têm o sentido de caracterizar a pertença a esta raça. Neste sentido, Mateus já narrara as palavras de João Batista aos fariseus e saduceus que vinham a ele: "Produzi fruto digno de conversão e não penseis que basta dizer: 'Temos por pai a Abraão'". Jesus revela que o projeto do Pai não se restringe aos laços consangüíneos privilegiados, seja por critérios religiosos, de posses ou de tradições. A família carnal é a célula do grande tecido da família universal dos filhos de Deus, tendo assim sua vocação na superação dos limites de suas tradições e de suas posses, empenhando-se no resgate da vida e da dignidade humana neste mundo

A igreja celebra hoje: São Lourenço de Brindes

Presbítero da Igreja, o santo de hoje, é reconhecido como Doutor, pois amou, aprofundou, serviu e com ardor comunicou a Sã Doutrina Católica. Nascido em Brindes, na Itália, no ano de 1559, São Lourenço entrou na família franciscana, como Capuchinho e chegou a Superior Geral.Homem de Deus e conciliador da maneira franciscana de viver com as necessidades da época, como pregador, espalhou a Palavra de Deus em muitos lugares, como Itália, Espanha, Portugal, França, Bélgica, Holanda. Conhecedor do hebraico, aramaico, caldeu, grego, latim, alemão, italiano e outras línguas, pôde - como teólogo e apologista - aprofundar nos estudos das Sagradas Escrituras e bradar pelos quatro cantos da Igreja e do mundo a Verdade, pois o protestantismo se alastrava, assim como diversas heresias. São Lourenço fugia constantemente das honras e, além de dormir no chão, levantava-se à noite para rezar e se alimentava somente de pão, água e verduras, como penitência. Além de grande propagador da Palavra, foi quem muito lutou para vivê-la, por isso, ao ocupar a função de diplomata da Igreja, serviu de pacificador durante a ameaça de invasão, por parte dos turcos; São Lourenço, que entrou no Céu com 60 anos, deixou muitos escritos, os quais externam o amor pela Palavra de Deus: "A Palavra de Deus é luz para a inteligência, fogo para a vontade, para que o homem possa conhecer e amar a Deus... é martelo contra a dura obstinação do coração, nos vícios contra a carne, o mundo e o demônio; é espada que mata todo o pecado".

São Lourenço de Brindes, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 12,38-42)


Evangelho (Mateus 12,38-42)
Segunda-Feira, 20 de Julho de 2009 16ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 38alguns mestres da Lei e fariseus disseram a Jesus: “Mestre, queremos ver um sinal realizado por ti”. 39Jesus respondeu-lhes: “Uma geração má e adúltera busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal do profeta Jonas. 40Com efeito, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim também o Filho do Homem estará três dias e três noites no seio da terra. 41No dia do juízo, os habitantes de Nínive se levantarão contra essa geração e a condenarão, porque se converteram diante da pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas. 42No dia do juízo, a rainha do Sul se levantará contra essa geração, e a condenará, porque veio dos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Os sinais de Jesus são os atos de libertaçãoEncontramos esta narrativa nos três evangelistas sinóticos. Em Marcos, mais simplificada, talvez corresponda melhor à sua origem, em Jesus. Ao pedido dos fariseus, a resposta é simplesmente negativa: nenhum sinal será dado a esta geração. Jesus, com a recente partilha do pão (Mc 8,1-10), já proporcionara o sinal por excelência e suficiente. Lucas e Mateus, após narrarem a negativa de Jesus, concedem o sinal de Jonas. Lucas apresenta-o do ponto de vista missionário: a pregação de Jonas que foi sinal para o povo ninivita. Assim, a pregação de Jesus é o sinal para o mundo. Mateus, por sua vez, vai apresentar o sinal do ponto de vista messiânico: os três dias e três noites de Jonas no ventre da baleia simbolizam a morte e ressurreição de Jesus. Mateus faz esta interpretação messiânica tendo em vista atender sua comunidade de discípulos oriundos do judaísmo. Hoje, sob um olhar universalista, compreendemos que os sinais de Jesus são os atos de libertação dos oprimidos e de promoção da vida.

A igreja celebra hoje: Santo Aurélio

A Igreja da África, durante 392 até 429, foi agraciada com o governo santo do primeiro bispo de Cartago, que santificou-se tornando seu povo também santo. Santo Aurélio nasceu no século IV e desde diácono se destacava pela caridade, zelo e pureza de vida e culto da Liturgia.O grande Aurélio, esteve como bispo responsável por toda uma região, e, todos o chamavam - por respeito - de "Santo Papa Aurélio". Não possuía grandes dotes intelectuais, porém, na Providência Divina, tinha grande amizade com o sábio e bispo de Hipona: Santo Agostinho. Unido ao Doutor da Graça, pôde combater a auto-suficiência do Pelagianismo e outras heresias que encontraram a condenação no seu tempo. Muito do que sabemos, hoje, de Santo Aurélio, foi o próprio Santo Agostinho quem informou, pois este admirava a prudência, piedade e humildade deste pastor e pai, que tudo fazia pela salvação das almas e pureza da Doutrina cristã. Santo Aurélio passou da Igreja militante, para a Celeste pouco tempo antes de Santo Agostinho, isto em 429.

Santo Aurélio, rogai por nós!

Evangelho (Marcos 6,30-34)

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo São Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 30os apóstolos reuniram-se com Jesus e contaram tudo o que haviam feito e ensinado. 31Ele lhes disse: “Vinde sozinhos para um lugar deserto e descansai um pouco”. Havia, de fato, tanta gente chegando e saindo que não tinham tempo nem para comer. 32Então foram sozinhos, de barco, para um lugar deserto e afastado. 33Muitos os viram partir e reconheceram que eram eles. Saindo de todas as cidades, correram a pé e chegaram lá antes deles. 34Ao desembarcar, Jesus viu uma numerosa multidão e teve compaixão, porque eram como ovelhas sem pastor. Começou, pois, a ensinar-lhes muitas coisas.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

O sumário da missão de Jesus
Marcos apresenta, neste texto, mais um sumário da missão de Jesus, agora também registrando o retorno dos apóstolos que haviam sido enviados. Estes sumários de missão, que indicam o bom andamento do ministério de Jesus, mostram Jesus cuidando de seus discípulos e em contato com as multidões carentes, atento às suas necessidades e procurando libertá-las de suas carências eopressões, dirigindo-lhes a palavra. Os Doze, que tinham sido enviados, retornam e contam a Jesus tudo o que fizeram e ensinaram. "Fazer e ensinar" é o próprio estilo de Jesus e sua proposta para a prática missionária. Marcos retoma, então, a observação de que o assédio da multidão não deixava tempo nem para comer (cf. 3,20). Jesus preocupa-se com a recuperação dos discípulos, em lugar que ofereça repouso, depois da fadiga da missão, na oração e na comunicação da palavra. O tema do "comer" prepara também o tema do "pão", que virá a seguir. O "barco" associado à missão é também utilizado para a busca do devido repouso. Marcos, com um texto expressivo, acentua a insistência da multidão: partindo de todas as cidades correram a pé e chegaram antes deles! E diante desta multidão excluída pela classe dirigente do sistema teocrático da Judéia, Jesus enche-se de terna compaixão. Marcos usa a palavra ochlós, que designa o grande número de excluídos e marginalizados, uma confusa maioria de anônimos que se diferenciam da classe dirigente. Eram pessoas prejudicadas pelo sistema político-religioso, tanto do templo de Jerusalém como do Império Romano, que agiam como "pastores que destroem e dispersam o rebanho da minha pastagem" (primeira leitura). Estas pessoas empobrecidas, excluídas das sinagogas e das elites sociais, buscam acolhida em Jesus, que, com sua palavra amorosa, dá-lhes esperança e ânimo. Ele é o bom pastor, que traz a paz e acolhe as multidões sem discriminar ninguém (segunda leitura).

A igreja celebra hoje: São Símaco

Papa
Neste dia celebramos um santo Papa que enfrentou um período da história em que a Igreja sofria com pressões internas e externas.Nasceu na Ilha da Sardena no seculo V. Pertenceu ao clero romano e foi eleito Papa em 498.No tempo de Símaco, a Igreja era duramente atingida por perseguições. Muitas famílias tradicionais de Roma, como o Senado buscavam de todas as formas influenciar na ação da Igreja, trazendo assim muitos prejuízos; isto perdurou por um tempo até levantar-se Símaco. O Santo Papa combateu e venceu estes "invasores", recuperando assim a total liberdade da Igreja, na sua organização e disciplina.Com a queda do Império Romano e invasão dos Vândalos, godos , visigodos e longobardos, que começavam a dominar o Ocidente, São Símaco ,na ousadia, entrou nas intrigas sociais e políticas, para assim tomar partido da paz e harmonia e não de algum dos lados. Na função eficiente de pai comum suscitou a inveja do imperador do Oriente que começou a perseguir os cristãos; em resposta e esta atitude corrigiu Símaco: " Lança um olhar, o Imperador, a tantos príncipes que perseguiram a Igreja e vê como todos eles tiveram triste fim, ao passo que a Igreja perseguida continua com tanto mais glória, quanto mais violenta lhe foi a perseguição". Símaco era conciliador, homem de justiça e sinal de paz.Em 514 ele partiu para glória e intercede por nós, para que nos tempos de hoje, por amor a Cristo e à Igreja, sejamos promotores da Paz.

São Símaco, rogai por nós!