Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Evangelho (Mateus 12,14-21)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14os fariseus saíram e fizeram um plano para matar Jesus. 15Ao saber disso, Jesus retirou-se dali. Grandes multidões o seguiram, e ele curou a todos. 16E ordenou-lhes que não dissessem quem ele era, 17para se cumprir o que foi dito pelo profeta Isaías: 18“Eis o meu servo, que escolhi; o meu amado, no qual ponho a minha afeição; porei sobre ele o meu Espírito, e ele anunciará às nações o direito. 19Ele não discutirá, nem gritará, e ninguém ouvirá a sua voz nas praças. 20Não quebrará o caniço rachado, nem apagará o pavio que ainda fumega, até que faça triunfar o direito. 21Em seu nome as nações depositarão a sua esperança”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

O servo escolhido

Após um conflito com os fariseus na sinagoga deles, estes procuram uma maneira de matar Jesus. Sentem-se ameaçados em sua autoridade e poder, diante da ação de Jesus em vista da libertação do povo da opressão da sinagoga e da Lei, restaurando-lhe a dignidade. Sob a teocracia judaica, esta libertação é religiosa e social. Sabendo do propósito dos fariseus de matá-lo, Jesus refugia-se em outro lugar. Porém, as multidões o seguem e ele continua sua ação vivificante, curando a todos. Mateus escreve para uma comunidade de cristãos oriundos do judaísmo. Sua intenção é demonstrar que Jesus, a partir de sua atividade taumatúrgica, vem realizar as promessas proféticas das Escrituras. Reproduz, adaptando-o, um texto de Isaías: "Eis o meu servo, que escolhi..." (Is 42,1-4). Jesus, em comunhão com o Pai, no Espírito de amor, manso e humilde de coração, com absoluta firmeza anuncia o Reino de Deus, reino universal de direito, justiça e paz.

A igreja celebra hoje: São Francisco Solano

Nasceu na Espanha no ano de 1549. Sua formação passou pelo Colégio Jesuíta, ingressando mais tarde na Ordem Franciscana. Prestou ali muitos serviços, mas seu grande desejo era a evangelização para muitos. Foi quando deixou a Europa e foi para a América Latina.Chegou em Lima (Peru), evangelizando também pela Argentina, Chile, Paraguai, Andes e etc. Tudo isso em busca de evangelizar a muitos.Francisco Solano consumiu-se na evangelização. Por obediência voltou a Lima para ser dentro da Ordem, um formador de novos evangelizadores.Solano faleceu com 61 anos pronunciando palavras de louvor ao Senhor: " Deus seja bendito"! Quem se consome pelas almas, tem a certeza de que Deus foi glorificado.
São Francisco Solano, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 12,1-8)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

1Naquele tempo, Jesus passou no meio de uma plantação num dia de sábado. Seus discípulos tinham fome e começaram a apanhar espigas para comer. 2Vendo isso, os fariseus disseram-lhe: “Olha, os teus discípulos estão fazendo o que não é permitido fazer em dia de sábado!” 3Jesus respondeu-lhes: “Nunca lestes o que fez Davi, quando ele e seus companheiros sentiram fome? 4Como entrou na casa de Deus e todos comeram os pães da oferenda que nem a ele nem aos seus companheiros era permitido comer, mas unicamente aos sacerdotes? 5Ou nunca lestes na Lei, que em dia de sábado, no Templo, os sacerdotes violam o sábado sem contrair culpa alguma? 6Ora, eu vos digo: aqui está quem é maior do que o Templo. 7Se tivésseis compreendido o que significa: ‘Quero a misericórdia e não o sacrifício’, não teríeis condenado os inocentes. 8De fato, o Filho do Homem é senhor do sábado”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

O sábadoUma das principais observâncias religiosas, em Israel, era a do repouso sabático. A narrativa da criação em sete dias, no livro do Gênesis (1,1-2,3), ao apresentar o repouso do próprio Deus no sábado, já é uma indução a esta observância pelo povo. Jesus e seus discípulos são acusados de desrespeitarem o repouso sabático. Os inadimplentes com as mais de seiscentas minuciosas observâncias legais impostas ao povo fiel eram considerados pecadores e obrigados a trazer ofertas e sacrifícios aos sacerdotes do templo. Com a afirmação: "Misericórdia eu quero, não sacrifícios", Jesus vem contrapor-se aos chefes religiosos de coração duro e interesseiro, opressores dos inocentes. Ao se afirmar maior do que o templo e Senhor do sábado, Jesus significa que é Senhor da própria Lei, superando-a pelo amor.

A igreja celebra hoje: Bem aventurado Inácio de Azevedo e companheiros mártires

Quarenta mártires. Entre eles 2 padres, 24 estudante e 14 irmãos auxiliares. Portugueses e espanhóis. Todos pertenciam a Companhia de Jesus.Inácio de Azevedo nasceu no Porto em 1526. Aos 23 anos já tinha entrado na Companhia de Jesus ocupando vários serviços. Era ardoroso pelas missões além fronteiras.Foi quando o superior geral o enviou para o Brasil, e ao retornar, testemunhou a necessidade de mais missionários. Saíram por isso, 3 naus missionarias. Em uma delas estavam Inácio de Azevedo e os 39 companheiros, que foi interceptada por 5 navios de inimigos da fé Católica que queriam a morte de todos. Por amor a Igreja ele aceitou o martírio. Exortou e consolou seus filhos espirituais. Foi morto e lançado ao mar. E todos foram martirizados, alcançando a coroa da glória da eternidade.Inácio e seus companheiros foram assassinados por serem católicos e missionários.Estamos no tempo das novas missoes. A começar na nossa casa e onde convivemos. Ali é o primeiro onde devemos testemunhar o amor a Cristo, e se preciso, sofrer por Ele.Nossa Senhora está conosco, os santos intercedem por nós e os mártires rogam pela nossa fidelidade.
Bem aventurado Inácio de Azevedo e companheiros mártires, rogai por nós!


Padre Fábio de Melo estará em Mossoró no próximo dia 24, realizando show no Estádio Nogueirão.

Graduado em Filosofia e Teologia, pós-graduado em Educação e mestre em Teologia, nasceu na cidade de Formiga (Minas Gerais), no dia 3 de Abril de 1971, é o caçula dos oito filhos de Dorinato Bias Silva e Ana Maria de Melo Silva, veio de uma família simples: seu pai (in memoriam) era pedreiro e sua mãe dona de casa.

Padre Fábio de Melo fez o primeiro grau na Escola Estadual Abílio Machado, em Formiga – MG, o segundo grau no colégio Nossa Senhora de Lourdes em Lavras – MG e o terceiro grau, em filosofia, na fundação Educacional de Brusque, em Santa Catarina. Formou-se em teologia na Faculdade Dehoniana em Taubaté, fez pós-graduação em educação no Rio de Janeiro e mestrado em Belo Horizonte, junto aos jesuítas, no Instituto Santo Inácio – ISI (FAJE: Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia).Na sua vida sacerdotal e espiritual tem como referência, além do padre Zezinho e do padre Joãozinho, o nosso saudoso padre Léo Tarcísio.

Pe. Fábio de Melo faz questão de ressaltar que tudo o que escreve e faz é naturalmente evangélico. Suas composições são poesias que trazem a linguagem da sensibilidade, com uma roupagem moderna e com ritmos bem atuais. A mensagem de Jesus Cristo é o viés de suas composições.

A musica fala muito de sua vocação, através destes CDs mostra todo trabalho desde o inicio de sua jornada.

1997 – De Deus um cantador, 1999 – Saudades do céu 2000 – Canta Coração, 2001 – As Estações da Vida , 2003 – Marcas do eterno , 2004 – Tom de Minas , 2005 – Humano demais , 2006 – Sou um Zé da Silva e outros tantos , 2007 – Filho do Céu 2007 – Enredos do meu povo simples 2008 – Vida , também em 2008 gravou um CD especial com uma coletânea em homenagem aos 10 anos de música católica. (Grandes Momentos)
Com certeza este show reunirá milhares de pessoas de Mossoró e cidades vizinhas.

Evangelho (Mateus 12,46-50)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 46enquanto Jesus estava falando às multidões, sua mãe e seus irmãos ficaram do lado de fora, procurando falar com ele. 47Alguém disse a Jesus: “Olha! Tua mãe e teus irmãos estão aí fora, e querem falar contigo”. 48Jesus perguntou àquele que tinha falado: “Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?” 49E, estendendo a mão para os discípulos, Jesus disse: “Eis minha mãe e meus irmãos. 50Pois todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Familiares de Jesus
Nesta narrativa, encontrada também nos Evangelhos de Marcos e Lucas, o destaque é a importância fundamental em fazer a vontade do Pai, pelo que se insere na grande família divina de Jesus. Os próprios laços consangüíneos familiares se subordinam ao cumprimento desta vontade. De um lado, vemos a família consangüínea de Jesus e, de outro, Jesus cercado pelas multidões, onde se encontram aqueles que constituem sua nova família. Nas multidões estão os curiosos e esperançosos, buscando algo de novo, atentos a Jesus. Porém, ainda não se definiram. Dentre a multidão destacamse os discípulos, em direção aos quais Jesus estende a mão. Discípulos são aqueles que já deram o passo decisivo no seguimento de Jesus. Aí, a palavra incisiva dele: "Todo aquele que faz a vontade do meu Pai, que está nos céus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe". Fica em destaque a paternidade de Deus. Vamos reencontrá-la na oração do pai-nosso. Está feita uma advertência à família consangüínea no sentido de abrir-se na acolhida a Jesus. Os discípulos deixaram suas famílias, abandonaram-se à vontade do Pai e uniram-se na nova família, em torno de Jesus.

A igreja celebra hoje: Nossa Senhora do Carmo

Ao olharmos para a história da Igreja encontramos uma linda página marcada pelos homens de Deus, mas também pela dor, fervor e amor a Virgem Mãe de Deus; é a história da Ordem dos Carmelitas, da qual testemunha o cardeal Piazza: "O Carmo existe para Maria e Maria é tudo para o Carmelo, na sua origem e na sua história, na sua vida de lutas e de triunfos, na sua vida interior e espiritual". Carmelo (em hebraico, "carmo" significa vinha; e "elo" significa senhor; portanto, "Vinha do Senhor"): este nome nos aponta para a famosa montanha que fica na Palestina, donde o profeta Elias e o sucessor Elizeu fizeram história com Deus e com Nossa Senhora, que foi pré-figurada pelo primeiro numa pequena nuvem (cf I Rs 18,20-45). Estes profetas foram "participantes" da obra Carmelita, que só vingou devido à intervenção de Maria, pois a parte dos monges do Carmelo que sobreviveram (século XII) da perseguição dos muçulmanos; chegaram fugidos na Europa e elegeram São Simão Stock como seu superior geral; este por sua vez estava no dia 16 de julho intercedendo com o Terço, quando Nossa Senhora apareceu com um escapulário na mão e disse-lhe: "Recebe, meu filho, este escapulário da tua ordem, que será o penhor do privilégio que eu alcancei para ti e para todos os filhos do carmo. Todo o que morrer com este escapulário será preservado do fogo eterno". Vários Papas promoveram o uso do escapulário e Pio XII chegou a escrever: "Devemos colocar em primeiro lugar a devoção do escapulário de Nossa Senhora do Carmo - e ainda - escapulário não é 'carta-branca' para pecar; é uma 'lembrança' para viver de maneira cristã, e assim, alcançar a graça duma boa morte". Neste dia de Nossa Senhora do Carmo, não há como não falar da história dos Carmelitas e do Escapulário, pois onde estão os filhos aí está a amorosa Mãe.

Nossa Senhora do Carmo, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 11,25-27)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

25Naquele tempo, Jesus pôs-se a dizer: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste estas coisas aos sábios e entendidos e as revelaste aos pequeninos. 26Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado. 27Tudo me foi entregue por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai, e ninguém conhece o Pai, senão o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

Exaltação de Jesus aos pequeninos

Nesta breve oração de louvor de Jesus, seguida da afirmação da união de conhecimento entre o Filho e o Pai, encontramos semelhanças de estilo com o Evangelho de João. A exaltação de Jesus aos pequeninos que acolheram a revelação contrasta com as cidades que o rejeitaram, na narrativa antecedente. Nas cidades estão os sábios e entendidos, inseridos no sistema de poder e comprometidos com ele. Estes são cooptados, usufruem os benefícios do sistema e acomodam- se, rejeitando as mudanças propostas pelo projeto de Jesus. O que foi desprezado por aqueles sábios e entendidos, particularmente os doutores da lei, foi revelado aos pobres e excluídos que acolheram Jesus. A revelação do Reino provoca uma subversão e valores no mundo. Os valores mundanos de poder e dinheiro são rejeitados, vigorando agora como valores supremos o amor, a liberdade, a vida e a paz. O conhecer a Deus é aderir e ter a experiência destes valores. Aos pobres e pequeninos, não apegados às riquezas, é dado o conhecimento de Deus. O Reino é o espaço de convívio destes pequeninos, que, conhecedores de seus limites e de sua fragilidade, solidarizam-se com os irmãos no serviço recíproco e no resgate da vida para todos. Assim entram em comunhão de vida eterna com o Pai.

A igreja celebra hoje: São Boaventura

O santo de hoje, foi bispo e reconhecido doutor da Igreja do Cristo que chamou pescadores, camponeses para segui-lo no carisma de Francisco de Assis, mas também homens cultos e de ciência. São Boaventura era um destes homens de muita ciência, porém de maior humildade e conhecimento de Deus, por isto registrou o que vivia. Escreve ele:"Não basta a leitura sem a unção, não basta a especulação sem a devoção, não basta a pesquisa sem maravilhar-se; não basta a circunspeção sem o júbilo, o trabalho sem a piedade, a ciência sem a caridade, a inteligência sem a humildade, o estudo sem a graça". Boaventura nasceu no centro da Itália em 1218 e ao ficar muito doente recebeu a cura por meio de uma oração feita por São Francisco de Assis, que percebendo a graça tomou-o nos braços e disse: "Ó, boa ventura!". Entrou na Ordem Franciscana e, pela mortificação dos sentidos e muita oração exerceu sua vocação franciscana e sacerdócio na santidade, a ponto do seu mestre qualificar-lhe assim: "Parece que o pecado original nele não achou lugar". São Boaventura, antes de se destacar como santo bispo, já chamava - sem querer - a atenção pela sua cultura e ciência teológica, por isso ao lado de Santo Alberto Magno e Santo Tomás de Aquino, caracterizaram o século XIII como o tempo de sínteses teológicas. Certa vez, um frei lhe perguntou se poderia salvar-se, já que desconhecia a ciência teológica; a resposta do santo não foi outra: "Se Deus dá ao homem somente a graça de poder amá-Lo isso basta... Uma simples velhinha poderá amar a Deus mais que um professor de teologia". O Doutor Seráfico, assumiu muitas responsabilidades, como ministro geral da Ordem Franciscana, bispo, arcebispo, até que depois de tanto trabalhar, ganhou com 56 anos o repouso no Céu.

São Boaventura, rogai por nós!

A Chave do Coração - Adriana

video

Evangelho (Mateus 11,20-24)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 20Jesus começou a censurar as cidades onde fora realizada a maior parte de seus milagres, porque não se tinham convertido. 21“Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque, se os milagres que se realizaram no meio de vós tivessem sido feitos em Tiro e Sidônia, há muito tempo elas teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e cobrindo-se de cinza. 22Pois bem! Eu vos digo: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia serão tratadas com menos dureza do que vós. 23E tu, Cafarnaum! Acaso serás erguida até o céu? Não! Serás jogada no inferno! Porque, se os milagres que foram realizados no meio de ti tivessem sido feitos em Sodoma, ela existiria até hoje! 24Eu, porém, vos digo: no dia do juízo, Sodoma será tratada com menos dureza do que vós!”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

As cidades representam o centro do poder

Mateus narra as palavras de Jesus no estilo tradicional das imprecações proféticas contra os inimigos de Israel, particularmente citando Tiro e Sidônia, recriminadas pelo profeta Isaías (Is 23,1-18). As cidades censuradas neste texto são Corazim, Betsaida e Cafarnaum. Corazim ficaria a três quilômetros ao norte de Cafarnaum e Betsaida, a dez quilômetros, próximo à desembocadura do rio Jordão no lago ("mar") da Galiléia. Betsaida é a cidade de Pedro, André e Filipe (Jo 1,44), e Cafarnaum, a cidade que se tornou o centro de irradiação do ministério de Jesus. São censuradas pela oportunidade que tiveram de ter Jesus e seus discípulos próximos delas, e não se converteram. Estas censuras ainda são um apelo à conversão. As cidades representam o centro do poder econômico, político e religioso. O projeto de Deus, rejeitado pelos que estão instalados no poder, é acolhido pelos pobres e humildes.

A igreja celebra hoje: São Camilo de Lellis

Nasceu no ano de 1550 na Itália. Filho de pai militar, também seguiu essa carreira, mas não pode prosseguir devido a um tumor em um dos pés. Recorreu ao hospital de São Tiago em Roma, onde viveu sua compaixão pelos outros doentes.Porém, ele deu um 'sim' ao pecado, se entregando ao vício do jogo, onde perdeu tudo e ficou na miséria total. Saiu do hospital devido o seu temperamento. Foi de hospital em hospital para cuidar de sua ferida, até bater na porta dos franciscanos capuchinhos e ali quis trabalhar na obra de Deus.Com 25 anos começou o seu processo de conversão. No hospital em Roma, Deus suscitou nele a santidade de ver nos doentes a pessoa de Cristo e também o carisma dos 'Camilianos'. Camilo também viveu uma bela amizade com São Felipe Néri.Entrou para os estudos, foi ordenado sacerdote, e vendo a realidade dos peregrinos de Roma, que não tinham uma assistência médica digna, foi brotando nele o carisma de servir a Cristo na pessoa do doente, do peregrino. E muitos se juntaram a ele nessa obra. Em cada sofredor está a presença do crucificado. São Camilo partiu para o céu em 1614.

São Camilo de Lellis, rogai por nós!

Evangelho (Mateus 10,34–11,1)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 10,34“Não penseis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer a paz, mas sim a espada. 35De fato, vim separar o filho de seu pai, a filha de sua mãe, a nora de sua sogra. 36E os inimigos do homem serão os seus próprios familiares. 37Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não é digno de mim. Quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim, não é digno de mim. 38Quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim. 39Quem procura conservar a sua vida vai perdê-la. E quem perde a sua vida por causa de mim vai encontrá-la. 40Quem vos recebe a mim recebe; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou. 41Quem recebe um profeta, por ser profeta, receberá a recompensa de profeta. E quem recebe um justo, por ser justo, receberá a recompensa de justo. 42Quem der, ainda que seja apenas um copo de água fresca, a um desses pequeninos, por ser meu discípulo, em verdade vos digo: não perderá a sua recompensa”. 11,1Quando Jesus acabou de dar essas instruções aos doze discípulos, partiu daí, a fim de ensinar e pregar nas cidades deles.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

A verdadeira paz

Jesus já havia declarado a bem-aventurança dos que promovem a paz (Mt 5,9) e também enviara os discípulos como dispensadores da paz (Mt 10,13). Agora surpreende a afi rmação aparentemente contrária. O enfoque, aqui, é a paz que o mundo dá, rejeitada por Jesus, conforme vemos no Evangelho de João: "Dou-vos a minha paz... não à maneira do mundo" (Jo 14,27). A paz do mundo é a paz do império, seja o antigo, romano, seja o atual, estadunidense com seus parceiros. Fazem-se as guerras de conquista e sobre seus escombros decreta-se a paz do império. É a paz da exploração, da subserviência e da humilhação. É a paz que estabelece uma cultura individualista, excludente, ambiciosa do dinheiro e prenhe de violência. A própria família fica sob influxo desta cultura, surgindo discórdias em seu seio diante do empenho de alguns em sua libertação. Jesus subverte a paz imperial. Sua paz é a que decorre da prática da justiça, da solidariedade, da partilha e do amor, construindo a vida.

A igreja celebra hoje: Santo Henrique e Cunegundes

Muitos acusam a Idade Média como um tempo de trevas da história, e não tem como não pensar isto se não abrimos os olhos e olhamos para o alto, pois neste lugar é que se encontram as luzes deste período, ou seja, os inúmeros Santos e Santas. Henrique e Cunegundes fazem parte deste "lustre", pois viveram uma perfeita harmonia de afetos, projetos e ideais de santidade.
Henrique era filho de duque e nasceu num castelo na Alemanha em 973, pertencia a uma família santa e por isso foi educado também por cônegos e mais tarde pelo bispo de Ratisbona; adquirindo assim toda uma especial formação cristã. Conta-se que espiritualmente ele preparou-se intensamente para assumir o trono da Alemanha, mas isto sem saber, pois ainda jovem sonhara com estas breves palavras: "Entre seis"; e com isto interpretou primeiramente que teria seis dias antes de morrer, mas como não aconteceu preparou-se em vista de seis meses e em seguida seis anos, até que por Providência assumir o reinado.
No caso de Henrique o adágio de que "por trás de um grande homem está uma grande mulher", funcionou pois casou-se com a princesa de Luxemburgo, Cunegundes que era um mulher de muitas virtudes e inúmeros dons ao ponto ajudar por vinte sete anos seu esposo na organização do império e implantação do Reino de Deus. Com a morte de Henrique II e seu reconhecimento de santidade, Conegundes foi morar num mosteiro, onde cortou o cabelo, vestiu hábito pobre e passou a obedecer suas superioras até ir ao encontro de Henrique no Céu, isto quando tinha 61anos. Sendo assim, ambos morreram sob a coroa de Sacro Romano no Império terrestre e a coroa da glória no Império Celeste.

Santo Henrique II e Santa Cunegundes, roguem por nós!

PADRE ANTONIO MARIA - OLHOS DO MEDO

video

Evangelho (Marcos 6,7-13)


— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!
Naquele tempo, 7Jesus chamou os doze, e começou a enviá-los dois a dois, dando-lhes poder sobre os espíritos impuros. 8Recomendou-lhes que não levassem nada para o caminho, a não ser um cajado; nem pão, nem sacola, nem dinheiro na cintura. 9Mandou que andassem de sandálias e que não levassem duas túnicas. 10E Jesus disse ainda: “Quando entrardes numa casa, ficai ali até vossa partida. 11Se em algum lugar não vos receberem, nem quiserem vos escutar, quando sairdes, sacudi a poeira dos pés, como testemunho contra eles!” 12Então os doze partiram e pregaram que todos se convertessem. 13Expulsavam muitos demônios e curavam numerosos doentes, ungindo-os com óleo.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus prepara os discípulos para missão

Os evangelistas mencionam, com freqüência, o ensino de Jesus. No Evangelho de Marcos, este ensino não é tanto com palavras, mas sim com o próprio testemunho de vida de Jesus. Com seu "ensino", Jesus prepara os discípulos (Mc 6,6). Em seguida, envia-os. Testemunho e envio estão intimamente ligados. E, após o envio, os discípulos "saíram para proclamar". Contudo, a proclamação é acompanhada de gestos concretos de libertação. Marcos destaca o poder sobre os espíritos impuros. É o espírito da sinagoga que dominava um homem, tendo sido este libertado por Jesus (Mc 1,23). Jesus, progressivamente, inclui os discípulos no seu ministério. O despojamento deles não tem o caráter de um ascetismo heróico. Significa o testemunho da confiança na bondade humana. É um ousado testemunho que, certamente, toca os corações. A segurança vem da confiança no amor, e não no poder da riqueza. O testemunho de Jesus não é o de austeridade pela austeridade, mas sim o do desprendimento e da confiança em Deus e no próximo: os discípulos devem se entregar, com confiança, aos cuidados daqueles que encontrarem no caminho. Confiam na acolhida e na capacidade de partilha de cada um. Este ato de entrega e confiança liberta nas pessoas seu potencial de acolhida, solidariedade e amor. O missionário, de maneira profética, denuncia a opressão e a violência dos poderosos, como o profeta Amós (primeira leitura), e anuncia a projeto de Deus de nos adotar como filhos, nos comunicando sua vida através da encarnação de seu Filho, Jesus (segunda leitura). A ação missionária, restaurando nas pessoas sua dignidade e capacidade de amar, as liberta da opressão, dando-lhes sentido à vida.

A igreja celebra hoje: São João Gualberto

Com muita alegria nos deparamos com a santidade de vida de São João Gualberto, que pertenceu a uma nobre família de Florença, a qual muito bem o educou na cultura, porém deixou falhas no essencial, ou seja, na vida religiosa. Por isso, facilmente, ele foi se entregando às liberdades perigosas e vaidades do mundo.Aconteceu que, com o assassinato do seu irmão, João Gualberto – como o pai – revoltou-se a ponto de jurar o causador de morte; mas um certo dia, numa estreita estrada, Gualberto encontrou-se com o assassino desarmado, por isso arrancou sua espada para vingar o irmão, quando de repente a súplica: "Por amor de Jesus que neste dia morreu por nós, tem piedade de mim, não me mates!". Era uma Sexta-feira Santa, e assim, tocado pela misericórdia de Deus João Gualberto não só acolheu o malvado com seu perdão, mas também ao entrar numa Igreja, recebeu aos pés do Crucificado a graça do perdão e a vida nova.No processo de conversão de São João Gualberto, Deus o encaminhou à vida religiosa, à vida eremítica e depois à fundação de uma nova Ordem, chamada de Vallombrosa, na qual São João Gualberto tornou-se pai do monges e modelo, já que, antes de entrar na Vida Eterna em 1073, com 73 anos partilhou para os irmãos: "Quando quiserem eleger um abade, escolham entre os irmãos o mais humilde, o mais doce, o mais mortificado".

São João Gualberto, rogai por nós!