Painel informativo.

- TRÊS VEZES ADMIRÁVEL pela grandeza de sua posição junto à Trindade, como filha predileta do Pai, Mãe do Filho e Esposa do Espírito Santo. Também por ser Mãe de Deus, Mãe do Redentor e Mãe dos Remidos.'

MISTERIOS DE

O Santo Rosário compreende a meditação dos vinte mistérios da Fé Católica, divididos em quatro grupos de cinco mistérios - denominados Terço - e nos leva diariamente ao estudo e meditação profunda da Palavra Sagrada da Bíblia e das passagens mais importantes do Evangelho. Aos mistérios originais, recentemente o Papa João Paulo II instituiu novas meditações, sendo que os mistérios do Santo Rosário são:
Mistérios Gozosos - Natalidade e crescimento de Jesus
Mistérios Dolorosos - Agonia, sofrimento e morte: Amor aos pecadores
Mistérios Gloriosos - Vitória, Salvação, Proteção
Mistérios Luminosos - A humildade, os milagres e o eterno Amor

VOCÊ É ESPECIAL!

Pesquisar neste blog

ORAÇÃO OFICIAL DO TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA





Oração do Padre Antônio Maria - Mãe Peregrina

Mãe Querida, visita a minha vida neste dia, assim como visitastes a vida de Isabel, traz alegria que falta à minha alma e ao meu coração, traz o vinho novo, torna possível os impossíveis. Me dê a mão,cuida da minha vida,do meu coração,do meu caminho…

Confio em Teu poder e em Tua bondade

Em Ti confio com filialidade,

Confio cegamente, em toda a situação,

Mãe, no Teu Filho e em Tua proteção.

Evangelho (Mateus 8,5-17)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 5quando Jesus entrou em Cafarnaum, um oficial romano aproximou-se dele, suplicando: 6“Senhor, o meu empregado está de cama, lá em casa, sofrendo terrivelmente com uma paralisia”. 7Jesus respondeu: “Vou curá-lo”. 8O oficial disse: “Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e o meu empregado ficará curado. 9Pois eu também sou subordinado e tenho soldados sob minhas ordens. E digo a um: ‘Vai!’, e ele vai; e a outro: ‘Vem!’, e ele vem; e digo a meu escravo: ‘Faze isto!’, e ele faz”. 10Quando ouviu isso, Jesus ficou admirado, e disse aos que o seguiam: “Em verdade, vos digo: nunca encontrei em Israel alguém que tivesse tanta fé. 11Eu vos digo: muitos virão do Oriente e do Ocidente, se sentarão à mesa no Reino dos Céus, junto com Abraão, Isaac e Jacó, 12enquanto os herdeiros do Reino serão jogados para fora, nas trevas, onde haverá choro e ranger de dentes”. 13Então, Jesus disse ao oficial: “Vai! E seja feito como tu creste”. E, naquela mesma hora, o empregado ficou curado. 14Entrando Jesus na casa de Pedro, viu a sogra dele deitada e com febre. 15Tocou-lhe a mão, e a febre a deixou. Ela se levantou, e pôs-se a servi-lo. 16Quando caiu a tarde, levaram a Jesus muitas pessoas possuídas pelo demônio. Ele expulsou os espíritos, com sua palavra, e curou todos os doentes, 17para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías: “Ele tomou as nossas dores e carregou as nossas enfermidades”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.


Comentário do Evangelho

A fé do centurião

A fé do centurião nasce do testemunho de amor de Jesus. Não é uma fé decorrente das tradições do judaísmo. Sua fé supera a fé de Israel. O "choro e ranger de dentes" aparece seis vezes em Mateus. É uma fórmula típica da manifestação da cólera divina contra o pecador, inspirada no Primeiro Testamento. Não há nos outros Evangelhos. Parece ser interpretação teológica de Mateus. A narrativa encerra-se com expulsão de espíritos e curas. Mateus as associa ao cumprimento das profecias. Ele faz a inculturação de Jesus de Nazaré nas tradições do judaísmo. Cabe à ação missionária fazer a inculturação de Jesus nas diversas culturas do mundo de hoje.

A igreja celebra hoje: Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

A devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro começou a ser propagada a partir de 1870 e espalhou-se por todo o mundo. Trata-se de uma pintura do século XIII, de estilo bizantino. Segundo a tradição, foi trazida de Creta, Grécia, por um negociante. E, desde 1499, foi honrada na Igreja de São Mateus in Merulana..Em 1812, o velho Santuário foi demolido. O quadro foi colocado, então, num oratório dos padres agostinianos. Em 1866, os redentoristas obtiveram de Pio IX o quadro da imagem milagrosa. Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi colocada na Igreja de Santo Afonso, em Roma. De semblante grave e melancólico, Nossa Senhora traz no braço esquerdo o Menino Jesus, ao qual o Arcanjo Gabriel apresenta quatro cravos e uma cruz. Ela é a Senhora da morte e a Rainha da Vida, o Auxílio dos cristãos, o Socorro seguro e certo dos que a invocam com amor filial.

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rogai por nós!

A Fé do Saudoso Padre Léo

☺ 1º Parte

☺2º Parte

36 ANOS DE SACERDÓCIO DE DOM MARIANO MANZANA

Louvamos e agradecemos a Deus pelo dom da vida e sacerdócio de nosso Bispo Dom Mariano Manzana que é para nós o exemplo vivo de fé, amor e confiança. Podemos afirmar que o apoio de Dom Mariano ao Terço dos Homens tem fortalecido o movimento e consolidado em toda Diocese.

As nossas orações hoje é especial para o nosso Bispo Dom Mariano que está completando hoje 36 anos de sacerdócio.

Evangelho (Mateus 8,1-4)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
1Tendo Jesus descido do monte, numerosas multidões o seguiam. 2Eis que um leproso se aproximou e se ajoelhou diante dele, dizendo: “Senhor, se queres, tu tens o poder de me purificar”. 3Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: “Eu quero, fica limpo”. No mesmo instante, o homem ficou curado da lepra. 4Então Jesus lhe disse: “Olha, não digas nada a ninguém, mas vai mostrar-te ao sacerdote, e faze a oferta que Moisés ordenou, para servir de testemunho para eles”.
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

COMENTÁRIOS DO EVANGELHO

Seguir o caminho dos pequenos e excluídos

Temos aqui mais algumas sentenças esparsas da coleção de Mateus, compiladas no Sermão da Montanha. A primeira destas sentenças é enigmática e choca por seu teor rude e discriminatório. Não se percebe de onde Mateus a extraiu. Uma hipótese de interpretação é que se refira às carnes consagradas no templo que não podiam ser profanadas. As pérolas seriam a doutrina, reservada às elites religiosas. A seguir vem a "regra de ouro" do agir: "Fazei aos outros o que quereis que vos façam". Esta norma de comportamento faz parte da cultura universal e supre a complexidade de toda a Lei e dos Profetas. A alusão às portas e aos caminhos, largos ou estreitos, aponta para o Império Romano. Na ânsia de exploração e dominação, construíram largas estradas para as grandes cidades dominadas, com suas amplas portas, centros de produção e comércio, favorecendo a expropriação. O acesso às pequenas aldeias do povo humilde e pobre era feito por estreitas vias. O discípulo deve rejeitar as largas estradas do império e seguir o humilde caminho dos pequenos e excluídos.

A igreja celebra hoje:

MártiresOs santos que recordamos hoje pertenceram ao século IV e ali deram um lindo testemunho do martírio no ano de 362, no contexto em que a Igreja de Cristo era perseguida.Eles pertenciam à Corte de Juliano o Apóstata, que queria que todos os cristãos se rendessem aos deuses do Império. Joa e paulo porem, renunciaram ao cargo, e se retiraram para um propriedade onde viveram da caridade e servindo aos pobres, testemunhando acima de tudo, o amor a Deus.Eram irmãos de sangue, mas responderam pessoalmente ao Evangelho.O Imperador enviou uma autoridade para convencê-los a mudarem de ideia, e oferecerem sacrifícios ao deus Júpiter, para não serem condenados.Após alguns dias, os irmãos não negaram sua fé e acabaram morrendo degolados, testemunhando seu amor a Deus.

São João e São Paulo, rogai por nós

O TERÇO DOS HOMENS MÃE RAINHA NA DIOCESE DE MOSSORÓ

Evangelho (Mateus 7,21-29)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 21“Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. 22Naquele dia, muitos vão me dizer: ‘Senhor, Senhor, não foi em teu nome que profetizamos? Não foi em teu nome que expulsamos demônios? E não foi em teu nome que fizemos muitos milagres? 23Então eu lhes direi publicamente: Jamais vos conheci. Afastai-vos de mim, vós que praticais o mal. 24Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. 25Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. 26Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática, é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. 27Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!” 28Quando Jesus acabou de dizer estas palavras, as multidões ficaram admiradas com seu ensinamento. 29De fato, ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os mestres da lei.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Fidelidade a Jesus

Existem devoções às ostensivas invocações do nome de Jesus e às espantosas narrativas de expulsões de demônios e de milagres de Jesus. Contudo, estas devoções podem dar uma satisfação pessoal que leva à omissão das práticas essenciais que realmente agradam a Deus. Neste texto de Mateus, vemos que a fidelidade a Jesus está na prática da vontade do Pai que está nos céus. É isto que se pede na oração do pai-nosso. Jesus nos revelou a vontade do Pai na proclamação das bem-aventuranças e na sua vida, com seu amor promovendo os pobres e excluídos.

A igreja celebra hoje: São Guilherme

Com grande devoção, hoje, lembramos a santidade de vida de São Guilherme, que nasceu em Vercelli, Itália, no ano de 1085. Órfão muito cedo, foi morar com os familiares que em nada o impediram de seguir Jesus e realizar seus anseios de vida religiosa.Quando tinha apenas 14 anos, Guilherme saiu com vestes penitenciais para visitar o Santuário de São Tiago Compostela, na Espanha, visando expressar sua caminhada espiritual. Aconteceu que desejava peregrinar para a Terra Santa, mas devido a turbulências políticas, desviou-se e acabou se retirando no Monte Partênio (Monte da Virgem) e ali se retirou em silêncio, penitência e oração.São Guilherme, ao começar a construção do Santuário de Nossa Senhora do Monte Virgine, com o tempo, teve de organizar a comunidade dos monges formada a partir de sua total consagração. E desta forma nasceu o primeiro dos vários mosteiros fundados pelo Santo.Combatente contra o mal, durante os 67 anos de existência ele não admitiu o pecado em sua vida, tanto que diante da malícia de uma mulher, ele preferiu jogar-se em brasas acesas do que nos braços do pecado; e por graça foi preservado milagrosamente de qualquer ferimento.

São Guilherme, rogai por nós!

Pe. João Carlos - Quem me tocou

2º Encontro de Formação Espiritual - Zonal Apodi


Evangelho (Lucas 1,57-66.80)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

57Completou-se o tempo da gravidez de Isabel, e ela deu à luz um filho. 58Os vizinhos e parentes ouviram dizer como o Senhor tinha sido misericordioso para com Isabel, e alegraram-se com ela. 59No oitavo dia, foram circuncidar o menino, e queriam dar-lhe o nome de seu pai, Zacarias. 60A mãe, porém disse: “Não! Ele vai chamar-se João”. 61Os outros disseram: “Não existe nenhum parente teu com esse nome!” 62Então fizeram sinais ao pai, perguntando como ele queria que o menino se chamasse. 63Zacarias pediu uma tabuinha, e escreveu: “João é o seu nome”. E todos ficaram admirados. 64No mesmo instante, a boca de Zacarias se abriu, sua língua se soltou, e ele começou a louvar a Deus. 65Todos os vizinhos ficaram com medo, e a notícia espalhou-se por toda a região montanhosa da Judeia. 66E todos os que ouviam a notícia ficavam pensando: “O que virá a ser este menino?” De fato, a mão do Senhor estava com ele. 80E o menino crescia e se fortalecia em espírito. Ele vivia nos lugares desertos, até o dia em que se apresentou publicamente a Israel.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

João Batista e Jesus

João Batista e Jesus estão intimamente unidos no projeto salvífi co de Deus. Lucas apresenta o anúncio e o nascimento de ambos em paralelo. João, filho primogênito de sacerdote, deveria manter a linhagem sacerdotal de seu pai, e também receber o mesmo nome dele. Um nome diferente dado ao menino, João ("Deus é misericórdia"), já prenuncia a mudança profunda que se aproxima. João romperá com a tradição sacerdotal e com o templo de Jerusalém, tornando-se um profeta, no deserto, anunciando a novidade do Reino de Deus, com o perdão dos pecados. A memória do nascimento de Jesus é associada à memória do nascimento de João Batista. Jesus consagra em seu ministério o anúncio do Reino e do perdão inaugurado por João.

A igreja celebra hoje: Solenidade do Nascimento de João Batista

Com muita alegria, a Igreja, solenemente, celebra o nascimento de São João Batista que, ao lado da Virgem Maria, são os únicos em que a liturgia lembra o seu aniversário natalício. São João Batista nasceu seis meses antes de Jesus Cristo, seu primo, e foi um anjo quem revelou o seu nome ao pai Zacarias, que há muitos anos rezava com sua esposa para terem um filho.Estudiosos mostram que possivelmente depois de idade adequada, João teria participado da vida monástica de uma comunidade rigorista que na beira do Rio Jordão ou Mar Morto viviam em profunda penitência e oração. Pode-se concluir isso a partir do texto de Mateus: "João usava um traje de pêlo de camelo, com um cinto de couro à volta dos rins; alimentava-se de gafanhotos e mel silvestre".O que tornou este santo tão importante para a história do Cristianismo é que, além de ser o último profeta a anunciar o Messias, foi ele quem preparou o caminho do Senhor através de suas pregações que chamavam à mudança de vida e batismo de penitência (por isto Batista). Como nos ensinam as Sagradas Escirturas: "Eu vos batizo na água, em vista da conversão; mas aquele que vem depois de mim é mais forte do que eu: eu não sou digno de tirar-lhe as sandálias; ele vos batizará no Espírito Santo" (Mt 3,11). Os Evangelhos nos revelam a inauguração da Missão Salvífica de Jesus, a partir do Batismo recebido pelas mãos do precursor João e manifestação da Trindade Santa. São João, ao reconhecer e apresentar Jesus como o Cristo, continuou sua missão em sentido descendente, a fim de que somente o Cristo aparecesse. Grande anunciador do Reino e denunciador dos pecados, ele foi preso por não concordar com as atitudes pecaminosas de Herodes, e acabou decapitado devido o ódio de Herodíades, mas morreu na santidade e reconhecimento do próprio Cristo: "Em verdade eu vos digo, dentre os que nasceram de mulher, não surgiu ninguém maior que João , o Batista" (Mt 11,11).

São João Batista, rogai por nós!

Comunidade de café do vento em Sobrado-PB

Queremos abraçar nossos irmãos do Terço dos Homens Mãe Rainha e parabeniza-los pelo grande trabalho de evangelização realizados nas Comunidades.

Luiz Carlos na foto com a Criança

Evangelho (Mateus 7,6.12-14)


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 6“Não deis aos cães as coisas santas, nem atireis vossas pérolas aos porcos; para que eles não as pisem com os pés e, voltando-se contra vós, vos despedacem. 12Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a Lei e os Profetas. 13Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta e espaçoso é o caminho que leva à perdição, e muitos são os que entram por ele! 14Como é estreita a porta e apertado o caminho que leva à vida! E são poucos os que o encontram”!
- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Seguir o caminho dos pequenos e excluídos
Temos aqui mais algumas sentenças esparsas da coleção de Mateus, compiladas no Sermão da Montanha. A primeira destas sentenças é enigmática e choca por seu teor rude e discriminatório. Não se percebe de onde Mateus a extraiu. Uma hipótese de interpretação é que se refi ra às carnes consagradas no templo que não podiam ser profanadas. As pérolas seriam a doutrina, reservada às elites religiosas. A seguir vem a "regra de ouro" do agir: "Fazei aos outros o que quereis que vos façam". Esta norma de comportamento faz parte da cultura universal e supre a complexidade de toda a Lei e dos Profetas. A alusão às portas e aos caminhos, largos ou estreitos, aponta para o Império Romano. Na ânsia de exploração e dominação, construíram largas estradas para as grandes cidades dominadas, com suas amplas portas, centros de produção e comércio, favorecendo a expropriação. O acesso às pequenas aldeias do povo humilde e pobre era feito por estreitas vias. O discípulo deve rejeitar as largas estradas do império e seguir o humilde caminho dos pequenos e excluídos.

A igreja celebra hoje: São José Cafasso

O santo de hoje nasceu em Castelnuevo, no ano de 1811, onde também nasceu o grande São João Bosco. José Cafasso, desde criança, sentiu-se chamado ao sacerdócio, que foi se tornando cada vez mais forte no decorrer de sua vida com Deus.Assim, entrou para a formação sacerdotal e se tornou padre aos 23 anos, destacando-se no meio de tantos por seu amor aos pobres e zelo pela salvação das almas. Depois de comprovado e dedicado trabalho na Igreja de São Francisco em Turim, José assumiu, com toda sua bagagem de pregador, confessor e iluminado diretor espiritual, a função de reitor e formador de novos sacerdotes. Dom Bosco foi um dos vocacionados que desfrutou das formações e aconselhamentos deste santo, pois como um sacerdote sintonizado ao coração do Cristo Pastor, sabia muito bem colocar sua cultura eclesiástica, dons e carismas a serviço da salvação do próximo. Dentre tantos ofícios assumidos por este homem incansável, que foi para o Céu em 1860, despontou José Cafasso na evangelização dos condenados à forca, tanto assim que ficou conhecido com o "Santo da Forca".

São José Cafasso, rogai por nós!



— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 1“Não julgueis e não sereis julgados. 2Pois, vós sereis julgados com o mesmo julgamento com que julgardes; e sereis medidos, com a mesma medida com que medirdes. 3Por que observas o cisco no olho do teu irmão, e não prestas atenção à trave que está no teu próprio olho? 4Ou, como podes dizer a teu irmão: ‘Deixa-me tirar o cisco do teu olho’, quando tu mesmo tens uma trave no teu? 5Hipócrita, tira primeiro a trave do teu próprio olho e então enxergarás bem para tirar o cisco do olho do teu irmão”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Convívio sem discriminações

Nestas sentenças, que integram o Sermão da Montanha, Mateus apresenta orientações para as comunidades quanto a um convívio sem discriminações. A primeira orientação é sobre julgar o irmão. O "julgar", aqui, tem o sentido de "condenar". A avaliação crítica da realidade é um ato de consciência. Mas deve estar isenta de condenações ou exclusões às pessoas. A alusão à "medida" inspira-se nas trocas de cereais, entre produtores: ambas as partes usarão a mesma medida, por questão de eqüidade. A trave no próprio olho é a crítica excludente, que não permite ajudar o irmão que tem um cisco no olho. A qualificação "hipócrita" é usada doze vezes por Mateus ao referir-se aos escribas e fariseus. A frase original seria destinada aos fariseus também; porém, depois, dirigida aos discípulos, significaria que, ao condenar os irmãos, eles se assemelhariam àqueles escribas e fariseus. Da mesma forma, não cabe apontar os defeitos do irmão, mesmo que sinceramente, para corrigi-lo. O importante é, com amor, descobrir, destacar e valorizar as qualidades dele, no sentido da maior integração e crescimento da comunidade.

A igreja celebra hoje: Santos João Fischer e Tomás More

Lembramos neste dia dois grandes mártires da Reforma na Inglaterra, que com o testemunho cristão combateram a favor da unidade da fé cristã e dignidade do matrimônio. Aconteceu que o rei Henrique VII, no ano de 1530 quis a dissolubilidade do seu matrimônio, e por não conseguir isto da Igreja Católica, que não pode ir contra a Palavra de Deus, o rei irado publicou um Ato de Supremacia que o proclamava chefe temporal da Igreja na Inglaterra, isto de maneira ilícita.São João Fischer, nasceu no ano de 1469, e era um arcebispo de Rochester muito aceta, sábio e humanista profundo que desejava profundamente uma Renovação interna na Igreja, mas não nos moldes da desobediência do rei. Diante do fato, e das propostas reais, Fischer santamente denunciou, como um João Batista, todo o erro do rei, por isto João Fischer foi muitas vezes preso até condenado a morte, isto no ano 1535.Passados quinnze dias após o martírio de Fisher, o companheiro Tomás More, nascido em Londres em 1477, era um pai de quatro filhos, fiel esposo e chanceler real, demitiu-se do cargo pois não queria trair a consciência com o voto a favor do Ato de Supremacia, por isto não tardou em ser preso. Sua esposa o visitou na cadeia e chegou a pedir-lhe que usasse da saída de negar apenas externamente fé para conservar a vida, mas Santo Tomás Mores aceitou a decapitação depois dizer palavras que bem unificam o testemunho destes dois homens que não venderam a alma: "Sede minhas testemunhas de que eu morro na fé e pela fé da Igreja Católica, e morro fiel servidor de Deus e do rei. Rogai a Deus afim de que ilumine o rei e o aconselhe"

Santos João Fischer e Tomás More, roguem por nós!

Evangelho (Marcos 4,35-41)

12º Domingo do Tempo Comum


— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor!

35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava, na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?”39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!” O vento cessou e houve uma grande calmaria. 40Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

O mar agitado
Os pescadores do Mar da Galiléia, trabalhando em seus barcos, freqüentemente enfrentavam dificuldades em sua luta pela sobrevivência. Nos quatro Evangelhos encontramos seis narrativas semelhantes, nas quais os discípulos se sentem em perigo atravessando de barco o mar agitado. Em três delas, em Mateus, Marcos e João, após a partilha eucarística dos pães com a multidão, os discípulos estão a sós no barco e Jesus vem a eles andando sobre as águas. Já na narrativa de hoje, em Marcos, bem como nas duas paralelas em Mateus e Lucas, os discípulos estão atravessando o mar em direção a um território gentílico, e Jesus encontra-se dormindo no barco. Estas narrativas, que circulavam como tradição entre aquelas comunidades que se caracterizavam por ter origem no judaísmo, parecem inspiradas em passagens do Primeiro Testamento, tais como o livro de Jó (primeira leitura), o livro de Jonas (Jn 1,1-16), bem como os Salmos (Sl 107,25-30; 89,10). O "passar para a outra margem" e as diversas viagens de barco, destacadas por Marcos, indicam a mobilidade de Jesus entre a Galiléia gentílica, com presença de colonos e comerciantes judeus, e os territórios vizinhos predominantemente gentílicos. Nesta narrativa temos um "milagre da natureza", com a curiosa imposição de silêncio ao vento e ao mar. Há um contraste entre a tranqüilidade de Jesus e a angústia e perturbação dos discípulos, diante do "mar agitado". Jesus dá andamento a sua proclamação, enfrentando tranqüilamente os conflitos oriundos de seus adversários. Contudo, os discípulos estão atemorizados à vista deste novo contexto criado por Jesus, particularmente agora, quando vão em missão em território exclusivamente gentio. Ante o perigo, os discípulos questionam Jesus: "... não te importa que estejamos perecendo?", seguindo-se sua reposta: "Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?". Os discípulos, no barco batido pelas ondas, exprimem as comunidades com suas dificuldades no cumprimento de sua missão. Porém, se até o vento e o mar obedecem à palavra de Jesus, porque, enchendo-nos de conforto e fé, não iremos nós também obedecer a esta Palavra? A segunda leitura reflete a teologia paulina, centrada no Cristo morto e ressuscitado, sem maiores referências ao decorrer da vida e do ministério do Jesus humano e histórico.

A igreja celebra hoje: São Luiz Gonzaga

Patrono da juventudeNasceu no ano de 1568 na Corte de Castiglione. Por parte da formação de seus pais, a cristã veio da mãe. Já seu pai o motivava a ser príncipe. Sua família tinha muitas posses, mas graças ao amor de Deus, Luiz, desde cedo, se deixou possuir por esse amor.Deixar-se amar por Deus é fonte de santidade.Com dez anos de idade, na corte, frequentando aqueles meios, dava ali testemunho do Evangelho, e se consagrou a Nossa Senhora. Ali descobriu seu chamado a vida religiosa e queria ser padre. Seu pai ao saber disso, o levava para festas mundanas, tentando fazendo-o desistir da vocação.Entrou para a Companhia de Jesus onde viveu seis anos. Com pouco mais de 20 anos, faleceu de uma peste que estava espalhada por Roma.

São Luiz Gonzaga, rogai por nós!